Connect with us

Trabalho

Porto de Paranaguá lembra os 116 anos de organização dos estivadores

Atualmente, são cerca de 1.100 estivadores ativos no porto paranaense. Presidente da Estiva, João Lozano e Everson leite, secretário da Estiva, comemoram a data (Foto: Claudio Neves/ Portos do Paraná)

Publicado

em

Trabalho dos estivadores, no município, começou no antigo atracadouro da Rua da Praia

O Porto de Paranaguá lembrou na sexta-feira, 13, o aniversário de 116 anos de organização da categoria dos estivadores no Paraná. Fundado em 1903, o Sindicato dos Estivadores de Paranaguá (Sindestiva) foi um dos primeiros do País. É a classe de Trabalhador Portuário Avulso (TPA) mais antiga de Paranaguá. Atualmente, são cerca de 1.100 estivadores ativos no porto paranaense.

Estivador é o profissional que trabalha na carga e descarga dos navios, que movimenta a mercadoria entre o porão do navio e o convés. Também atua a bordo da embarcação ou, em caso das operações de veículos, leva o carro do cais até o interior do navio.

“Os trabalhadores que atuam em Paranaguá são muito qualificados e esse é um dos diferenciais do nosso porto”, afirma o diretor-presidente da Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia. “A mão de obra altamente capacitada garante agilidade e segurança nos serviços, sendo reconhecido por nossos clientes em todo o mundo”, destaca.

“Somos considerados a melhor Estiva do Brasil e isso se confirma nas operações de celulose ou automóveis, nas quais estamos em primeiro lugar por não registrarmos quase casos de avarias à carga”, afirma o presidente do Sindestiva, João Antonio Lozano Batista.

Além de qualificada, por passar por frequentes cursos de capacitação, ofertados pelo Órgão Gestor da Mão de Obra (OGMO), a Estiva de Paranaguá, segundo o presidente, trabalha com muito amor à profissão. “Como presidente fico orgulhoso de ver a nossa estiva elevando esse nome para todo o País e para o exterior. Quando o porto bate um recorde, temos que lembrar que atrás desses números existem os trabalhadores, os estivadores que atuam nos navios de carga geral, de automóveis, de fertilizantes”, pontua Lozano.

HISTÓRIA

A Estiva é a classe de Trabalhador Portuário Avulso (TPA) mais antiga de Paranaguá e existia antes mesmo do Porto Dom Pedro II. Os trabalhos dos estivadores, no município, começaram no antigo atracadouro da Rua da Praia, na Praça do Guincho.

A atividade, que antes passava de pai para filho por afinidade e indicação, atualmente exige concurso. A última turma de estivadores a ingressar na profissão pelo Sindestiva é de 1991. Everson Fernando Leite de Farias, diretor-secretário do Sindicato, faz parte do grupo. Ele é neto e filho de estivador.

“É uma história muito bonita, construída ao longo desses 116 anos. Não é qualquer sindicato que alcança tanto tempo de atuação. Somos o primeiro Sindicato da Estiva do Brasil, junto com o do Rio de Janeiro. Eu sou a terceira geração dentro do sindicato. Meu avô foi um dos sócio-fundadores”, conta. A mão de obra, no início exclusivamente braçal, com o passar dos anos precisou se adequar ao processo de automação e do uso de mais tecnologia e equipamentos nas operações.

“Vieram ao longo do tempo muitos equipamentos e aparatos para a estivagem, a bordo da embarcação. Quando entramos, em 1991, a demanda era muito grande por mão de obra dos estivadores, chegamos a 2.200 cadastrados”, conta. Na época, era muita sacaria e as operações das cargas dos frigoríficos estava no auge.

A Estiva é a classe de Trabalhador Portuário Avulso (TPA) mais antiga de Paranaguá e existia antes mesmo do Porto Dom Pedro II (Foto: Claudio Neves/ Portos do Paraná)

CAFÉ E ALGODÃO

Um dos estivadores com mais tempo de atividade é Osmar de Oliveira, de 74 anos. Há 53 anos na estiva, e ainda trabalhando, ele diz que acompanhou muito dessa evolução. “Quando comecei, na década de 1960, era só saca de café, algodão. A madeira era carregada solta no porão. Era tudo braçal. Era difícil. Depois foram chegando as máquinas”, conta, que também destaca a união da categoria. Apaixonado pela profissão, Osmar não pretende parar tão cedo. “Vou continuar trabalhando até quando me permitirem. Saúde, graças a Deus, ainda tenho”, completa.

Outro estivador da mesma época, com 50 anos de Estiva, é Oscar Mendes, de 75 anos. “O nosso trabalho era bem diferente. Muita coisa mudou, mas eu continuo gostando muito da minha profissão. Atuo e gosto de trabalhar com todos os tipos de cargas, não faço distinção”, conta.

FUNÇÕES

Segundo o quadro do Sindestiva, são quase 25 funções que um estivador pode ter, a bordo do navio. Também com 50 anos de profissão, o estivador Onório Carlos Nunes, 72, já passou por quase todas. “No conexo, rechego da carga a granel, como homem da dala, de capataz, mestre, contramestre, no porão operando as máquinas e equipamentos de bordo. Depende do dia e da demanda. Não tem preferência”, comenta.

Como os colegas, Onório também era acostumado a carregar no braço as sacas de café e a madeira. “Antes era mais bruto. Hoje está mais fácil, mas ainda fazemos força, por exemplo, na sacaria do açúcar e ajeitando a carga no rechego dos granéis”, conta.

 

AEN

 

Continuar lendo
Publicidade

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.