conecte-se conosco

Ciência e Saúde

Paranaguá tem 1.318 doses da vacina contra meningite disponibilizadas gratuitamente

Vacina meningo C é disponibilizada na rede pública, já as vacinas meningo B e ACWY só são disponibilizadas na rede privada por orientação do MS

Publicado

em

Vacina meningocócica C é disponibilizada na rede pública, já as vacinas meningo B e ACWY só são disponibilizadas na rede privada por orientação do Ministério da Saúde

A vacina meningocócica conjugada sorogrupo C (meningo C), que protege contra a meningite bacteriana causada pelo sorogrupo C, está disponível em todas as unidades básicas de saúde (UBS) de Paranaguá para crianças que devem ser imunizadas com três doses aplicadas aos três meses de idade, cinco meses e 12 meses, sendo que posteriormente, dos 11 aos 14 anos, a dose é única. Segundo os dados da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), atualmente a rede municipal conta com 1.318 doses e todas as unidades estão supridas com a vacina.  

“As vacinas estão disponíveis em todas as UBS. A faixa etária para tomar a vacina é preconizada pelo Ministério da Saúde. Não está liberada para todas as faixas etárias. As crianças devem ser vacinada com três doses. Aos 3 meses, 5 meses, 12 meses. Dos 11 anos a 14 anos é dose única. Na rede de frios da SEMSA estamos com 1.318 doses e todas as UBS estão supridas com a vacina”, explica a assessoria da Prefeitura de Paranaguá. 

De acordo com o município, houve aumento da procura pelas doses da meningo C após o óbito de uma criança com cerca de dois anos de idade por suspeita de meningite bacteriana, algo que ainda está sendo analisado por comissão de investigação da Prefeitura e Secretaria de Estado da Saúde (Sesa). “As doses recebidas pelo Estado atendem a toda demanda do município”, complementa. 

MÉDICO DESTACA EFICÁCIA DA VACINA 

O médico João Felipe Zattar Aurichio explica que a meningo C é uma vacina gratuita disponível pela rede pública e alcança exatamente ao tipo de meningite C que é a mais prevalente pela infecção causada pela bactéria neisseria meningitidis, que inclusive é a mais incidente e a que mais há no nosso meio. “A vacina meningo C protege os pacientes de quase 60% dos casos de meningite bacteriana. Pelo Ministério da Saúde, ela deve ser feita em duas doses e dois reforços. A primeira dose deve ser feita aos três meses de idade, a segunda aos cinco meses e a primeira dose de reforço aos doze meses a quatro anos de idade. A segunda dose de reforço, completando quatro, deve ser feita dos 11 aos 14 anos”, explica. “Toda criança deve tomar esta vacina, ela só não irá tomar se tiver algum tipo de infecção na hora em que for tomar a vacina”, detalha. 

Segundo o médico, a vacina meningo C entrou no calendário de vacinação do Ministério da Saúde (MS) em 2010. “O público-alvo, os grupos de risco, são as crianças, que são as mais afetadas pela meningite do tipo C que podem morrer. Adulto pode morrer, porém a chance é muito menor do que uma criança. As vacinas que temos na rede pública são para crianças de até dois anos, a preferência é delas, se o seu município vacinou todo mundo que deveria vacinar com esta idade, aí ela pode liberar esta vacina para outras idades”, explica Zattar. 

De acordo com o médico, há outras vacinas que são disponibilizadas na rede privada de saúde, a meningo B e a ACWY, que ampliam a cobertura vacinal contra a doença, porém, segundo ele, as duas doses estão fora do Programa Nacional de Imunização (PNI). “A situação financeira de cada pessoa é diferente. Se você tem condição financeira de bancar esta vacina dê aos seus filhos, é mais uma proteção. É importante destacar cuidados com higiene, contato com outras crianças, entre outros, com boa alimentação, fazendo todas as outras vacinas”, explica Zattar.

SURTO DE MENINGITE DESCARTADO EM PARANAGUÁ 

Em coletiva realizada na Prefeitura de Paranaguá na segunda-feira, 15, autoridades de saúde descartaram a possibilidade de um surto de meningite no município após a morte por suspeita de meningite bacteriana de um menino com cerca de dois anos no sábado, 13, no Hospital Regional do Litoral (HRL). “Se você tem uma alta cobertura vacinal, quer dizer que a população está imunizada. Por isso, quando não temos uma alta cobertura, podemos ter surto. Não existe o surto, mas existe o risco, como qualquer outra doença”, destaca a chefe de Vigilância Epidemiológica da 1.ª Regional de Saúde, Solange Southier

Segundo o médico Adão Rodrigues, diretor médico da Semsa, os sintomas que o paciente apresenta para se suspeitar de meningite são os seguintes: “Os clássicos são febre alta, dores de cabeça, dor no corpo, irritabilidade, náuseas, vômitos, rigidez de nuca e manchas no corpo. Para fechar o diagnóstico, fazemos o exame de líquor e mandamos ao laboratório. O tratamento já pode começar com a observação do quadro clínico, com antibióticos”, destaca. 

COBERTURA VACINAL NO ESTADO

A meta definida pelo Programa Nacional de Imunizações é de 95% de cobertura vacinal dos grupos de risco (Foto: Divulgação) 

A cobertura vacinal no Paraná, apesar de alta, ainda não é a ideal. Para crianças menores de um ano, o Estado possui 82,81% do público imunizado. Em crianças de um ano, a cobertura é de 86,86%. No entanto, a meta definida pelo Programa Nacional de Imunizações é de 95% de cobertura nesta faixa etária. Os dados tratam-se de informações preliminares divulgadas pelo SIPNI (Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações).

A Sesa informou que a vacina meningocócica C esteve com o envio reduzido, no período de abril de 2018 até fevereiro de 2019. A partir de março de 2019 a situação foi normalizada. “A SESA está atenta a esse problema e em conjunto com as Regionais de Saúde e municípios tem realizado todos os esforços possíveis para garantir o monitoramento do estoque de imunobiológicos e quando necessário remanejamento da vacina o mais rápido possível para evitar o desabastecimento no Paraná”, frisou a Sesa.

ESQUEMA VACINAL

O esquema vacinal para crianças compreende uma dose aos três meses de vida e outra aos cinco, com intervalo de 60 dias entre as doses. É necessário ainda aplicar um reforço de uma dose aos 12 meses de idade. A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) esclarece que o Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde (PNI/MS) organiza toda a política nacional de vacinação da população brasileira, incluindo a definição das vacinas nos calendários e das campanhas nacionais de vacinação, as estratégias e as normatizações técnicas sobre sua utilização, bem como o provimento dos imunobiológicos definidos.

“Estas decisões estão respaldadas em bases técnicas, científicas, logísticas, em evidência epidemiológica, eficácia e segurança do produto, somados à garantia da sustentabilidade da estratégia adotada para a vacinação, com orientações específicas para crianças, adolescentes, adultos, gestantes, idosos e indígenas. A vacina meningocócica C está preconizada pelo PNI no Calendário Nacional de Imunização para a faixa etária de menor de 1 ano e de até 1 ano. Ainda no calendário nacional de vacinação, a vacina está disponível para os adolescentes na faixa etária de 11 a 14 anos de idade”, finaliza a Sesa.
 

Continuar lendo
Publicidade

Em alta

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.