conecte-se conosco

Segurança

8.º Grupamento do Corpo de Bombeiros alerta para índice de afogamentos no litoral

Região contabiliza 17 mortes desde agosto deste ano (Foto: AEN)

Publicado

em

A Operação Verão 2019/2020 ainda não começou, mas o litoral do Paraná já tem registrado muitas mortes por afogamento desde o mês de agosto. O 8.º Grupamento do Corpo de Bombeiros (8.º GB) realizou 31 atendimentos de ocorrências de resgate em meio líquido no litoral do Paraná, de 12 de outubro a 21 de novembro. Destes, 14 foram considerados graves e seis deles entraram em óbito.

As mortes por afogamento ocorreram em Paranaguá-Ilha do Mel (1), Pontal do Paraná (1) e Guaratuba (4). Os dados do Instituto Médico Legal (IML) de Paranaguá apontam para uma preocupação ainda maior, de agosto até agora foram constatadas 17 mortes por afogamento, sendo a grande parte em outubro (6 ocorrências) e novembro (8), quando o clima começou a esquentar e o número de banhistas aumentou de forma considerável.

O reforço maior no efetivo de segurança será aplicado a partir do dia 20 de dezembro, data de início da Operação Verão 2019/2020. O 8.º Grupamento do Corpo de Bombeiros atuará com um total de 620 bombeiros militares e 50 guarda-vidas civis voluntários, com foco principal nas praias e rios do litoral. A região contará com 91 postos de guarda-vidas durante a Operação Verão: 31 em Pontal do Paraná, 29 em Matinhos, 28 em Guaratuba, dois na Ilha do Mel e um tático móvel de rios em Morretes.

“O problema do afogamento tem que ser combatido por todos nós”, destacou o comandantedo 8.º GB, major Jonas Emmanuel Benghi Pinto

QUEDA DOS ÍNDICES DEPENDE DE TODA A SOCIEDADE

O comandante do 8.º GB do Litoral do Paraná, major Jonas Emmanuel Benghi Pinto, afirmou que é fundamental que toda a sociedade esteja compromissada com a diminuição dos índices de afogamento. “O problema do afogamento tem que ser resolvido como sociedade, isso inclui o Corpo de Bombeiros, aumentando as áreas protegidas e supervisão dos banhistas, que é o que procuramos fazer”, disse o major.

Desde a sexta-feira, 15, o Grupamento está com alguns postos de guarda-vidas ativos em Guaratuba, Matinhos e Pontal do Paraná.

“Estamos formando agora 30 guardas civis em Matinhos e oito na Ilha do Mel. A nossa ideia é que a partir do ano que vem esse pessoal trabalhe no período posterior e anterior à Operação Verão. Além dos guarda-vidas militares e dos civis, trabalhamos também com os sufistas resgatistas, ao longo dos últimos anos a gente já formou mais de 200 surfistas, fazemos um treinamento de três dias e esse pessoal no momento do surf acaba fazendo orientações e mesmo salvamentos”, explicou o comandante Emmanuel.

Isso é incentivado, de acordo com o major, pois a segurança pública é um dever do Estado, mas também uma responsabilidade de todos. “Sempre que há um posto de guarda-vidas ativo, como hoje, a população tem a opção de procurar locais onde os postos estejam ativos. Quando não faz isso, assume para ela uma responsabilidade. Nesse sentido, quando não há um posto ativo ou alguma orientação e a pessoa decide entrar na água, tem que ter muita cautela”, disse Emmanuel.

CUIDADOS PARA GARANTIR A SEGURANÇA

O ditado “água no umbigo, sinal de perigo” continua valendo para a segurança dos banhistas. “Nas nossas praias, quando a água está no umbigo, ainda temos um pouco de tração nas pernas, por isso se houver uma alteração de corrente ou profundidade, consegue sair da situação de perigo. Mas, por exemplo, se a pessoa não sabe nadar e está com a água na linha do peito e pega uma alteração de profundidade de 30 a 40 centímetros, fica à mercê da condição natatória e se ela não for boa, entrará em risco”, destacou o major.

No último feriado prolongado, foram ativados no litoral do Paraná quatro postos de guarda-vidas em Guaratuba, quatro em Matinhos e quatro em Pontal do Paraná. Mesmo assim, o saldo foi de três óbitos. “Por mais que ativemos postos de guarda-vidas, por que essas pessoas foram a óbito? Não podemos julgar essas pessoas de forma alguma, mas quando se decide entrar em um local onde não há guarda-vidas, a pessoa assume o risco. O problema do afogamento tem que ser combatido por todos nós”, salientou o comandante.

Aplicativo “Bombeiros Paraná” traz a localização dos postos de guarda-vidas

APLICATIVO “BOMBEIROS PARANÁ”

Aqueles que querem aproveitar as praias e os rios do litoral do Paraná de forma consciente, podem baixar o aplicativo “Bombeiros Paraná”, que traz informações como alertas, localização dos postos de guarda-vidas, balneabilidade entre outras. Além disso, o Corpo de Bombeiros alerta para o perigo de entrar na água alcoolizado e para sempre procurar locais com postos sinalizados por duas bandeiras (vermelho com amarelo) nas extremidades da faixa protegida. As regiões que possuem bandeira preta indicam uma área não protegida e a supervisão é eventual por patrulhamento aéreo, terrestre ou marítimo, mas não é uma área de vigilância constante.

Continuar lendo
Publicidade