conecte-se conosco

Trânsito

Empresa denuncia transporte clandestino de passageiros entre Matinhos e Pontal do Paraná

Veículo ilegal transportando passageiros em área central de Matinhos (Foto: Divulgação)

Publicado

em

Veículos particulares estariam ilegalmente oferecendo transporte nos pontos de ônibus
 

Na quarta-feira, 4, a empresa de transportes Viação Graciosa denunciou a existência de um transporte clandestino de passageiros entre Matinhos e Pontal do Paraná. O gerente de operações da empresa, João Carlos Schneider de Oliveira, ressaltou que motoristas, sem nenhuma autorização do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), estão oferecendo transporte ilícito na área central de Matinhos até o balneário Praia de Leste, em Pontal do Paraná. A medida, segundo o gerente, coloca em risco a integridade física e a vida dos passageiros, visto que veículos particulares não passam por nenhuma avaliação mecânica, não possuem licenças e motoristas não passam por nenhum tipo de teste, sem nem mesmo comprovação se estão dirigindo alcoolizados ou sob efeito de drogas.

“Eles estão utilizando automóveis, fazendo um falso Uber. Ali em Matinhos, perto da Caixa Econômica Federal, na área central, tem um ponto de ônibus que concentra um grande número de pessoas, até mais do que na Rodoviária. Próximo ao horário do ônibus passar, estas pessoas vão lá com seus automóveis nos pontos de ônibus, aliciam os passageiros e transportam”, destaca o gerente. Segundo ele, o valor cobrado ilegalmente é de R$ 6,00, enquanto a empresa legal de transporte cobra R$ 6,35. 

“Eles colocam quatro pessoas dentro do carro e saem. A atividade começou com três carros, hoje já são cerca de 10 atuando de forma totalmente irregular, sem segurança para quem embarca, bem diferente do transporte intermunicipal do ônibus, que garante no nome da Viação Graciosa o seguro, identificação do motorista, tem toda segurança, ao contrário do automóvel, que o cidadão nem sabe com quem está viajando e se acontecer alguma coisa, não tem para quem reclamar”, completa.

Segundo João Carlos de Oliveira, o transporte ilegal foi detectado no final de março, sendo, no início de maio, documentada uma denúncia ao DER, que é o órgão fiscalizador de transporte, sendo uma nova denúncia realizada recentemente. "Realizamos duas denúncias e estamos aguardando as providências do DER", completa. De acordo com o gerente, um fiscal do DER esteve nesta quinta-feira, 05, fiscalizando este tipo de transporte ilegal em Matinhos. "O modo de operação destes motoristas ilegais já foi sofisticado. Há um senhor que arrecada dinheiro dos passageiros e, ao arrecadar dinheiro suficiente, ele chama por telefone o carro ilegal para levá-los", explica.

“Qualquer empresa regular, como a nossa, o usuário tem a garantia de saber com quem está sendo transportado, tem toda a identificação da empresa responsável, que toma todas as medidas, avaliações físicas, psicológica e profissional e treinamentos com os motoristas para direção defensiva e atendimento ao público, para atender o passageiro da melhor forma possível. Frequentemente utilizamos bafômetros, fazemos inspeções nos veículos e fazemos avaliações-surpresas com nossos motoristas. Quando você embarca em um carro ilegal você nem sabe se o motorista é habilitado, não sabe a condição de saúde dele, não sabe se bebeu ou não, se está usando drogas, seja lá o que for. Não há garantia nenhuma de segurança. Se paga uns centavos a menos, mas não se sabe o risco que está ocorrendo e se irá chegar bem no seu ponto de destino”, complementa.

Segundo empresa, transportadores ilegais estão agindo criminosamente, ameaçando fiscais e atuando sem nenhuma licença do DER (Foto: Divulgação)

AMEAÇAS AOS FUNCIONÁRIOS 

“A previsão legal é o decreto do DER do Governo do Estado, fiscalizador, que só permite que o transporte de passageiros regular intermunicipal seja feito por empresas autorizadas pelo DER. Se não é autorizada é clandestina”, explica o gerente. “Este transporte ilegal entre Matinhos e Praia de Leste está tomando uma forma de milícia. Dias atrás, a fiscalização estava lá de olho, monitorando e registrando, e chegou um grupo de pessoas e ameaçou a nossa fiscalização, colocou todos literalmente para correr. Ameaçaram de agressão e eles para não apanharem daquele grupo tiveram que ir embora”, explica. 

Segundo o gerente de operações, João Carlos Schneider de Oliveira, o principal alerta aos cidadãos do litoral é para que somente utilizem o transporte legal concedido pela Viação Graciosa, evitando veículos ilegais. “Dentro de um ônibus há todas as garantias legais em caso de acidentes e em qualquer coisa que aconteça, o que ele jamais vai ter em transporte clandestino”, finaliza.

Continuar lendo
Publicidade

Em alta