Connect with us

Semeando Esperança

Celebrar a Semana Santa em casa

Certamente não tínhamos celebrado a Semana Santa de um modo tão diverso, com grande insegurança, sofrimentos, expectativas. É, de fato, a Páscoa de Cristo realizando-se na Páscoa do seu povo, no concreto da vida das pessoas

Publicado

em

Certamente não tínhamos celebrado a Semana Santa de um modo tão diverso, com grande insegurança, sofrimentos, expectativas. É, de fato, a Páscoa de Cristo realizando-se na Páscoa do seu povo, no concreto da vida das pessoas. Para você que, em casa, de alguma forma deseja celebrar esta Páscoa, se possível com a família, sugiro organizar um cantinho especial para rezar cada dia, com um pequeno altar.

A Semana Santa tem início com o Domingo de Ramos e da Paixão do Senhor e abriga no seu interior os dias mais sagrados do ano: o Tríduo Pascal. Nesse “tríduo do crucificado, do sepultado e do ressuscitado” (Santo Agostinho), a Igreja celebra os grandes mistérios da salvação da humanidade, realizados por Jesus Cristo: paixão e morte na cruz, sepultura e ressurreição dentre os mortos. 

Domingo de Ramos: memória da entrada festiva de Jesus em Jerusalém. Prepare ao menos 2 ramos, um para deixar no altar e o outro para colocar na porta de sua casa. Para abençoar os ramos, reze: Ó Deus de bondade, aumentai a fé dos que esperam em vós e ouvi as nossas preces. Apresentando hoje os nossos ramos ao Cristo vencedor, possamos frutificar em boas obras. Por Cristo, nosso Senhor. Amém. Em seguida, reze o Pai-Nosso.

Quinta-feira Santa: início do Tríduo Pascal, quando a Igreja convida seus fiéis a não se gloriarem senão na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, pois nele está nossa vida e ressurreição; foi ele que nos salvou e libertou (Gl 6,14). É a noite da instituição da Eucaristia, do Sacerdócio ministerial e do Mandamento Novo. Tudo é iluminado pelo lava-pés. Coloque no seu altar uma garrafa com água limpinha, e diga: Jesus, recordamos a noite em que deixastes a mesa e lavastes os pés dos discípulos. Este é um exemplo para nós. Ajudai-nos a viver o Mandamento Novo de nos amarmos uns aos outros como nos amastes. Amém. Em seguida, reze o Pai-Nosso.

Sexta-feira Santa: dia, em que “Cristo, nosso cordeiro pascal, foi imolado” (1Cor 5,7). A Igreja, com a meditação da paixão do seu Senhor e Esposo e adorando a cruz, comemora o seu nascimento do lado de Cristo que repousa na cruz, e intercede pela salvação do mundo todo. Coloque no seu altar uma Cruz, e reze três vezes, se possível, de joelhos: Nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e vos bendizemos porque pela vossa santa Cruz remistes o mundo. Em seguida, reze o Pai-Nosso.

Sábado Santo. Durante este dia a Igreja permanece junto do sepulcro do Senhor, meditando a sua paixão e morte, a sua descida à mansão dos mortos (1Pd 3,19). É dia de recolhimento, de esperar na oração e, se possível, no jejum, a ressurreição do Senhor. Pela manhã, pode-se acender uma vela para a oração, e diga: Cristo, Filho do Deus vivo, que pelo batismo nos sepultastes convosco, tornai-nos cada vez mais semelhantes a vós, no mistério da vossa ressurreição, para que vivamos a vida nova da graça. Amém. Em seguida, reze o Pai-Nosso.

Domingo da Páscoa na Celebração do Senhor. Quando o Sol se pôr, começará o grande Domingo da Páscoa. Esta é a noite da Ressurreição do Senhor. É o momento de acender a segunda vela:  A luz de Cristo que ressuscita resplandecente dissipe as trevas de nosso coração e da nossa mente. Amém. Em seguida, reze o Pai-Nosso.

No Domingo pela manhã, celebramos o Encontro de Jesus Ressuscitado com Maria Madalena, tornando-a, desse modo, Apóstola dos Apóstolos. Na oração da manhã podemos acender a terceira vela, dizendo: Jesus Ressuscitado é a Luz do mundo. Em seguida rezar o Creio e abençoar a casa com a água que foi colocada no altar doméstico, na quinta-feira Santa. Terminar rezando o Pai-Nosso. No almoço, servir essa água bendita.

A vocês, uma Semana abençoada, assumindo o compromisso de defender a vida, cuidando das normas sanitárias para lutar contra a propagação do novo Coronavírus.