conecte-se conosco

Entrevista

Superintendente da Ecovia destaca atuação da concessionária no litoral

Mais de 14 mil pessoas já foram capacitadas com palestras educativas realizadas pela empresa

Publicado

em

O diretor superintendente da Ecovia Caminhos do Mar, Evandro Couto Vianna, nasceu em Belo Horizonte, é Engenheiro Civil com MBA em Gestão Empresarial. Sua carreira começa com a formação, em 1981, na Faculdade de Engenharia Kennendy, Belo Horizonte, trabalhou durante 20 anos na Construtora Mendes Junior, em obras rodoviárias, ferroviárias, saneamento e metrôs, nos Estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Goiás, Minas Gerais e também no Peru. Na Ecovia, ingressou em 1998 e em 2009 assumiu ainda a superintendência da Ecocataratas.

Nesta entrevista concedida à Folha do Litoral News, Vianna falou sobre os investimentos aplicados nas rodovias que levam às praias paranaenses e de que forma impactaram na qualidade do tráfego. O diretor superintendente adiantou o projeto de instalação, para 2018, de uma área de escape na BR-277 e ainda citou os projetos na área de responsabilidade social da empresa.

 

 

 

Folha do Litoral News: O pedágio na BR-277 foi implantado em 1997. Quais foram as melhorias e investimentos mais significativos aplicados desde a implantação?

 

Couto: Nos primeiros quatro anos, foram mais obras de revitalização. Já em 2004, houve a construção de um viaduto sobre a Avenida Rui Barbosa, em São José dos Pinhais. Em 2005/2006, aconteceu a revitalização e adequação de passagens inferiores na BR-277. Em 2007, houve a implantação das primeiras passarelas: km 78 e km 82. Já em 2008 foram mais duas nos km 66 e km 67 – bairro Borda do Campo, em São José dos Pinhais. Em 2009, foi construído o viaduto em Borda do Campo (km 65). Já em 2010, houve a  construção de passagem inferior sob a ponte do Rio Iguaçu (km 77). Em 2011, a construção de binário – trincheira do Jardim das Américas sob a BR-277.  Em 2012, a troca de canteiro central por barreiras protendidas. Em 2013, teve a troca de muretas por barreiras protendidas, além da implantação de painéis para monitoramento de velocidades no trecho de serra da BR-277. Em 2014, foram três novas passarelas: km 63, km 69,9 e no km 73. Além disso, ainda nesse ano houve a construção do viaduto sobre o trevo de Morretes (km 29). Em 2015, a primeira fase da duplicação da PR-407.

 

 

Folha do Litoral News: Quais as melhorias que podem ser observadas após a implantação do viaduto na PR-407?

 

Couto: O local era propício para o alto índice de acidentes, visto que faz cruzamento com a Avenida Bento Munhoz da Rocha Neto, importante rodovia do município de Paranaguá. Com o desnível feito pela Ecovia, o número de ocorrências diminuiu praticamente a zero.

              

 

Folha do Litoral News: Qual o principal projeto da Ecovia a ser desenvolvido? O que almeja para o próximo ano?

 

Couto: Para 2018, além da recuperação do pavimento, está prevista a possível implementação de uma passarela na região de São José dos Pinhais. Além disso, o Departamento de Estradas de Rodagem (DER-PR) analisa a instalação de uma área de escape na região da Serra do Mar na BR-277.

 

Folha do Litoral News: Quais as ações da Ecovia para minimizar os acidentes nas rodovias que administra?

 

Couto: Além de melhorias estruturais, a Ecovia trabalha com o objetivo de educar e conscientizar o usuário da rodovia, por isso, desenvolve palestras com as comunidades lindeiras e público de relacionamento sobre o tema, além de diversos projetos que visam a um trânsito mais seguro. No total, são mais de 14 mil pessoas que já assistiram às palestras educativas sobre vários temas. Além disso, há campanhas anuais de combate a acidentes com dicas e etc.

 

Folha do Litoral News: Recentemente, a praça de pedágio passou a aceitar cartões de crédito. Isso agilizou o processo? Qual a orientação aos motoristas?

Couto: A Ecovia é a primeira concessionária do Brasil a aceitar como forma alternativa para pagamento da tarifa o cartão de débito. Apesar de ainda estar em fase de testes (fase beta), já há provas de que teve a aceitação do público. Em janeiro deste ano, foram quase 10 mil utilizações do maquinário. Em julho, o número passou para 20 mil transações. Em breve, sairá da fase de teste para dar mais mobilidade e facilidade aos viajantes, além de diminuir os custos operacionais da empresa com moedas.

 

Folha do Litoral News: Nos conte sobre os programas, projetos e ações na área de responsabilidade social da Ecovia.

 

Couto: Há o Projeto Capacitar (Ecovia, Senai e CRAS), em que há pessoas ganhando curso de assistente administrativo. Tem que ser morador em Borda do Campo, em São José dos Pinhais. Pela Lei Rouanet, a empresa ajuda os Hospitais Pequeno Príncipe, Angelina Caron, Cajuru e a Associação Paranaense de Terapia Familiar, em que capacita pessoas para cuidar de idosos e crianças. Além disso, há o projeto Horta Comunitária em recape de pneus, no qual a intenção é desenvolver na comunidade o lado ecológico, diminuindo o número de objetos despejados ao meio ambiente. O projeto Ecoviver reutiliza lixo escolar e dá um fim adequado ao material.

Publicidade










plugins premium WordPress