conecte-se conosco

Ciência e Saúde

Uso de remédios para emagrecimento sem orientação médica é um risco à saúde

Além de medicamentos, suplementos exigem orientação médica, assim como é necessária avaliação médica para ingressar na academia (Foto: Divulgação)

Publicado

em

Médico João Felipe Zattar Aurichio explica importância da avaliação física e de orientação médica para uso de suplementos

A comercialização de remédios para emagrecimento nas redes sociais e de forma presencial e a venda de suplemento para academia, sem nenhum tipo de orientação médica, podem se tornar um "veneno" para o metabolismo e para a saúde de quem ingere estes tipos de produtos. O médico João Felipe Zattar Aurichio explica a importância do acompanhamento clínico, quando o uso de medicação para emagrecer é indicado, bem como necessidade obrigatória da avaliação médica para posterior utilização de suplementos e prática de atividades físicas.

Segundo o médico Aurichio, a automedicação, seja ela para remédios para emagrecimento ou de qualquer outro tipo, é uma prática danosa para a saúde das pessoas. "Muitos medicamentos possuem efeitos colaterais e a barreira entre ele ser um veneno e trazer um benefício, às vezes, é muito pequena. Aqueles famosos remédios para gripe, comprados sem prescrição médica, podem ter em sua fórmula substâncias que aumentam a pressão arterial e a frequência cardíaca, como a fenilefrina. Imagine agora, um hipertenso ou cardiopata tomando esse medicamento. Além disso, essas substâncias interagem umas com as outras, o que pode tirar o efeito de muitas medicações contínuas utilizadas", explica.

De acordo com ele, há casos específicos para uso de remédio para emagrecer. "O tratamento clínico com medicamentos para o emagrecimento deve ser analisado após uma consulta minuciosa e, na maioria da vezes, após a realização de uma bateria de exames. Seu médico deve determinar se a sua obesidade não se deve a uma causa secundária, como, por exemplo, alterações hormonais, problemas renais, dentre outros. Após isso, deve-se tentar inicialmente uma mudança comportamental da alimentações aliada à prática de atividades físicas", destaca.

Segundo o médico, após todas estas tentativas, deve se cogitar usar ou não o medicamento. "Atualmente, há uma indicação teórica de que alguns perfis de pacientes que possuem IMC (Índice de Massa Corpórea) acima de 40 ou IMC acima de 35 com algumas comorbidades, como hipertensão, diabetes, osteoartrose, colesterol aumentado, podem se submeter ao tratamento cirúrgico, que seria a cirurgia bariátrica", afirma Aurichio.

"Muitos medicamentos possuem efeitos colaterais e a barreira entre ele ser um veneno e trazer um benefício, às vezes, é muito pequena", afirma o médico João Felipe

O comércio ilícito deste tipo de medicação nas redes sociais, Internet e de forma presencial pode ser denunciado às autoridades. "Você pode denunciar para a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) no endereço: portal.anvisa.gov.br e pelo telefone  0800 642 9782. Ou até mesmo, você pode entrar em contato com seu médico de confiança ou farmacêutico e relatar essa prática", complementa o profissional.

SUPLEMENTOS E ATIVIDADE FÍSICA

Outra prática bem comum atualmente é a compra e uso de suplementos para musculação e academia, seja para ganho de massa muscular ou emagrecimento, algo que, segundo Aurichio, deve ser feito somente após orientação médica. "Essas substâncias são medicamentos também, porém classificados na classe suplementar. Ou seja, eles podem trazer efeitos danosos para quem os utiliza de forma indevida. Muitos deles, por exemplo, podem possuir concentrações em excesso de proteína e fazer sobrecarga dos rins. Além do mais, muitos termogênicos possuem compostos que podem causar danos cardíacos e vasculares", complementa.

Segundo Aurichio, é essencial que todas as pessoas avaliem seu estado físico geral antes de ingressar na academia ou em qualquer outro tipo de atividade física. O médico irá avaliar o seu estado físico geral, mas principalmente, observar a sua capacidade cardiorrespiratória e a saúde das suas articulações. Muitas pessoas possuem problemas cardíacos congênitos, ou seja, nascem com ele. E, infelizmente, não sabem desse diagnóstico e matriculam-se em uma academia. Ao realizar qualquer tipo de esforço, eles podem evoluir para um problema maior", destaca. "Além disso, muitos 'atletas de fim de semana' apresentam lesões articulares por falta de condicionamento físico e ao entrar na academia acabam por lesionar mais ainda por não possuir orientação antes da prática do exercício", finaliza o médico.

Continuar lendo
Publicidade

Em alta

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.