conecte-se conosco

Fabiano Montez

Uma coisa é fato: a vida do empresário não é nada fácil

Publicado

em

Ele sofre, é cobrado pelo poder público (mesmo em épocas de recessão), conta moedas, não dorme, preocupado com as famílias que sustenta, vive mergulhado em preocupações e múltiplas estratégias para manter seu negócio em funcionamento.

Mas, ainda assim, muitos empregados acham que sua vida é fácil e que, assim que puderem, também querem abrir seu próprio negócio, fazer os seus horários e ficar com todo o dinheiro para si. Para contribuir com a ideia, são alimentados por matérias e fotos de celebridades, que mostram empreendedores desfrutando de um estilo de vida glamoroso, cheio de festas, champanhe e diversão. Ah se eles soubessem que não é nada  assim.

Para ser um empresário, não basta apenas querer. Claro que a vontade é importante, mas ter perfil e personalidade empreendedora é fundamental. Para quem está de fora, a “síndrome do guerreiro” é sensacional. Mas só quem vive 24h por dia, 7 dias da semana com a cabeça em trabalho, sabe quão difícil é suportar todas as adversidades, blindar a maldade e a inveja daqueles que chamo de “sugadores de almas empreendedoras”, que nunca moveram uma palha para terem sucesso, mas querem ter o que você conquistou com muito suor.

Quer empreender? Te dou todo o apoio. Somente tenha em mente que serão dias de muita dor, cobranças, injustiças, tropeços, emboscadas e vontade de voltar à mesa do escritório ou ao chão da fábrica alheia.

Mas, nem tudo é desvantagem. Se assim fosse, ninguém empreenderia, certo?

Empreender significa a satisfação individual de ter um negócio para chamar de seu, ser o seu próprio chefe e trabalhar, muitas vezes, com algo que desperta a sua paixão.

O que diferencia um empreendedor de outros profissionais é sua capacidade criativa, sua fome por aprender e a sua habilidade de se readaptar. Um empreendedor não se deixa dominar pela zona de conforto, até porque sabe que o sucesso do seu negócio depende do desenvolvimento contínuo.

E aí, pronto para tirar a ideia do papel? Ninguém empreende se não sair do campo das ideias!

Mantenha um propósito forte, com singularidade, paixão e estratégia. Tenha jogo de cintura para se adaptar aos diferentes cenários, esteja aberto às mudanças e aceite o contraditório. 

Queira sempre mais e busque o desenvolvimento constante. E por fim, acredite em seu projeto e suas ideias, mas sem descuidar dos feedbacks. O mercado é a melhor escola, é na prática que se aprende. Você só entenderá, de verdade, quais são os desafios e dificuldades, alegrias e satisfações de um empreendedor, se sentir na pele. E, acredite: apesar de tudo, vale a pena, arrisque-se…

Desejo dias abençoados, e vamos juntos!