conecte-se conosco

Semeando Esperança

Maria é elevada aos Céus

A pessoa humana é plenamente exaltada!

Publicado

em

Quarenta dias após a grande festa da Páscoa, a Igreja celebra a cada ano a Ascensão do Senhor aos Céus. Jesus Cristo – aquele que nasceu de Maria por obra do Espírito Santo, fazendo-se, desse modo, em tudo igual a nós, menos no pecado –, após ser crucificado, morto e sepultado, “desceu à mansão dos mortos; ressuscitou ao terceiro dia, subiu aos céus; está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso” (Creio Apostólico). A Ascensão de Jesus aos Céus “já é nossa vitória. […] pois, membros de seu corpo – ou seja, sua Igreja –, somos chamados na esperança a participar da sua glória”. Celebramos tal vitória e glorificação já realizadas em Maria, na solenidade de sua Assunção aos Céus. O Apóstolo Paulo nos ensina a respeito da glorificação dos membros do Corpo de Cristo ao dizer que: “Cristo ressuscitou dos mortos como primeiro fruto dos que morreram. […] Como em Adão todos morreram, assim em Cristo todos receberão a vida. Cada um, porém, na sua própria ordem. […] O último inimigo a ser destruído será a morte” (1Cor 15,20-26).

Os dados históricos a respeito deste elemento da fé remontam seguramente ao século 5º, e nos ajudam a compreender que a Igreja, em sua Liturgia, cerca de mais de 1300 anos antes que o Papa Pio XII (1.º de novembro de 1950) declarasse a Assunção de Maria como verdade de fé divinamente revelada, já honrava Maria no mistério de sua glorificação. É importante recordar que essa doutrina da Assunção foi, posteriormente, reafirmada pelo Concílio Vaticano II, no documento sobre a Igreja, Lumen Gentium, n. 59: “Finalmente, a Virgem Imaculada, preservada imune de toda a mancha da culpa original, terminado o curso da vida terrena, foi elevada ao céu em corpo e alma e exaltada pelo Senhor como Rainha do universo, para assim se conformar mais plenamente com seu Filho, Senhor dos senhores (Ap 19,16) e vencedor do pecado e da morte”. Deste modo, Maria aparece profundamente ligada ao Filho e à Igreja, da qual ela é membro grandioso. “Maria é uma parte da Igreja, membro santo, membro excelente, membro supereminente, mas apesar disso membro do corpo total. […] A cabeça é o Senhor, e Cristo total é a cabeça e o corpo”, ensina Santo Agostinho.

Celebrar essa festa desperta em nossos corações a esperança e a gratidão. Esperança de, vivendo atentos às coisas do alto, podermos participar um dia com Maria da glória de seu Filho, Jesus Cristo, nosso Salvador. Gratidão a Deus pela vida e missão dos religiosos, mulheres e homens que embelezam o “Jardim da Igreja” com a vivência dos votos de pobreza, obediência e castidade, assumidos à luz de um dos muitos carismas que o Espírito Santo tem suscitado na Igreja. Tal esperança de glorificação revela-se também pelo fato de os Bispos do Brasil termos escolhido este Dia da Assunção para rezar por todos os mortos pela pandemia do novo coronavírus: “Em Cristo todos receberão a vida. […] O último inimigo a ser destruído será a morte” (1Cor 15,22.26). Sim, cremos que na Assunção de Maria aos Céus se realiza a Promessa de que todos seremos inteiramente “assumidos” por Deus, por ele glorificados; primeiro Cristo, a Cabeça, depois os membros do seu Corpo, a Igreja. Reconhecemos que a solidariedade fraterna da oração é necessária neste momento de tristeza e grande dor.

Continuar lendo
Publicidade

Em alta

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.