Connect with us

Ciência e Saúde

Sarampo: vacina mudou nomenclatura ao longo dos anos

Aqueles que têm dúvida podem levar a carteira de vacinação até uma unidade de saúde

Publicado

em

O programa de vacinação contra o sarampo no Brasil teve início em 1972 e, dez anos depois, a Fiocruz lançou o primeiro lote da vacina produzida no País contra a doença. Já em 1984, foi iniciada em todo o País a vacinação de crianças até quatro anos de idade contra poliomielite, sarampo, difteria, coqueluche e tétano.

De acordo com o Ministério da Saúde, a vacina Tríplice Viral, que protege contra o sarampo, caxumba e rubéola, foi implantada no Brasil em 1992, em meio à Campanha Nacional contra o Sarampo. No mesmo ano, também foi disponibilizada a vacina anti-hepatite B para grupos de risco e lançado o Plano de Eliminação do Tétano Neonatal.

Algumas pessoas podem ficar em dúvida quanto às doses, já que a vacina contra o sarampo mudou de nomenclatura ao longo dos anos. No início, ela era aplicada de forma isolada. A situação mudou com a implantação da Tríplice Viral.

A superintendente de Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde, Eleniz Mendes, explicou que quem tomou as doses certas das vacinas contra sarampo e/ou Tríplice Viral está imunizado.

“Os mais antigos têm escrito sarampo na carteira, isso porque a vacina mudou de nomenclatura devido a estudos”, esclareceu Eleniz.

Para quem tiver dúvidas, o ideal, portanto, é levar todas as carteiras e comprovantes de vacinação que tiver guardado até alguma unidade básica de saúde.

“A carteira de vacinação é o único comprovante de todas as doses. Além de ser um documento, mas muitas pessoas não têm o hábito de guardar”, afirmou Eleniz.

Atualmente, a vacina tetra viral também previne contra o sarampo e deve ser aplicada em crianças com 15 meses de vida. Além do sarampo, a tetra viral também previne rubéola, caxumba e varicela/catapora.

A vacina tríplice viral está disponível nos postos de vacinação do Sistema Único de Saúde (SUS) em todo o Brasil

DOSES EXTRAS

Segundo a Agência Brasil, as secretarias de Saúde de todos os Estados começaram a receber esta semana as doses extras da vacina tríplice viral, para garantir a imunização contra o sarampo em todas as crianças de seis meses a 11 meses e 29 dias. De acordo com o Ministério da Saúde, 1,6 milhão de doses estão sendo distribuídas.

Desse total, 960 mil e 907 doses foram enviadas para os 13 Estados que estão em situação de surto ativo de sarampo. São Paulo, que concentra 99% dos casos e registra uma morte pela doença este ano, recebeu o maior número de doses (56%).

A vítima foi um homem de 42 anos que não tinha recebido nenhuma dose ao longo da vida. Além disso, o indivíduo tinha histórico de comorbidade, ou seja, um quadro com várias doenças. Nessa faixa etária, ele precisava ter ao menos uma dose da vacina.

O Ministério da Saúde informou que tem atuado de forma integrada com os Estados e municípios para intensificar as ações de cobertura vacinal na rotina, além das vacinações de reforço nas crianças, que é a faixa etária com maior risco para complicação em decorrência da doença e de bloqueio.

A vacina tríplice viral está disponível nos mais de 36 mil postos de vacinação do Sistema Único de Saúde (SUS) em todo o Brasil.

Continuar lendo
Publicidade

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.