conecte-se conosco

Ciência e Saúde

Guaratuba registra aumento súbito de casos de vômito e diarréia

Principais formas de prevenção são a higiene, evitar a ingestão de água do mar e rios

Publicado

em

Foto: Prefeitura de Guaratuba

Na tarde da terça-feira, 4, a Prefeitura de Guaratuba, através da Secretaria Municipal de Saúde, emitiu alerta do  aumento súbito de casos de diarréia e vômito no município com atendimento no Pronto Socorro Municipal. Segundo o secretário municipal de Saúde, Gabriel Modesto, 80% dos atendimentos que estão sendo realizados no Pronto Socorro são relacionados aos sintomas intestinais já relacionados, que possuem prevenção por meio de higienização constante de mãos e alimentos, não-ingestão da água do mar e rios, frequentar estabelecimentos comerciais aprovados pela Vigilância Sanitária, armazenamento de alimentos com refrigeração correta, assim como recomendação do uso de máscara.

“Em decorrência deste aumento súbito de pacientes, houve tempo maior de espera para o atendimento, mesmo com a presença de mais médicos escalados para o atendimento. Todos os pacientes foram atendidos e receberam tratamento adequado, com prioridade para os casos de emergência como infartos, cortes com sutura, vítimas de acidentes, afogamentos, entre outros”, explica a prefeitura.

De acordo com Modesto, foi realizado um trabalho conjunto entre a pasta municipal e equipe do Pronto Socorro com o intuito de melhorar o tempo de resposta para atendimento. O secretário explica que foi criado um Plano de Contingência da Secretaria de Saúde para atendimento a este paciente. Entre as principais medidas, constam a alteração do fluxo do Pronto Socorro, com um novo espaço destinado para observação dos casos de diarreia e vômitos e soroterapias, assim como atendimento pediátrico no Hospital Municipal, antiga Santa Casa, que foi reforçado e atenderá crianças de 0 a 12 anos, de segunda a sexta feira, em horário comercial.”As Unidades Básicas de Saúde prestarão atendimentos aos pacientes de suas áreas de abrangência”, complementa.

Formas de prevenção

De acordo com o município, o aumento de casos está relacionado a principalmente fatores como ausência de higiene das mãos, ingestão de água contaminada ou de alimentos não adequados. “Os médicos Edison Rodrigues da Silva Junior, do Pronto Socorro Municipal, e Hermínio Molinari, diretor da Vigilância Sanitária, recomendam: Higiene correta das mãos; Evitar tocar o rosto com as mãos sujas ou não lavadas; Usar álcool em gel; Frequentar estabelecimentos cuja higiene seja comprovada por meio da licença sanitária; Evitar ao máximo ingerir água do mar ou de rios; Evitar alimentos gordurosos; Fazer a limpeza da caixa d’agua; Armazenar os alimentos refrigerados corretamente”, completa a assessoria.

Estabelecimentos comerciais onde as pessoas observarem irregularidades na higiene e conservação de alimentos, podem ser denunciados à Vigilância Sanitária no WhatsApp (41) 3472-8683. “Mesmo em sua residência, evite consumir água que não seja potável e alimentos que não estejam devidamente conservados ou estejam com seus caracteres alterados”, informa a pasta.

Uso de máscara e hidratação

“O uso de máscaras também é recomendado porque, mesmo não sendo um vírus que se transmite pela respiração, a máscara ajuda a não tocar no rosto, evitando a contaminação. O cuidado em relação à ingestão de líquidos também é importante. É preferível tomar água filtrada, fervida, água mineral ou com os padrões da Sanepar. Em casos de contaminação, o ideal é evitar bebidas alcoólicas, refrigerantes e excesso de sol”, detalha o município.

Segundo a prefeitura, em casos de diarréia e vômito, a hidratação e a reidratação são essenciais. “Em último caso, procure por atendimento médico, no Pronto Socorro, Unidades Básicas de Saúde e Hospital Municipal”, detalha.  “Importante salientar que água fornecida pela Sanepar é adequada para o consumo”, afirma a prefeitura, destacando amostras da água para atestar qualidade em diversos pontos do município.

“A Secretaria de Saúde está procedendo com as notificações e coleta de material para determinar qual tipo de vírus está circulando e qual é a sua fonte. Quando ocorrem vários casos na cidade, sem um fator determinante, sempre é atribuído à uma epidemia de algum tipo de vírus, tal situação já foi registrada em anos anteriores, sobretudo no período de verão”, finaliza a Prefeitura de Guaratuba.

Com informações da Prefeitura de Guaratuba