Connect with us

Economia

Paraná abre 18,2 mil vagas de emprego formal em fevereiro

Em todo o País, foram abertos 173.139 postos de trabalho

Publicado

em

O Paraná criou 18.254 novos empregos formais em fevereiro. É mais que o dobro contabilizado em fevereiro de 2018, quando foram criadas 7.703 vagas, e o melhor resultado para o mês desde 2014 (que registrou 25.612 vagas). Em todo o País, foram abertos 173.139 postos de trabalho, com saldos positivos em 20 das 27 unidades da federação – também a melhor performance dos últimos cinco anos.

Os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) foram divulgados na segunda-feira, 25, pelo Ministério da Economia.

Com o forte incremento verificado em fevereiro, o Paraná ampliou para 27.995 o total de vagas formais geradas no primeiro bimestre de 2019. O Estado ficou em quarto lugar no ranking nacional, também com o melhor resultado desde 2014. No Brasil, foram criadas 211.474 vagas nos dois primeiros meses do ano.

“O crescimento no número de empregos é mais um sinal da retomada econômica do Paraná”, destaca o governador Carlos Massa Ratinho Júnior. No primeiro bimestre, a Junta Comercial do Paraná registrou a abertura de 7.910 novos negócios, aumento de 25,8% em relação ao mesmo período de 2018.

“Nosso governo está adotando uma série de medidas para otimizar os recursos públicos, como reforma administrativa, cortes de gastos e revisão de contratos. Assim, teremos mais dinheiro em caixa para investir e apoiar empresas que geram emprego, tecnologia e desenvolvimento para o nosso Estado”, afirmou o governador.

TENDÊNCIA

O resultado do mercado formal paranaense é decorrente de 119.376 contratações e 101.124 desligamentos no último mês. Com este desempenho, o Estado foi o quinto em número absoluto de geração de vagas, atrás de São Paulo (62.339), Minas Gerais (26.016), Santa Catarina (25.304) e Rio Grande do Sul (22.463).

“É um excelente resultado. Passamos por um período de crise; 2017 e 2018 foram anos de recuperação e 2019 vem em uma tendência de aumento na criação de empregos formais”, aponta a economista Suelen Glinski, do Observatório do Trabalho da Secretaria de Justiça, Família e Trabalho. “Em fevereiro, o Paraná foi responsável por 8% do total de admitidos do País”, ressalta.

Em termos percentuais, o Paraná registrou a terceira maior variação no estoque de trabalhadores assalariados (0,70%), superado apenas por Santa Catarina (1,25%) e Rio Grande do Sul (0,89%) e acima da média nacional (0,45%). O Estado fechou fevereiro com 2.622.844 empregados no mercado formal.

GOVERNO

O secretário da Justiça, Família e Trabalho, Ney Leprevost destaca a contribuição do Governo do Estado para ajudar a gerar renda e emprego. Ele cita o APP Paraná Serviços, lançado em 18 de março, que faz a intermediação entre o contratante e o profissional prestador de serviços. “Essa ferramenta vai ajudar a aumentar ainda mais o nível de empregabilidade e contribuir para a redução da informalidade no Estado”, afirma.

SETORES

No último mês, oito setores econômicos apresentaram saldo positivo de empregos no Paraná. O segmento de serviços respondeu por praticamente metade das novas vagas (9.363). “O resultado se deve principalmente aos subsetores de ensino, alojamento e alimentação, principalmente pela volta às aulas”, indica a economista Suelen Glinski.

O segundo melhor desempenho foi da indústria de transformação (3.692), impulsionada pelo subsetor têxtil. “A indústria vem se recuperando mês a mês, desde o ano passado. É ótimo porque paga maiores salários e exige maior nível de qualificação do trabalhador”, comenta Suelen. Na sequência, aparecem: comércio (2.841), agropecuária (1.006) e construção civil (697). 

MUNICÍPIOS

As cidades paranaenses com maiores saldos de emprego no mês passado foram: Curitiba (3.597), Maringá (1.205), Ponta Grossa (1.000), Cascavel (864) e Pato Branco (671).

“Observamos crescimento em todas as regiões do Estado. Além da capital, nos grandes centros urbanos, por conta das universidades e da volta às aulas, os números se mostraram positivos”, analisa a economista. Entre as regiões metropolitanas, a de Curitiba teve o terceiro maior saldo: 5.843 postos, com alta de 0,59% em relação à quantidade de assalariados em janeiro.

Fonte: AEN

Foto: Gilson Abreu / ANPR

Continuar lendo
Publicidade

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.