Logotipo

Receita Federal apreende mais de uma tonelada de cocaína no Porto de Paranaguá

12 de junho de 2018

Corpo de Bombeiros trabalhou arduamente para abrir o braço mecânico da retroescavadeira

Compartilhe

No domingo, 10, a Receita Federal apreendeu, no terminal de contêineres do Porto de Paranaguá, cerca de 390 quilos de cloridrato de cocaína. A droga estava dentro de um contêiner carregado com compensados de madeira e que tinha como destino a Bélgica.

 

ARROMBAMENTO

A apreensão aconteceu porque a porta do contêiner apresentava sinais de arrombamento e ao passar pelo scanner a equipe da Receita Federal encontrou a droga. 
O entorpecente apreendido será encaminhado à Polícia Federal, que passa a investigar o caso.

 

NOVA APREENSÃO NA SEGUNDA-FEIRA

Na manhã de segunda-feira, 11, a equipe da Receita Federal de Paranaguá fez uma nova apreensão de cocaína. Desta vez, o entorpecente estava dentro do braço mecânico de uma retroescavadeira que estava sendo enviada para a Bélgica. No mesmo contêiner, um trator também era transportado. A droga pesou 881 quilos e foi retirada do interior do equipamento com a ajuda do Corpo de Bombeiros. As equipes tiveram que cortar o ferro da estrutura com máquinas especiais. O trabalho aconteceu ao longo de toda a segunda-feira. Nenhuma informação com relação à empresa que estava fazendo o transporte das máquinas e dos proprietários foi divulgada pela Receita Federal de Paranaguá. 

Corpo de Bombeiros trabalhou arduamente para abrir o braço mecânico da retroescavadeira

 

POLÍCIA FEDERAL

Equipes da Polícia Federal acompanharam a retirada do entorpecente que seria encaminhado para a sede da Polícia Federal em Curitiba. O trabalho de investigação, a partir de agora, fica por conta da delegacia local, em Paranaguá. O delegado chefe da Polícia Federal em Paranaguá, Gilson Micoski Luz, explicou detalhes da apreensão e de como será conduzida a investigação. “A partir desse momento, a Polícia Federal fará o levantamento de todo o material apreendido e iniciará as investigações através do inquérito policial. Chama a atenção essa quantidade de droga apreendida. Há um trabalho constante contra o crime organizado”, destaca o delegado.


“A Receita Federal está com equipamentos para averiguar todos os materiais e a tendência é trabalhar cada vez mais ativamente. Tudo que se relaciona a essa apreensão de hoje e outras será investigado. A cadeia de distribuição será investigada e vamos chegar aos criminosos”, ressalta Luz. 

Colunistas