conecte-se conosco

Ciência e Saúde

Vacinação em Paranaguá não atinge índices adequados entre crianças e gestantes

Secretaria Municipal de Saúde lamenta baixa procura de alguns grupos prioritários

Publicado

em

A vacinação contra a gripe Influenza segue ocorrendo no sistema municipal de saúde. O foco principal da campanha foi a aplicação das doses nos grupos prioritários que envolvem crianças de seis meses a quatro anos de idade, idosos acima de 60 anos, gestantes, mulheres em pós-parto, profissionais de saúde, indígenas, professores em atividade e doentes crônicos. No entanto, desde 25 de junho, o Governo do Estado liberou a vacinação para todas as faixas etárias. Mesmo com o esforço da Secretaria Municipal de Saúde e Prevenção (Semsap) com divulgação e abertura das unidades de saúde do município em horário estendido para a vacinação, a imunização de grupos prioritários, principalmente de gestantes e crianças, não atingiu índices adequados. Ainda estão disponíveis cerca de mil doses para a população.

Segundo dados da Semsap, um total de 35.136 pessoas foram vacinadas em Paranaguá, dentro disso 22.802 pessoas dos grupos prioritários e 12.334 do público em geral. Com relação aos cidadãos que tinham prioridade na campanha, foram vacinadas cerca de 8,7 mil pessoas com doenças graves crônicas (respiratórias, cardíacas, renal, hepática, neurológica, diabetes, etc.), 11 mil idosos, 5,7 mil crianças, 2,6 trabalhadores da saúde, 1,3 mil professores, 842 gestantes e 243 puérperas. Além disso, cerca de 111 presos foram vacinados e 72 funcionários do sistema prisional. De acordo com a pasta municipal de saúde, o índice de vacinação dos grupos prioritários não foi adequado. 

Cerca de mil doses da vacina contra a gripe ainda estão disponíveis nas unidades de saúde de Paranaguá 
 

CERCA DE MIL DOSES AINDA NO ESTOQUE

De acordo com o Departamento de Epidemiologia da Semsap, ainda existem em estoque cerca de mil vacinas para serem aplicadas na população, sendo que a perspectiva é que elas sejam aplicadas e acabem na próxima semana. “Infelizmente, Paranaguá não alcançou os índices determinados para alguns prioritários, no entanto a equipe da Secretaria de Saúde fez todo o esforço necessário para atingir estas metas. As unidades de saúde ficaram abertas e em horário estendido à noite para aplicação das doses para a população”, explica o secretário municipal de Saúde e Prevenção, Paulo Henrique de Oliveira. 

“Infelizmente, há uma onda atual de pessoas que não querem se vacinar, mas isto é causado por falta de informação e preconceito, pois sabemos da eficácia comprovada cientificamente das vacinas que são oferecidas aos cidadãos para prevenir doenças e evitar que se agravem algumas delas, como é o caso da gripe”, lamenta Paulo Henrique. “O alerta é para que a população procure o nosso sistema de saúde para se vacinar, não só com relação à gripe, como também outras doenças. Estamos às vésperas de uma vacinação contra o sarampo e a poliomielite, que são doenças que estavam erradicadas do País, mas que estão ressurgindo depois de muito tempo”, finaliza o secretário. 

Secretário municipal de Saúde e Prevenção, Paulo Henrique de Oliveira, destaca que equipes da pasta fizeram todo o esforço necessário em prol da campanha de vacinação da gripe em Paranaguá

Continuar lendo
Publicidade