Connect with us

Paraná Produtivo

Calcemoda 2020

Cerca de 160 marcas de renome nacional e internacional estarão no Centro de Eventos da Federação das Indústrias do Estado do Paraná.

Publicado

em

Curitiba recebe, entre os dias 20 e 23 de janeiro, a 13.ª edição da Calcemoda, principal feira de tendências em calçados, vestuário e acessórios do Paraná. Cerca de 160 marcas de renome nacional e internacional estarão no Centro de Eventos da Federação das Indústrias do Estado do Paraná apresentando as novidades de suas coleções de outono-inverno 2019. A expectativa é movimentar mais de R$ 3 milhões em negócios. Além das grandes marcas, a estrutura da feira também atrai lojistas. São mais de 1,8 mil metros quadrados, em um ambiente climatizado, com estacionamento gratuito, transfer no estacionamento interno, Wi-Fi liberado e restaurante exclusivo.

Mais voos regionais

Com o acordo para aquisição da TwoFlex, a companhia aérea Azul vai assumir os voos regionais que ligam 10 cidades do interior do Paraná a Curitiba e que atualmente são operados pela aérea regional em parceria com a Gol. Em entrevista para o jornal Gazeta do Povo, o secretário de Infraestrutura e Logística do Paraná, Sandro Alex, disse que a Azul garantiu que manterá as rotas regionais da TwoFlex no estado e que inclusive têm a intenção de ampliar o programa no estado. Desde outubro de 2019 a TwoFlex opera 55 voos semanais entre Curitiba e 10 cidades do interior do Paraná: Arapongas, Campo Mourão, Cianorte, Cornélio Procópio, Guaíra, Paranaguá, Paranavaí, Francisco Beltrão, Telêmaco Borba e União da Vitória.

Safratec em Floresta

O Safratec, encontro de soluções em agronegócios, promovido pela cooperativa Cocamar, vai ser realizado em 22 e 23 de janeiro. O evento de transferência de tecnologia, que está na 30ª edição, vai acontecer na unidade de difusão tecnológica da Cocamar, no município de Floresta. O evento apresenta todos os anos as mais recentes novidades e inovações em maquinários agrícolas, implementos, equipamentos agropecuários, insumos em geral, tecnologias para o aumento da produtividade e resultados de pesquisas diversas em culturas de grãos, com a participação de aproximadamente 100 empresas parceiras.

Walmart se move

O maior varejista do planeta (11,3 mil lojas sob 58 diferentes nomes e 275 milhões de clientes atendidos por semana) entrou no mercado de abate de carnes bovinas nos EUA. No final da semana passada, o Walmart inaugurou uma instalação de processamento de carne na Geórgia para concluir a fase final de uma série de investimentos que começou em 2019. A rede varejista firmou parcerias com 44 fazendas de gado no Texas, pecuaristas da Mc6, também no Texas, e uma operação de produção de ração para Angus. Seguindo a linha de produção, o abate está sendo feito em Arkansas City, no Kansas.

Banco da Mulher Paranaense

O Banco da Mulher Paranaense, programa gerenciado pela Fomento Paraná, completou três meses em dezembro colecionando bons indicadores. Proposta de campanha do governador Ratinho Junior para incentivar o empreendedorismo feminino em todos os setores econômicos, o banco de crédito liberou R$ 9 milhões no período. Foram 1.295 propostas apresentadas, com 800 contratos assinados. A instituição oferece financiamentos com taxas de juros mais baixas para apoiar pequenos negócios que tenham mulheres como proprietárias ou sócias. O crédito varia de acordo com o porte do empreendimento e vai de R$ 1 mil a R$ 500 mil, com taxas de juros a partir de 0,98% ao mês no microcrédito, e a partir de 0,48% ao mês para micro e pequena empresa.

Café para 2020

A safra total de café do Brasil em 2020 deve somar entre 57,15 milhões e 62,02 milhões de sacas de 60kg, com avanço de até 25,8% frente ao ano anterior, segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) em seu primeiro levantamento para a temporada. Segundo a Conab, a maior produção de café arábica, influenciada pela bienalidade positiva da cultura (um ano produz mais, outro menos), pesou na previsão do resultado da safra. A produção de café arábica foi estimada entre 43,20 milhões e 45,98 milhões de sacas, alta de 26% a 34% na comparação anual. Já a safra de robusta deve ficar entre 13,95 milhões e 16,04 milhões de sacas, o que pode representar de queda de 7,1% a alta de 6,8% ante 2019.

Recorde na exportação

Em 2019, o Brasil exportou 40,6 milhões de sacas de café, considerando a soma de café verde, solúvel e torrado & moído, segundo relatório consolidado pelo Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé). O dado representa um recorde histórico das exportações do produto, assim como aumento de 13,9% em relação ao volume total exportado em 2018. A receita cambial com as exportações de café em 2019 alcançou US$ 5,1 bilhões. O preço médio da saca foi de US$ 125,49.

Variedades exportadas

No total do ano de 2019, o país exportou 36,6 milhões de sacas de café verde (32,6 milhões de sacas de arábica e 3,9 milhões de robusta), o que representa um aumento de 14,8% em relação a 2018. A exportação do café robusta (ou conilon) apresentou crescimento de 59,5%, se comparado ao ano anterior, enquanto o arábica registrou aumento de 11% no período. Já os cafés industrializados apresentaram alta de 7%, com a exportação de 4 milhões de sacas, sendo 3,98 milhões de café solúvel e 24,4 mil de torrado & moído. O café solúvel teve crescimento de 6,9%, enquanto o torrado & moído, 27,2%.

