Connect with us

Meio Ambiente

Tartaruga-cabeçuda é resgatada na praia central de Guaratuba

Animal está em tratamento no Centro de Reabilitação e Despetrolização de Animais Marinhos da UFPR

Publicado

em

Uma equipe do Laboratório de Ecologia e Conservação (LEC) da Universidade Federal do Paraná (UFPR), via Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS), atendeu uma ocorrência de achado de uma tartaruga-cabeçuda (Caretta caretta) viva na praia central do município de Guaratuba. A área foi isolada por equipe da Prefeitura de Guaratuba para proteção do animal até que a equipe chegasse ao local.

"Após o resgate, o diagnóstico inicial feito pela equipe veterinária do PMP-BS avaliou o animal como debilitado e pouco responsivo. No momento, a tartaruga-cabeçuda está em tratamento na sala de estabilização do Centro de Reabilitação e Despetrolização de Animais Marinhos da UFPR, recebendo os primeiros medicamentos para estabilização de sua condição", informa a assessoria do LEC.

"Caso você aviste uma tartaruga, golfinho ou ave marinha morta ou debilitada entre em contato com a nossa equipe através do telefone: 0800 642 3341", finaliza a assessoria.

PROJETO BACIA DE SANTOS

O Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) é "uma atividade desenvolvida para o atendimento de condicionante do licenciamento ambiental federal das atividades da Petrobras de produção e escoamento de petróleo e gás natural no Polo Pré-Sal da Bacia de Santos, conduzido pelo Ibama", destaca. "Esse projeto tem como objetivo avaliar os possíveis impactos das atividades de produção e escoamento de petróleo sobre as aves, tartarugas e mamíferos marinhos, através do monitoramento das praias e do atendimento veterinário aos animais vivos e necropsia dos animais encontrados mortos", complementa.

"O PMP-BS é realizado desde Laguna (SC) até Saquarema (RJ), sendo dividido em 15 trechos. O Laboratório de Ecologia e Conservação/UFPR monitora o Trecho 6, compreendido entre os municípios de Guaratuba e Guaraqueçaba", finaliza a assessoria do LEC da UFPR.

 

Com informações do LEC – Laboratório de Ecologia e Conservação da UFPR

Continuar lendo