Logotipo

Porto de Paranaguá incentiva turismo comunitário no litoral

21 de janeiro de 2018

Equipes do porto ouviram as demandas das comunidades em audiências públicas

Compartilhe

Acompanhar o nascer do sol embarcado na baía de Paranaguá, tomar o café caiçara na Ilha de Piaçaguera, almoçar o famoso siri de São Miguel e curtir o final de tarde na Ilha do Mel: o turismo comunitário é uma tendência e no litoral do Paraná a atividade é incentivada pela Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) e pela comunidade portuária.

Hoje, o Porto de Paranaguá e as empresas que operam nele têm projetos diversos na difusão da atividade turística local. Desde obras para reconstrução dos trapiches que dão acesso às 11 comunidades ilhadas da Baía de Paranaguá, até orientação às famílias com práticas que podem impulsionar o turismo local.

A ação, além de ajudar a promover uma fonte de renda para os moradores na região, profissionaliza a recepção aos turistas.
Segundo relatório do Ministério do Turismo, os programas de incentivo das redes comunitárias de visitação podem até dobrar a renda das famílias locais, já que a atividade de recepção de turistas pode ser feita simultaneamente aos trabalhos tradicionais.

 

ATIVIDADES 

Com o trabalho da Rede Caiçara de Turismo, por exemplo, visitantes do litoral têm acesso a uma grade de atividades que as comunidades de Eufrasina, Ilha dos Valadares, Piaçaguera, Ponta do Ubá e São Miguel, por exemplo, têm à disposição. Desde prática de caiaque e passeio ciclístico pelas comunidades até um fim de semana acampando em uma das ilhas.
O Terminal de Contêineres de Paranaguá (TCP) é uma empresa que promove a atividade, com orientações às comunidades e facilitando o contato delas com os turistas.

 

ESTRUTURA 

Mas o incentivo ao turismo local vai mais além. Para que todas as comunidades e ilhas possam desenvolver o potencial que têm, 14 trapiches de 10 comunidades ao redor da Baía de Paranaguá serão reformados.

O projeto da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) prevê que todas estas estruturas sejam totalmente renovadas, segundo os padrões internacionais de segurança e acessibilidade. Serão investidos R$ 10 milhões nas novas estruturas.
“Esta é uma proposta inédita para as ilhas que estão no entorno da área portuária. O turismo local é uma importante atividade econômica para a região e queremos contribuir de forma sustentável com isso”, afirma o diretor-presidente da Appa, Luiz Henrique Dividino.

Ao longo do último trimestre de 2017, equipes do porto ouviram as demandas das comunidades em audiências públicas para desenhar a proposta final dos projetos executivos. A Ilha do Mel, por exemplo, segundo maior destino turístico do Paraná, vai receber dois trapiches, um na praia de Encantadas e outro em Brasília.

 

SERVIÇO 

A programação, os cardápios e valores dos passeios das comunidades podem ser conferidos no site https://redecaicara.wordpress.com

 

AEN


 

Fotos

Compartilhe

Colunistas