Logotipo

Quadrilha suspeita de envolvimento em assalto a banco em Matinhos é presa

10 de julho de 2019

Todos os presos têm passagens na Polícia por diversos crimes, sendo que três deles eram foragidos da Justiça desde março de 2019 (Foto: COPE/PCPR)

Compartilhe

Seis acusados foram presos em Curitiba, junto com eles estava armamento pesado, 1.016 munições, coletes balísticos, explosivos, drogas, dinheiro, veículos e apetrechos para realizar os crimes

Na tarde da terça-feira, 9, a Polícia Civil do Paraná (PCPR), por meio do Centro de Operações Policiais Especiais (COPE), prendeu membros de uma quadrilha suspeita de participar de assaltos a bancos no Paraná, incluindo a participação no roubo que ocorreu em Matinhos, no litoral do Paraná, no dia 4 de julho. Além deste assalto, os acusados estariam envolvidos no roubo à agência bancária em Quatro Barras, região metropolitana de Curitiba, ocorrido na madrugada da segunda-feira, 8. Seis acusados foram presos.

"Seis homens, com idades entre 32 e 41 anos, foram presos em flagrante de posse de armamento pesado, cartuchos, munições e demais apetrechos utilizados para a prática dos crimes, além de veículos, drogas e dinheiro. A ação foi deflagrada nos bairros Umbará, Jardim Social, São Francisco em Curitiba, bem como na região da Barra do Turvo, na divisa com o Estado de São Paulo", informa a assessoria da PCPR.

Segundo a Polícia Civil, o grupo é suspeito de envolvimento em quatro roubos a bancos no Paraná, entre abril e julho deste ano. "Inclusive, em um dos roubos, um dos suspeitos utilizou uma farda da Polícia Militar", explica a assessoria. Ainda está sendo apurada a participação destes indivíduos no assalto a banco em Matinhos.

Fuzis, pistola, 1.016 munições, explosivos, coletes, dinheiro, equipamentos para assalto, documentos falsos, drogas e dinheiro foram itens apreendidos com quadrilha pela PCPR (Foto: COPE/PCPR)

"Após intensos trabalhos de investigação, que acontecem há cerca de quatro meses, a PCPR chegou até uma residência, situada no bairro Umbará, onde os indivíduos foram encontrados. No local, foram encontrados cinco veículos, sendo um Sandero, uma caminhonete S10, um Logan, uma Land Rover e um Pálio. Ao realizar buscas nos automóveis, os policiais encontraram na Land Rover um farto armamento, diversas munições, uniformes e equipamentos táticos, como uniformes e coletes balísticos. No Pálio, foram encontrados ainda 12 quilos de crack e 300 gramas de maconha. Em continuidade às buscas, na residência, foram localizadas outras armas e algumas cédulas de dinheiro parcialmente queimadas, totalizando, em média, R$ 2,3 mil", informa a PCPR.

Segundo a assessoria, a PCPR descobriu no decorrer das investigações que a residência onde estavam os suspeitos, no bairro Umbará, era de uma enteada de um dos acusados. Foi então que equipes se deslocaram até o local em que ele residia, no bairro Jardim Social, onde, além de todos os equipamentos encontrados no Umbará, foram localizadas na outra casa três calças e duas gandolas da Polícia Militar, além de um par de placas e um caderno de anotações da contabilidade do grupo criminoso.

A operação foi longa e, em sua continuidade, policiais civis se deslocaram até uma chácara na região da Barra do Turvo, onde foi localizado um veículo Pajero, que teria sido utilizada em diversos crimes de roubo e furto a bancos no Paraná. "O veículo aparece em imagens de câmeras de segurança em diversas ações criminosas com o uso de explosivos e agências bancárias", explica a PCPR.

"Ao todo, foram apreendidos seis fuzis, três pistolas, 1.016 munições de calibres variados, 24 carregadores de arma de fogo, dez explosivos, uma sacola contendo miguelitos, oito coletes balísticos, uma capa de colete, uma máquina de contar dinheiro, uma serra circular e uma marreta, além de 13 aparelhos celulares, diversos documentos falsos e placas de veículos. Os seis homens encontram-se detidos à disposição da Justiça", finaliza a assessoria da Polícia Civil. Todos os indivíduos presos têm passagens pela Polícia por diversos crimes e tinham mandado de prisão expedidos.

ASSALTO A BANCO EM MATINHOS

“Estamos em contato com a PF que está investigando o roubo a banco em Matinhos, para que possamos passar as informações que temos, pois é a PF que está tratando da investigação do crime, uma vez que se trata da Caixa Econômica Federal e atribuição da Polícia Federal”, afirma o delegado do COPE, Rodrigo Brown (Foto: PCPR)

O delegado do COPE da PCPR, Rodrigo Brown de Oliveira, ressaltou a importância da ação da PCPR e do COPE na prisão da quadrilha em Curitiba. “Temos fortes suspeitas desta quadrilha ter sido responsável pelas principais ações que chamaram a atenção em toda a crônica da segurança pública desde o começo do ano, então todos os presos aqui são elementos de altíssima periculosidade, com mandados de prisão expedidos e muitos crimes de roubo, formação de quadrilha, porte ilegal de arma e outros de elevada gravidade. Devido ao trabalho forte dos órgãos de segurança pública, conseguimos uma sensível redução nos números deste tipo de crime no Paraná, mas infelizmente desde o início do ano tivemos a ação de uma nova quadrilha e com o trabalho de investigação com a colaboração da PM e troca de informações do COPE com o BOPE conseguimos efetuar a prisão no momento certo”, destaca, ressaltando que a ação começou no domingo, 7.

O delegado destacou a relação do caso com o assalto a banco em Matinhos. “São todas pessoas com elevados antecedentes criminais e que vão responder por vários outros crimes a partir de agora, inclusive estamos em contato com a Polícia Federal (PF), que está investigando o roubo a banco em Matinhos, para que nós possamos passar as informações que nós temos, pois é a PF que está tratando da investigação do crime, uma vez que se trata da Caixa Econômica Federal e atribuição da Polícia Federal”, destaca, ressaltando que os indivíduos presos possuem relação com facções criminosas.

RELEMBRE O CASO DO ASSALTO A MATINHOS

Na quinta-feira, 4, durante a tarde, uma quadrilha armada invadiu uma agência da Caixa Econômica Federal (CEF) em Matinhos, fazendo vários reféns, entre eles testemunhas e funcionários, assustando moradores na cidade. Após efetuar o roubo, a quadrilha levou os reféns até a frente do banco com as mãos levantadas, atravessando a rua e empreendendo fuga. A quantia de dinheiro roubada não foi divulgada. Desde então, as autoridades, entre elas a PCPR, PM e Polícia Federal (PF), investigam o caso e procuram os envolvidos, sendo que a prisão da quadrilha em Curitiba na terça-feira, 9, pode ter sido a resposta ao caso de criminalidade ocorrido no litoral do Paraná.

Roubo em Matinhos, que aconteceu durante a tarde do dia 4 com vários reféns, assustou moradores na cidade (Foto: Divulgação WhatsApp)

Colunistas