Logotipo

18 de janeiro de 2019

Priorizar a educação. Esse é o caminho para o desenvolvimento social

Com as mudanças de governo em todo o País em 2018, muitas novidades na área da educação são focadas pelos governantes. E a ação torna-se louvável diante da situação de caos que o Brasil enfrenta na área educacional. Os índices de avaliação do ensino no País não são nada favoráveis, o que surge como desafio para os municípios e Estados.

A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) mantém um ranking da educação em 36 países, no qual o Brasil atualmente amarga a penúltima posição, à frente somente do México. Como critérios avaliados pela organização estão o desempenho dos alunos, a média de anos em que os estudantes passam na escola e a porcentagem da população que está cursando Ensino Superior.

Os percalços são grandes e é preciso repensar as políticas públicas desde o ensino básico à qualidade de vida e renda familiar do brasileiro. Isso porque uma criança que não tem o que comer, vestir ou como se deslocar a uma escola ou acesso a um livro sequer terá condições de concluir com facilidade o Ensino Fundamental.

É preciso pensar que em um País desigual em oportunidades como o Brasil, é fundamental direcionar investimentos públicos para quem mais precisa e onde farão a diferença, ou seja, nas escolas e em pessoas em situação de desvantagem econômica e social. É nesta linha que o governador do Paraná, Ratinho Júnior tem se colocado. Em matéria publicada nesta edição, ele anuncia planos na área educacional e diz que seu compromisso é tornar o Paraná referência em educação.

Espera-se que não apenas no Paraná, mas em todo o Brasil, as vertentes da educação não sejam esquecidas. Pois é através dela que haverá mudança em todas as áreas, principalmente no bom senso, respeito, avanço econômico e social. Já dizia o educador Paulo Freire: “A educação não transforma o mundo. Educação muda as pessoas. Pessoas transformam o mundo. Fica a reflexão.

Compartilhe

Colunistas