Connect with us

Paraná Empreendedor

Dinheiro “Novo”: Única forma de crescimento da economia local

Quando palestrava, muitas vezes usei essa história para elucidar a importância das estratégias do gestor público de atrair novos investimentos

Publicado

em

Parece brincadeira, mas não é. Quando palestrava, muitas vezes usei essa história para elucidar a importância das estratégias do gestor público de atrair novos investimentos ou dar condição ao empresário para tal.

João deve R$ 1,00 a Pedro. Este deve R$ 1,00 a Antônio, que deve R$ 1,00 a João. Como esse círculo de devedores pode girar a economia, se cada um é devedor do outro, sem o devido pagamento? Somente com a captação de dinheiro novo.

João busca dois reais, para investimento e capital de giro. Paga a Pedro, que por sua vez paga a Antônio, que paga a João. Na segunda rodada, todos podem comprar à vista. Assim é o crescimento econômico. Quanto mais dinheiro circulando maior a riqueza.

Um estudo acadêmico de 2016, apresentado na Universidade Federal do Paraná pela doutoranda Dayane Pauli, mostrou as virtudes do crédito novo colocado na economia do Paraná. Inicialmente por meio do financiamento de infraestrutura, máquinas e equipamentos, a partir do Sistema de Financiamento aos Municípios (modelo iniciado em 1980, no qual participei da equipe que elaborou o programa), que tem a participação da Fomento Paraná, Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas e Paranacidade. E a partir de 2011, a Fomento Paraná se somou ao BRDE para potencializar financiamento às micro e pequenas empresas, reforçando a ação das cooperativas de crédito.

Esse conjunto de “dinheiro novo”, conforme o estudo de Pauli, tem um impacto positivo no PIB dos municípios, em torno de 1,25%, e na qualidade de vida, além de benefícios indiretos, como empregos e aumento de receita tributária. Os tributos incidentes sobre as obras públicas de infraestrutura chegam a cobrir os gastos com os juros do financiamento.

O estudo mostrou também que o microcrédito influencia na longevidade de empresas e oportuniza a criação de novos postos de trabalho.

O sistema estadual de fomento do Paraná tem participação significativa na carteira nacional de microcrédito e deve atingir uma marca histórica em 2020. Bem verdade, que isso deve-se à situação de dificuldade das empresas em face à pandemia de Covid-19.

Mas isso mostra que é vital que os setores públicos e privados criem condições para atrair dinheiro novo e de baixo custo para o desenvolvimento local e regional.

Por Juraci Barbosa Sobrinho.