conecte-se conosco

Maçonaria

Tempo e Perseverança (1)

Em Maçonaria, o tempo é o vivenciar, algo essencialmente benéfico. O que é positivo é eterno e permanece. O que é negativo é fugaz e transitório

Publicado

em

O segredo da Maçonaria

2022. O início de um novo ano, a sensação de passagem do tempo e de alternância de ciclos, proporcionam para muitos a oportunidade para refletir sobre o que tem sido possível fazer, o que não tem sido, e quais os planos para o futuro. 

Pensando livremente, poderíamos até especular que essa reflexão, análise e programação não deixa de ser uma espécie informal de planejamento estratégico individual que, no conjunto de pessoas, é até importante para mover, mais ou menos devagar, o progresso da humanidade ao longo do tempo.

O Maçom não deixa de perceber a vibração extraordinária destes dias, e vive natural e plenamente esses momentos especiais, tanto quanto qualquer outra pessoa. A diferença, para ele, é que a reflexão em busca do progresso, próprio e da Sociedade, é um dever constante, não estando portanto atrelado a momentos específicos do calendário.

Sendo idealmente apegado a investigar a “Verdade” através do estudo, em algum momento de sua jornada maçônica irá sentir a necessidade de tentar compreender também os muitos significados do “tempo”, físicos, filosóficos e/ou simbólicos. Entendida a “Verdade” como o objeto de busca tanto da Ciência quanto da Filosofia, ela representa para o Maçom a noção de um trabalho que não tem fim, mas que o próprio tempo tenta realizar. Isto ensina a ele que o tempo, a paciência e a perseverança o tornam capaz de realizar seus objetivos. 

Definido como medida intrínseca do movimento, como a duração relativa das coisas que cria no ser humano a ideia de presente, passado e futuro, como período contínuo no qual os eventos se sucedem, ou como a duração das coisas na sucessão dos dias, horas e momentos, o tempo está ligado, na Maçonaria, ao símbolo da perseverança bem dirigida ao cumprimento do dever.

“Perseverança” é uma qualidade, atribuível a quem demonstra pertinácia, constância e permanência, sendo constante e persistente na busca de um objetivo. A perseverança é sempre produto de uma boa resolução, de uma decisão imposta pela vontade. É considerada uma virtude, muito ligada na Maçonaria a manter-se constante (perseverar) na ação (vontade) visando adquirir o Conhecimento (objetivo). 

Certamente foi a virtude da “perseverança” que ajudou a humanidade a chegar à atual noção de “tempo”, o que demorou milênios. Confiando no constante progresso científico, pode-se dizer também que esta noção possivelmente ainda não seja a “correta” e muito menos a definitiva. 

De fato, a observação dos ciclos da natureza e dos astros que levou ao reconhecimento de que o tempo existe e deve ser medido foi uma das conquistas da inteligência que sobrepuseram o homem aos animais. “Se nunca tivéssemos visto as estrelas, o sol e o céu, nenhuma das palavras que pronunciamos sobre o Universo teria sido dita. Mas a visão do dia e da noite, e dos meses, e as revoluções dos anos, criaram um número e nos deram uma concepção do tempo, e o poder de indagar sobre a natureza do Universo.” (Platão).

O escritor José Barbosa Louro comenta que “As próprias impressões do ambiente davam ao homem uma noção de que deveria obedecer a uma ordem superior, pois as noites ocultavam os dias, o sol afastava o sono, as marés subiam e vazavam, as flores desabrochavam e murchavam, crianças ficavam jovens, os adultos envelheciam. Alguma coisa poderosa, incontrolável, eterna e muito impiedosa, controlava o ciclo da vida humana! Era preciso esclarecer e conhecer essa coisa ora amiga, ora adversa, palpável e abstrata – o Tempo.”

Em Maçonaria, o tempo é o vivenciar, algo essencialmente benéfico. O que é positivo é eterno e permanece. O que é negativo é fugaz e transitório. O tempo não é um prazo a ser cumprido, e o intervalo entre os acontecimentos não é moroso. “Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu.” (Eclesiastes 3:1)

Continuaremos a tratar do tempo e da perseverança, na próxima semana. 

(Com base em obras de N. Aslan, O. Luz, H. F. Sampaio Júnior, K. Ismail, J. B. Louro, António Jorge, também em www.freemason.pt, noesquadro.com.br, focoartereal.blogspot.com, cienciaecultura.bvs.br, bibliaonline.com.br, Wikipedia e definições do dicionário online Oxford Languages.)

Responsável: Loja Perseverança ([email protected]) – Jorn. Fernando Gerlach (DRT-PR nº 2327)