Logotipo

Quedas contínuas de energia causam transtornos e prejuízos para comerciantes em Paranaguá

30 de outubro de 2019

Aciap e Sindilojas encaminharão ofícios à Copel solicitando providências e destacando prejuízos com a situação.

Compartilhe

Os últimos dias estão sendo de constantes transtornos aos comerciantes, moradores e profissionais que residem ou atuam no Centro Histórico de Paranaguá e bairros próximos. Quedas contínuas de energia estão afetando o atendimento comercial parnanguara, escritórios e bancos na região central, visto que computadores e aparelhos eletrônicos desligam de uma hora para outra, causando perda de vendas, prazos processuais e documentos, bem como danificando equipamentos, em virtude da oscilação de energia, tudo isso em um período que precede o verão, com aumento das temperaturas, necessidade do uso de ar-condicionado e aumento do movimento de clientes. Somente na manhã da quarta-feira, 30, foram de quatro a cinco quedas de luz registradas no Centro de Paranaguá, segundo comerciantes.

Said Khaled Omar, presidente do Sindicato dos Lojistas do Comércio e do Comércio Varejista de Gêneros Alimentícios de Paranaguá (Sindilojas Paranaguá), destacou que está sendo encaminhado um ofício para a Copel comunicando o problema da oscilação de energia. "Estamos encaminhando um ofício para reclamar por meio do Sindilojas, algo que também será feito pela Aciap, para reclamar e ver o que está acontecendo na cidade, pois está tendo muito apagão, isso acaba queimando aparelhos", destaca, ressaltando que em 2018 foi feito um ofício à Copel comunicando sobre o problema, momento em que a empresa resolveu a situação, que tinha origem em geradores das ruas que eram antigos e precisavam ser renovados.

Naoef Ahmad el Laden, lojista e secretário executivo do Sindilojas, abordou também sobre a situação caótica vivida pelo comércio local nos últimos dias. "A cada queda de energia cai o sistema e o retorno não é imediato. Na data da quarta-feira, 30, meu CPU não retornou devido a cinco quedas de energia que tivemos só no período da manhã", explica Naoef.

De acordo com o lojista, ele entrou em contato com a Copel, que relatou que não havia registro de reclamações quanto à queda de energia no centro de Paranaguá. "A empresa me relatou que não havia nenhuma reclamação ou chamado neste sentido e que o sistema não acusava nenhuma queda de energia. Mesmo com a resposta, soube que mais de cinco empresários já haviam feito o mesmo contato com a Copel", explica.

ACIAP

O presidente da Associação Comercial, Industrial e Agrícola de Paranaguá (Aciap), Eloir Martins, destacou que a entidade enviará um ofício, junto ao Departamento Jurídico, para solicitar providências quanto às quedas de energia à Companhia Paranaense de Energia (Copel). Anwar Hamud, diretor da Câmara do Comércio Varejista da Aciap e lojista, ressalta que o problema é sentido pelos comerciantes de forma contínua nos últimos dias. "Hoje o comércio depende muito da questão digital e eletrônica. Estamos informatizados e dependemos do computador para fechar as vendas e essas constantes quedas de energia, que somente no centro de Paranaguá, na manhã da quarta-feira, 30, foram contabilizadas em torno de quatro, atrapalham e fazem o comerciante perder alguns equipamentos como computadores, fontes, entre outros. São custos a mais aos comerciantes para arrumar", explica, ressaltando que em datas passadas as quedas de luz causaram prejuízos com perda de telefones, ar-condicionado, entre outros.

Anwar Hamud afirma que as quedas atrapalham também os consumidores, com máquinas de cartão, por exemplo, que não funcionam. "Temos que ter um jogo de cintura para conseguir vender os produtos e atender bem os consumidores. As quedas de energia estão causando transtornos ao comércio", explica. "O ar-condicionado, por exemplo, se queimar, causa diminuição do movimento no comércio com o nosso calor", explica. "Como lojista e diretor da Aciap, entraremos em contato com a Copel e solicitaremos explicações a respeito destas constantes quedas de energia. Isso precisa ser esclarecido, sabemos que o trabalho deles não é fazer uma coisa dessa, mas precisamos de explicações e avisos prévios, pois o comércio precisa estar atento a isso constantemente, porque isso nos causa queda do movimento", explica.

PREJUÍZO AO COMÉRCIO

O proprietário do shopping Maxi Mundial, Gustavo Amin Hammoud, afirma que o problema em torno da concessão energética tem sido recorrente. "É algo que está acontecendo há alguns dias com quedas bruscas de luz. Há uma semana isso tem ocorrido na parte da manhã e no almoço, não sei se pelo pico de ligação dos aparelhos de ar-condicionado na região. Na quarta-feira, 30, foram cinco quedas de energia. Para a gente que está atendendo o cliente no comércio que está fazendo compras, bem como na parte interna administrativa, está sofrendo com isso. Além de dar um transtorno para o cliente, isso afeta o nosso trabalho e danifica as nossas instalações, com prejuízo em computadores, máquinas, no-breaks, iluminação, visto que hoje em dia muita coisa se queima com essas descargas de energia da Copel", explica.

O empresário afirma que espera que a Copel tome providências imediatas quanto ao problema. "Estamos imprimindo relatórios, fazendo atendimento, e a luz cai. Daqui a pouco liga de novo, mas cai novamente. É muito transtorno para todos que estão aqui no centro, na área comercial, bancária, entre outras, há locais com elevadores, que trava o elevador com pessoas dentro", explica. "Em dias de chuva e raio até evitamos usar elevador e certos aparelhos, mas em tempo bonito de sol, como os ocorridos nos últimos dias, é difícil falar para ninguém usar. Temos escada rolante que trava com as quedas, isso pode causar um acidente, pois, apesar de termos gerador, demora uns 30 segundos para acionar", explica. "Queremos saber da Copel o que está acontecendo, se é a capacidade de consumo do centro que está ultrapassada, se haverá melhorias, se estão mexendo em algum lugar, enfim, pois o tempo de calor está só começando", acrescenta Hammoud.

COPEL

A Folha do Litoral News entrou em contato com a assessoria de imprensa da Copel, pedindo resposta a respeito dos motivos das sucessivas quedas de energia no centro de Paranaguá, bem como se o problema será solucionado e quais são orientações aos consumidores. No entanto, a companhia não se posicionou até o fechamento desta edição.


Colunistas