conecte-se conosco

Educação com Ciência

O cérebro reage ao afeto

O afeto positivo entre os humanos pode ser desenvolvido a partir do diálogo, onde a criança sente-se importante e pertencente ao contexto familiar.

Publicado

em

O bebê humano é a espécie que mais necessita dos cuidados maternos. Os mamíferos primatas se especializaram nos cuidados afiliativos ao longo dos anos. Entre os cuidados básicos, que a espécie Homo sapiens necessita, estão o de saciar a fome, proteger-se do frio e das intempéries ambientais.

Junto a estas necessidades básicas está o afeto positivo. Estudos realizados, previamente com ratos, mas que segundo os autores valem para os humanos, o carinho de mãe, aqui reconhecido como a quantidade de lambidas nos ratinhos, permitiram um aumento na capacidade da memória e nos processos de aprendizagem espacial dos filhotes.

O afeto positivo entre os humanos pode ser desenvolvido a partir do diálogo, onde a criança sente-se importante e pertencente ao contexto familiar; do olhar nos olhos, ação tão rara nos dias atuais, onde todos estão “ocupados” olhando para a tela de seus celulares, mas que permite, tanto aos filhos quanto aos pais, reconhecer detalhes que as palavras não são capazes de carregar e carícias, como: beijos, abraços e massagens. A via sensitiva envia os estímulos sensoriais ao cérebro, permitindo a liberação de substâncias moduladoras de afeto, como a ocitocina e a serotonina.

Apesar do cérebro humano nascer com milhares de células especializadas e estruturas capazes de permitir atuação na complexidade da vida, ele nasce imaturo, com necessidade de aperfeiçoamento. Esse aperfeiçoamento só ocorre em interação com o mundo, com as pessoas e com os desafios. Por isso, nosso cérebro é reconhecido como um cérebro social, àquele que evolui na interação, na troca com o outro e com o ambiente.

O conhecimento científico, assim como o ser humano, se modifica constantemente e, muitas novas descobertas têm entendido o poder do ambiente na formação do indivíduo, em seus aspectos psicológicos e afetivos.

A epigenética, área da biologia que estuda mudanças no funcionamento genético, vem demonstrando que até o genoma – sequência de DNA, pode ser modificado a partir de influencias recebidas do meio externo, ao longo da vida.

 

Continuar lendo
Publicidade

Em alta

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.