Logotipo

A humanização nas relações interpessoais

10 de agosto de 2019

Há matérias versando sobre quesitos primordiais para se transformar o meio social, tornando o mundo mais propenso a mudanças bem-vindas em diferentes frentes.

Compartilhe

Nesta edição da Folha do Litoral News, há alguns exemplos da importância das relações interpessoais nas esferas familiar e profissional, ou seja, há matérias versando sobre quesitos primordiais para se transformar o meio social, tornando o mundo mais propenso a mudanças bem-vindas em diferentes frentes.

Os primeiros casos estão contidos em histórias alusivas ao Dia dos Pais, as quais servem como exemplos para muitas pessoas no tocante a assumir as responsabilidades da vida e exercer a paternidade com o amor e respeito necessários para que filhos e netos possam ter um norteamento na vida.

A história de seu Lesandro, bisavô de 79 anos, que se dedica grandemente à formação e atendimento à bisneta Kaylane, sempre pautando suas ações em valores que a filha/neta possa levar para sempre em sua vida. Um bisavô que é mais que pai, e sim um amigo e modelo a inspirar e fazer refletir outros tantos pais que se furtam de suas reais obrigações perante os filhos e suas necessidades.

Um outro caso é do jovem Adan Carlos, o qual foi presenteado com a possibilidade de uma adoção e adentrou no verdadeiro e incontestável papel de pai, trazendo a certeza da construção de um futuro com mais oportunidades a uma criança, que hoje já está na adolescência.

Esses são exemplos de relação familiar. Percebe-se uma humanização no trato humano, o que, certamente, traz suas consequências positivas para a formação de uma sociedade mais igualitária e justa.

Outro destaque do jornal, aborda a humanização no setor de saúde. O médico Jonathan Aredes inovou, sobretudo no atendimento a crianças ao se vestir de super-heróis e tratar com bom humor, sem nunca esquecer o aspecto técnico da medicina, as situações encontradas no cotidiano do atendimento à população parnanguara.

Os casos abordados são mostras de que é possível ser mais humano e cordial em todos os aspectos da vida, basta desenvolver os princípios da empatia, ou seja, se colocar no lugar do outro e entender seus sentimentos, refletir e agir em prol do benefício do próximo.

Pais e médicos que atuam cotidianamente com amor, demonstrando entrega e dedicação em suas funções diárias, acima disso pessoas que tornam o meio social melhor e com esperança de que tudo pode verdadeiramente ser transformado. Esse é o verdadeiro papel do ser humano: agir com dignidade e coragem em todos os momentos da vida.