conecte-se conosco

Instituto Histórico e Geográfico de Paranaguá

LEÔNCIO CORREIA – Vida literária – II

Sua carreira literária foi fecunda e brilhante.

Publicado

em

Sua carreira literária foi fecunda e brilhante. Desenvolveu grande atividade nas letras brasileiras juntamente com Machado de Assis, Olavo Bilac, Paula Ney, tendo publicado inúmeros livros ao lado de outros brilhantes representantes da literatura nacional.

Entre suas obras podemos citar: “Barão do Serro Azul”; “A Boêmia do Meu Tempo” (crônica); “Brasília da” (poema)”; “Evocações” (crônicas); “Frauta de Outono” (poesia); “Panóplias” (crônicas); “Perfis” (sonetos); “A Verdade Histórica sobre o 15 de Novembro”; “Meu Paraná” (crônicas e versos); “Vultos e Fatos do Império e da República” (ensaio); “Parlendas e Palestras” (discursos).

Era membro da Academia Paranaense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Paraná, da Academia Carioca de Letras, da Federação das Academias de Letras, do Instituto Brasileiro de Cultura, e outras instituições literárias e culturais congêneres.

Leôncio Correia amava todos os seres e a natureza. Sua poesia está impregnada de emoção, ternura e evocações sentimentais. O amor é o denominador comum que acompanha a evolução da sua vida e perpassa toda a sua obra, desde o primeiro ao ultimo verso. É o gerador e desencadeador das diversas formas e expressões que nela aparecem. Na evolução da sua vida é fiel à sua essência, fortifica-o ou purifica-o, dedicado à natureza, à sua terra natal, ao Paraná, ao Brasil, à mulher mãe, à mulher amada, à pura e casta, em amor inatingível e platônico, a Jesus, ao Deus Criador e ao Deus Cósmico.

Vivendo por mais de cinquenta anos longe de Paranaguá nunca esqueceu as belezas naturais da sua terra natal dedicando-lhe os mais belos poemas.

Do meu berço trago as manhãs, e há no meu coração seu luar tranquilo… E nas veias o sangue do seu sol!

Comparava a baía da Guanabara com a baia de Paranaguá, e as revia diariamente, considerando-as como as duas portas para o Oceano Atlântico e para o seu destino.

Pouco antes de completar oitenta e cinco anos faleceu no Rio de Janeiro em 19 de junho de 1950.

Leôncio Correia é o Patrono do Centro de Letras de Paranaguá designado por aclamação na sua criação no dia do seu aniversário em 1 de setembro de 1960, tendo completado cinquenta e oito anos em 2018.

Seus restos mortais repousam, ao lado da Poetisa Júlia da Costa, no Panteão do Instituto Histórico e Geográfico de Paranaguá.

Gilka Correia

Centro de Letras do Paraná

Pesquisadora convidada do IHGP

Continuar lendo
Publicidade