Connect with us

Caos Ferroviário

Alunos da Escola Berta Elias são prejudicados por manobra de trem

Empresa Rumo ALL afirma seguir todas as normas vigentes

Publicado

em

Os moradores no bairro Emboguaçu, os quais possuem crianças matriculadas na Escola Municipal Professora Berta Rodrigues Elias, têm passado por dificuldades para levar ou buscar os filhos na escola. Os horários de maior movimento na região, que são aqueles de entrada e saída dos alunos, têm coincidido com a manobra dos trens de carga da empresa concessionária da linha férrea Rumo ALL.

Em outros locais, o problema se repete. Como é o caso das avenidas Roque Vernalha, Bento Rocha e Ayrton Senna, lugares que são evitados pela população para não correr o risco de perderem tempo aguardando pela passagem dos vagões.

Os pais dos alunos precisam esperar quase todos os dias pela passagem para poder atravessar até a escola, mas, muitas vezes, a espera é longa, tanto que os alunos chegam atrasados para a aula. A situação, segundo os moradores, fez mudar a rotina dentro de casa para evitar a longa espera e garantir que as crianças cheguem no horário correto à escola.

 


Crianças se arriscam para tentar passar antes do trem

 

Essa é a realidade de Elisa Gisele dos Santos Veiga, moradora no Emboguaçu. Todos os dias ela precisa levar seu filho à escola e se depara com o problema. “Tem atrapalhado bastante. Sempre no horário de entrada o trem para e as crianças ficam paradas esperando a manobra. Prejudica eles e os pais que precisam trabalhar e têm horário para cumprir. Quando eu vejo se está vindo o trem, eu já evito e prefiro levar antes, caso contrario é só dor de cabeça. Teve um dia que fiquei até duas horas da tarde”, disse. Os portões da escola abrem às 13h20. Elisa lembrou ainda que esta situação é antiga. “Sempre foi assim, mas de uns tempos para cá ficou pior, pois está passando mais vezes. As mães estão cobrando a diretora, mas é difícil”, afirmou.

A também moradora no Emboguaçu, Rafaele Cabral Bezerra, disse que as crianças se acumulam à beira do trilho à medida que a espera aumenta. “O trem começa a passar por volta de 13h15 e elas acabam chegando atrasadas. Semana passada cheguei a ficar uma hora esperando para poder passar. Uma criança já se machucou aqui, correu para tentar atravessar antes do trem e acabou caindo. Não temos segurança”, disse.

 


Pais e alunos dizem que a situação ocorre sempre nos horários de pico

 

RUMO ALL

Contatada para esclarecer o problema exposto pelos moradores, a assessoria de imprensa da concessionária Rumo ALL informou que suas operações seguem todas as normas vigentes e que procura causar o menor impacto possível à população.

Quanto aos horários de tráfego de trens, a concessionária ressaltou que é preciso considerar que toda ferrovia de carga funciona 24 horas por dia. “Desta forma, é importante destacar que os horários de circulação dos trens dependem das operações de carregamento e descarregamento entre outros fatores”, acrescentou em nota a assessoria.

Com relação à segurança ferroviária dos munícipes, a Rumo ALL considerou que realiza campanhas com o objetivo de divulgar, sensibilizar e conscientizar a população sobre os cuidados que devem ser tomados em relação à linha férrea. As ações contam com palestras, blitze educativas em passagens em nível (cruzamentos de ruas com a linha férrea), distribuição de materiais informativos e momentos de confraternização com a comunidade.

Continuar lendo