Logotipo

Barreado

07 de dezembro de 2019

Compartilhe

Carne de gado, talho de matambre

Folhas de louro, pimenta e cominho

Alho, cebola e salsinha

E um pedaço de toucinho

De barro é a panela

Pós tampada e barreada

Dez horas de fogo nela

é só servir depois

Com farinha ou com arroz

 

(Trecho da música Barreado, de autoria de Inami Custódio Pinto)

 

O trecho da música acima fala do barreado, prato típico do Litoral do Paraná, uma referência pelo seu sabor e modo de preparo. Restaurantes que preparam o barreado são encontrados ao longo das cidades de Morretes, Antonina e Paranaguá. No entanto, as origens do prato, ou seja, em qual cidade surgiu, é ainda um tema que provoca fervorosos debates entre antoninenses, morretenses e parnanguaras. De acordo com Maria Gimenes, em seu artigo “Barreado, sabor, história e cultura no Litoral do Paraná”, há consenso de que o Barreado é preparado e degustado há centenas de anos no litoral paranaense, especialmente em Antonina, Guaraqueçaba, Guaratuba, Morretes e Paranaguá. A versão mais aceita sobre a origem do prato foi publicada pelo professor parnanguara Manoel Viana, que relata que os primeiros filhos de portugueses com índios conheceram na casa de seus patrões o guisado português e resolveram reproduzi-lo em suas residências, utilizando carne de segunda, que era mais barata. Após várias adaptações, foi incorporado o hábito de vedar a panela com uma mistura de farinha de mandioca e água, técnica que leva o nome de “barrear”. Entretanto, sua verdadeira origem permanece na penumbra, evidente é a ligação – que perdura até a atualidade – do Barreado com os festejos carnavalescos. Para a autora, a ligação remonta aos tempos do Entrudo e parece ter sido fundamental para a longevidade do prato. Durante os três dias de Entrudo, o caboclo do litoral não fazia outra coisa a não ser dançar Fandango e comer. O alimento desses três dias para aqueles que amanheciam exaustos, sem energias para preparar o almoço, era o Barreado, cujo cozimento resistia às 72 horas de folia. O Barreado é considerado um prato “forte”, capaz de repor as energias, além de exigir poucos acompanhamentos.

Na atualidade, o barreado é consumido ao longo de todo ano, sendo servido nos  restaurantes do Litoral, mas também em restaurantes de todo o Paraná. A receita popular ganhou o espaço dos restaurantes mais luxuosos e o mais importante, ganhou o coração dos paranaenses e dos brasileiros que todos os anos retornam ao Litoral para saborear o nosso barreado.

 

Priscila Onório Figueira

Diretora de artes plásticas IHGP

Biênio 2019-2020

Fotos