Etanol


O volume total de etanol comercializado pelas usinas do Centro-Sul nos mercados interno e externo em dezembro somou 2,673 bilhões de litros, avanço de 3,41% quando comparado aos 2,585 bilhões de litros registrados em igual mês de 2018, segundo a União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica). No acumulado da safra de 2019/2020, foram vendidos 25,845 bilhões de litros, alta de 11,13% ante os 23,255 bilhões de litros ante igual período de 2018/2019. O volume total de etanol vendido pelas usinas do Centro-Sul às distribuidoras no mercado doméstico atingiu 2,552 bilhões de litros em dezembro e acumula 24,264 bilhões de litros na safra 2019/2020.

Mercado externo

A exportação total de etanol foi de 120,64 milhões de litros em dezembro, alta de 11,50% em comparação com os 108,199 milhões de litros enviados ao exterior em igual período do ano passado. No acumulado da safra 2019/2020, os embarques totais do biocombustível avançam 21,14%, para 1,580 bilhão de litros, ante 1,304 bilhão de litros em igual período de 2018/2019.

Reajuste na tabela de frete

A Agência Nacional de Transporte Terrestres publicou nesta semana no "Diário Oficial da União" uma atualização da tabela com os valores do frete mínimo para o transporte rodoviário de carga. O piso do frete aumentou de 11% a 15%, segundo informações da agência. Entre as principais mudanças está a inclusão no cálculo do frete mínimo do custo da diária do caminhoneiro (refeições e hospedagem). Passa a ser obrigatório o pagamento de frete de retorno para operações que não podem trazer carga de retorno, como caminhões de combustível. A nova tabela entra em vigor no dia 20 de janeiro.

Energia elétrica

O mercado livre de energia elétrica cresceu 6% em 2019 e movimentou R$ 134 bilhões, segundo dados divulgados pela Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia. De acordo com a entidade, o preço da energia para os consumidores livres representou uma economia de 34%. "O mercado livre de energia no Brasil tem hoje 324 comercializadores registrados na Câmara de Comercialização de Energia Elétrica e fecha 2019 com 6.870 consumidores", informou a associação em nota. Ainda de acordo com a entidade, nos últimos 10 anos foram economizados mais de R$ 200 bilhões nas contas de energia dos consumidores que já são livres no Brasil.

Máquinas agrícolas

As vendas de máquinas agrícolas e rodoviárias pela indústria a concessionárias no Brasil devem crescer 2,9% em 2020, após um recuo em 2019, apontaram projeções da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). As vendas dessas máquinas neste ano estão estimadas em 45 mil unidades, ante 43,7 mil unidades em 2019 – recuo de 8,4% frente a 2018. Já as exportações desses equipamentos agrícolas e rodoviários neste ano foram projetadas em 13 mil unidades, aumento de 1% frente a 2019. Os números do ano passado representaram alta de 1,5% na comparação com 2018.

Aquisição da Clinipam

A Notre Dame Intermédica informou, nesta quarta-feira (15), que a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) aprovou, sem restrições, a aquisição do Grupo Clinipam pela sua subsidiária Hospital Intermédica Jacarepaguá. A Clinipam atua na região Sul do Brasil, com destaques para o Paraná e para Santa Catarina, onde opera planos de assistência privada à saúde. O grupo possui rede própria para atendimento de seus beneficiários, incluindo dois hospitais, quatro unidades de pronto atendimento e 19 centros clínicos.

Tilápia do MS

Pelo segundo ano consecutivo, Mato Grosso do Sul foi o primeiro no ranking dos estados que exportam carne de peixe, em sua grande maioria tilápias. Em 2019 foram 901 toneladas enviadas ao mercado externo, o que representa 85,6% do total exportado no país, segundo dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. Os números compilados pela Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar mostram que o volume em toneladas exportadas subiu 32% no ano passando.

Paraná em segundo

Mato Grosso do Sul aumentou em 26% o faturamento com a venda do peixe ao mercado externo, na comparação de 2019 com 2018. O faturamento brasileiro com as exportações de carne de peixe somou U$ 5,6 milhões em 2019, sendo Mato Grosso do Sul responsável por 94,3% do total. Para se ter ideia da força da piscicultura no Estado, o segundo no ranking é o Paraná com 2,7% do faturamento anual do país, mesmo tendo aumentado consideravelmente sua participação no mercado de peixes em 2019.

Mudança de hábito

O consumo de carne bovina na Argentina caiu em 2019 para o nível mais baixo da década, uma consequência direta da perda do poder aquisitivo provocada pela crise econômica que abala o país desde abril de 2018. O tradicional churrasco dos domingos ganhou uma versão mais magra e econômica. A carne bovina já não detém a exclusividade e divide as "parrillas" com porco, frango e até legumes assados. A queda no consumo foi de 9,5%, ficando em 51,3 quilos por pessoa em 2019, segundo a Câmara de Indústria e Comércio de Carnes e Derivados da Argentina. Uma mudança significativa, pois 30 anos atrás o argentino consumia por ano cerca de 90 quilos de carne bovina.

Carne catarinense

Com o mercado internacional aquecido, Santa Catarina comemora o melhor desempenho da história na exportação de carnes. Em 2019, o embarque de carne suína bateu recorde e o de frango teve seu segundo melhor resultado em 22 anos, impulsionando todo o setor de proteína animal. Os catarinenses encerraram o ano com um faturamento de US$ 3,12 bilhões com as exportações de carnes, um crescimento de 19,4% em relação a 2018. Ao longo do ano, Santa Catarina embarcou 1,7 milhão de toneladas de carne de frango, suína, bovina, de perus, patos, marrecos e demais carnes e miudezas – um aumento de 11% em comparação a 2018.

Da Redação ADI-PR Curitiba

Coluna publicada simultaneamente em 20 jornais e portais associados. Saiba mais em www.adipr.com.br

Continuar lendo