Connect with us

Legendado

“FUNDÃO DA VERGONHA”

Publicado

em

No cenário político atual, o que está em voga é se o presidente Jair Messias Bolsonaro vetará a proposta de novo valor para o fundo eleitoral que foi ajustado pelo Congresso Nacional, na semana passada, majorando o seu valor de R$ 1,7 bilhão para R$ 5,7 bilhões, o qual ocorreu durante a aprovação do projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) 2022.

O fundo eleitoral é, segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) “fundo público destinado ao financiamento das campanhas eleitorais dos candidatos” advindo dos fundos do Tesouro Nacional.

Ressalta-se que, no ano de 2015, o Supremo Tribunal Federal (STF) proibiu doações de pessoas Jurídicas para partidos e candidatos, causando assim, um estanque no principal meio de arrecadação para esse recurso das campanhas eleitorais, sobre o argumento de diminuição a influência do poder econômico no processo eleitoral brasileiro.

Desta feita, o Congresso Nacional, criou, em 2017, o fundo eleitoral partidário, para tentar compensar a falta das doações das pessoas jurídicas.

Ato contínuo, no ano de 2018, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) definiu as regras de distribuição dos recursos aos partidos, funcionando da seguinte forma: a) 2% do valor é dividido entre todos os partidos com registro no TSE; b) 35% é dividido entre os partidos que tenham ao menos um representante na Câmara dos Deputados; c) 48% é distribuído entre os partidos na proporção de suas bancadas na Câmara; d) 15% é dividido entre os partidos na proporção de suas bancadas no Senado.

Ocorre que para o pleito do ano de 2018 o fundo eleitoral contou com 1,7 bilhões de reais, o que se verificou muito inferior ao pleito eleitoral de 2014 foi de quase 5 bilhões de reais (quando ainda se recebia doações de pessoas jurídicas).

Destaca-se que a oposição se opôs ao aumento por sua inviabilidade diante do cenário econômico nacional e mundial, por estarmos enfrentando uma pandemia.

Assim, em uma análise humanística devemos nos conscientizar em um posicionamento crítico-construtivo, sem bandeiras político-partidárias, o porquê de não direcionar essa verba que querem acrescentar a um fundo eleitoral, para a política de melhoramento no valor do pagamento de auxílio emergencial tão necessário à população nesse triste período pandêmico em que tantas famílias perderam sua renda e vivem sem o mínimo existencial e sem dignidade.

Enquanto se volta a preocupação ao nababesco aumento ao fundo eleitoral, o povo continua padecendo por falta de vacinas, falta de vagas em hospitais, e falta de responsabilidade dos políticos no combate à pandemia.

Brasil, 23 de Julho de 2021. 546 mil mortos pela COVID-19.

*Com a colaboração dos Advogados Lívia Moura e Felipe Roque

Paulo Henrique de Oliveira é mestrando em administração pública, pós-graduado em direito administrativo, com MBA em gestão pública, extensões em ciências políticas, direito eleitoral e ciências sociais, e graduações nas áreas de administração de empresas, gestão de negócios, ciências políticas, e direito. É o Executivo do Podemos no Estado do Paraná, Ex Secretário de Saúde de Paranaguá, e atual Secretário de Saúde de Matinhos.

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.