Logotipo

Projeto ‘Educação pela Paz’ encerra atividades com premiação

29 de novembro de 2019

Vídeo vencedor foi produzido pelas crianças da Escola Municipal Graciela Almada, da Ilha dos Valadares

Compartilhe

Na manhã de quinta-feira, 28, o auditório do Isulpar ficou lotado para o encerramento do projeto ‘Educação pela Paz: Construindo Lares sem violência’. As atividades iniciaram em outubro, envolvendo uma série de ações para conscientizar os estudantes sobre a violência doméstica contra a mulher. 

Organizadores do projeto durante o encerramento das atividades

Foram selecionadas para a primeira edição do projeto quatro escolas municipais que estão localizadas em bairros que apresentam índices altos de violência. Escola Graciela Almada Diaz (Ilha dos Valadares), Escola  Nascimento Junior (Jardim Guaraituba), Escola Nayá Castilho (Vila Divineia) e Escola Berta Elias (Emboguaçu). O projeto é uma parceria entre o Tribunal de Justiça do Paraná, por meio da juíza Cintia Graeff (1.ª Vara Criminal), e a Secretaria Municipal de Educação.

O projeto trabalhou a questão da violência contra a mulher, conscientização sobre a igualdade de gênero e o desenvolvimento do respeito aos direitos humanos. A juíza Cintia Graeff percorreu os quatro estabelecimentos e conversou com as crianças, alertando sobre o assunto. 

Todas os estabelecimentos receberam o selo de escola da paz

De acordo com a juíza, a violência contra a mulher está presente em todos os setores da sociedade.

“A  participação das crianças foi surpreendente, pois elas mostraram interesse sobre a questão. Elas captaram a mensagem e se preocuparam com esse problema. Notamos que a ideia do projeto de sensibilizar as gerações futuras foi alcançada. Fizemos visitas em todas as escolas conversando e explicando sobre a Lei Maria da Penha, falamos que a violência contra a mulher é um fenômeno cultural que precisa ser mudado”, ressaltou.

A secretária Municipal de Educação, Vandecy Dutra, destacou que o projeto foi de suma importância porque muitas crianças vivem essa realidade dentro da própria casa. “Muitas vezes, eles não sabem que aquilo ali não é normal então isso passa a ser o cotidiano deles. Esse projeto vem para alertar sobre isso, mostrando que nós podemos mudar essa realidade. Estamos formando crianças com pensamentos diferentes em relação à mulher e à família, pois estão sendo conscientizadas desde cedo”, apontou. 

O prefeito Marcelo Roque participou do encerramento do projeto e reforçou que conscientizar as crianças é preparar uma sociedade mais comprometida para o futuro.

“Parabenizo a juíza Cintia por esta iniciativa juntamente com a Secretaria Municipal de Educação. Foram escolhidas escolas que estão em regiões populosas e com índice alto de violência no lar. Todas as crianças receberam orientações e, a partir de agora, passam a ter um novo pensamento sobre a violência doméstica. Quando envolvemos as crianças estamos trabalhando com toda a sociedade porque elas repassam os ensinamentos em suas casas. Todos os envolvidos estão de parabéns”, destacou o prefeito. 

PREMIAÇÃO 

Confira o vídeo vencedor do concurso:

Os estudantes de cada uma das escolas participantes  elaboraram vídeos envolvendo o tema do projeto. Os vídeos com duração de até 1 minuto e 30 segundos foram publicados na página do Facebook da Secretaria Municipal de Educação.  
O vídeo da Escola Municipal Graciela Almada Dias, localizada na Ilha dos Valadares, teve mais de 800 curtidas e 6 mil visualizações, sendo o vencedor. As crianças passaram com clareza a mensagem de que a violência deve ser denunciada para que o agressor seja preso. A escola ganhou um tablet e todos os estabelecimentos receberam um certificado de participação e o selo de “Escola da Paz”. 
 


Colunistas