conecte-se conosco

Maçonaria

O AVENTAL MAÇÔNICO

Todo maçom usa, obrigatoriamente, um avental para fazer parte das reuniões na Loja, sem o avental não pode adentrar ao Templo.

Publicado

em

Todo maçom usa, obrigatoriamente, um avental para fazer parte das reuniões na Loja, sem o avental não pode adentrar ao Templo. Porém muita coisa é comentada sobre o avental, que é a vestimenta do maçom, particularmente, considero um dos símbolos mais importantes da Maçonaria. É a primeira insígnia recebida pelo maçom, símbolo maior de trabalho e indispensável em qualquer ato litúrgico. O maçom tem o primeiro contato com essa insígnia já na iniciação, quando na seção ritualística ele declara que grandes homens, verdadeiros benfeitores da humanidade, se honraram em usar. O avental traz muitos ensinamentos e funções, cabendo ao maçom utilizá-lo para sua evolução no desbastar da sua pedra bruta.

A vestimenta também representa o dever maçônico de trabalhar em prol do desenvolvimento tanto pessoal quanto da fraternidade e da humanidade, de estar sempre pronto e disposto à prestação de serviço a quem necessite. Fisicamente, seu uso é obrigatório durante as reuniões em loja, porém moralmente ele deve estar sempre presente na vida do maçom.

Como elemento material, os aventais têm como função primordial proteger o trabalhador. Esta proteção se faz contra cortes, perfurações, queimaduras e também às sujeiras. Com o mesmo propósito, ou seja, proteção, nós, Maçons Especulativos, só podemos adentrar ao Templo devidamente paramentados.

O primeiro desvio se dá pela deturpação do ato. Quando, por exemplo, um soldado coloca a farda, o capacete, o cinturão, o coturno, ele não está se enfeitando, está se vestindo adequadamente para o combate.

PARAMENTAR NÃO É SE ADORNAR; É COMPOR-SE DE FORMA ADEQUADA.

O avental é um elemento simbólico que nos protege das arestas, das pedras brutas e também das lascas que retiramos ou presenciamos na transformação da pedra que está sendo trabalhada.

Em lamentável ostentação, chegava-se às raias de desfilarem pelas ruas com seus aventais, após as reuniões. Para restaurar a dignidade e real simbologia do avental, em 1813 houve a padronização pela Grande Loja Unida da Inglaterra.

O avental é símbolo do trabalho. Ele nunca deve ser visto como conquista de status. É comum ouvirmos o chavão “- Sou um eterno Aprendiz”, mas nunca vemos algum Irmão voltar a usar o verdadeiro avental maçônico.

Em várias outras oportunidades, durante estes 300 anos, várias Potências, Obediências, Congressos se propuseram a normatizar as formas e padrões dos aventais. Cada qual chegou a uma conclusão conforme sua história, conhecimento e vícios.

Portanto, não há um consenso universal em tamanho, material e detalhes. Mas, por similaridade, sendo as Luvas Maçônicas objetos de proteção e testemunho do fervor e zelo, além de não diferenciarem conforme cargos e graus, o simbólico Avental do Verdadeiro Maçom é, simplesmente, branco.

Cumpre o papel que sempre cumpriu, a saber, o de servir como uma peça extra de proteção no manuseio, por exemplo, da pedra e até mesmo como um meio de transporte de pedras (e outros materiais) de um lugar para outro. O avental, dessa forma, está protegendo o Irmão das consequências do seu trabalho de aprimoramento constante e da eliminação de seus defeitos. Graças à proteção do avental, a roupa do Irmão, como se fosse sua reputação, está a salvo da sujeira representada pela poeira e os resquícios dos defeitos inerentes a todos nós, seres humanos.

Cumpre, sobretudo, o Avental, o seu papel de um dos mais importantes Símbolos da Maçonaria e de elo entre aqueles que o portam, como Irmãos Maçons, unidos, através dessa indumentária, pela fraternal amizade.

Yassin Taha

Dep. Federal GOB

Continuar lendo
Publicidade

Em alta