conecte-se conosco

Esperançar

O combate a violência política de gênero

Publicado

em

A baixa representatividade e participação feminina na política nacional pode ser considerado um reflexo das desigualdades entre os gêneros presente em tantas esferas da sociedade brasileira. Entre os fatores de desigualdade que afetam a participação política das mulheres está a violência de gênero.

A violência política de gênero pode ser caracterizada como todo e qualquer ato com o objetivo de excluir a mulher do espaço político, impedir ou restringir seu acesso ou induzi-la a tomar decisões contrárias à sua vontade, além de práticas adicionais, como cerceamento da liberdade de expressão, intimidação na participação de espaços públicos e na atuação política, além da disseminação de fake news. Dessa forma, a violência política tem semelhanças com os discursos de ódio, já que usa mecanismos de poder e opressão contra pessoas com determinada identidade, como forma de reafirmar ameaças contra hierarquias tradicionais.

Precisamos incentivar a criação de uma nova cultura na qual não mais se admita a discriminação, a hostilidade, entre outras posturas depreciativas e violentas dirigidas às mulheres na política. As mulheres podem sofrer violência quando concorrem, já eleitas e durante o mandato!

A promoção de esforços coletivos na busca por ferramentas que impeçam a violência política de gênero implica evidente fortalecimento da própria democracia, tendo-se uma sociedade mais justa e igualitária, o que se transmuda em inequívocos benefícios para a coletividade como um todo.

Eu espero, não só espero, mas luto diariamente e trabalho para que as próximas mulheres, das próximas gerações possam ter seus direitos garantidos e não seja tão difícil para elas viverem em um ambiente político!

Continuar lendo
Publicidade