Logotipo

Cresce número de casos de HIV nas praias

27 de agosto de 2017

Guaratuba, Pontal do Paraná e Matinhos alertaram autoridades de saúde

Compartilhe

Todos os anos, o Brasil registra novos casos de HIV e no litoral do Paraná isso não é diferente. A 1.ª Regional de Saúde fez um alerta para que a população das praias se previna contra o vírus, já que o maior aumento se deu nos municípios de Guaratuba, Matinhos e Pontal do Paraná. O que é atribuído não só à falta de proteção na relação sexual, como também ao incentivo à procura pelos testes rápidos.

“A grande preocupação é que tem aumentado muito o número de casos de HIV nas praias, Guaratuba, Matinhos e Pontal do Paraná. Temos observado isso ao longo dos anos e esse é um fator preocupante no litoral”, declarou a chefe da 1.ª Regional de Saúde, Ilda Nagafuti.

Paranaguá aparece na sequência dos municípios citados, ficando em 4.º em surgimento de novos casos no litoral. “Paranaguá se mantém em incidência, entre os maiores do Estado, mas a nossa preocupação está voltada para as praias. Provavelmente há ligação com detecção precoce, pois está sendo disponibilizado o teste rápido. A partir do momento da descentralização e do teste rápido, melhora o diagnóstico e surgem os casos”, atribuiu Ilda.

Dos três municípios praianos, Guaratuba está com maior incidência, seguido de Pontal do Paraná, Matinhos e Paranaguá. Desta forma, a região litorânea ainda de destaca em casos de HIV em comparação a outras cidades do Estado. “O diferencial que temos, de praias e de porto, essas características acabam favorecendo o aumento das doenças sexualmente transmissíveis e mesmo das doenças infectocontagiosas”, acrescentou Ilda.

Segundo a profissional, cada um dos municípios tem se organizado com suas unidades de saúde para distribuição de preservativos, focadas em práticas de prevenção. “Hoje, o preservativo é o principal instrumento para prevenção da AIDS e das doenças sexualmente transmissíveis de forma geral”, afirmou.

O alerta também é feito para a sífilis, uma DST que está voltando a preocupar as autoridades em todo o Brasil. “Do ponto de vista da saúde pública é preocupante, a nível regional também está aumentando”, informou Ilda.

DADOS

Em todos os sete municípios do litoral abrangidos pela 1.ª Regional de Saúde, entre o público adulto, houve um acréscimo de 236 casos de HIV em 2013, 457 em 2014, 226 em 2015, 173 em 2016, e 94 em 2017. Já entre as crianças, o acréscimo foi de dois casos em 2014 (ambos em Matinhos), três casos em 2015, e um caso em 2017.

Paranaguá teve um acréscimo de 214 novos casos de HIV em 2013, 376 em 2014, 171 em 2015, 120 em 2016 e 55 em 2017. Esses dados são referentes a adultos, pois crianças também foram infectadas, três delas em 2015 e um caso em 2017.

O teste rápido para o HIV está instituído nos exames de rotina do pré-natal das gestantes. Se for constatado, o bebê recebe o tratamento no parto, que segue por mais 30 dias e consegue ficar em situação não detectável. “Isso nos deixa mais confortáveis, porque a maioria desses casos que detectamos no pré-natal, as crianças não desenvolvem a doença”, afirmou Ilda.

 


Chefe da 1.ª Regional de Saúde, Ilda Nagafuti, salientou a importância do uso do preservativo para evitar essa e outras DSTs

 

O teste rápido está disponível em todos os municípios do litoral, basta que os moradores procurem a unidade de saúde mais próxima e se informem. O resultado fica pronto em 30 minutos.


Colunistas