conecte-se conosco

Entrevista

Subdiretor do Demutran fala sobre a Semana Nacional de Trânsito

Campanha começa no domingo com diversas ações na cidade

Publicado

em

Marcos dos Santos Amaral atua há quase 17 anos na Guarda Civil Municipal de Paranaguá. Já passou por diversos cargos como supervisor, chefe de equipe, já foi outras vezes diretor do Departamento Municipal de Trânsito (Demutran) e diretor da Ronda Ostensiva Municipal (ROMU) e hoje está na função de subdiretor do Demutran. No domingo, 18, terá início em todo o País, a Semana Nacional de Trânsito, que tem como objetivo conscientizar todos os atores envolvidos para mais segurança e alertar para a prevenção de acidentes.

Na entrevista concedida ao jornal Folha do Litoral News, o subdiretor destacou as peculiaridades do trânsito de Paranaguá, as ações de conscientização que já são realizadas ao longo do ano nas escolas, com o intuito de formar multiplicadores, e a importância de uma semana de atividades voltadas para melhorias na circulação dos moradores nas ruas e avenidas da cidade.

 

Folha do Litoral News: Qual o perfil do motorista no litoral do Paraná?

Amaral: Não só no litoral, mas em todo o Brasil, o perfil do motorista é o de quem não se atenta muito à legislação, visa mais ao lado pessoal. Pelas estatísticas, vemos que mais de 70% dos acidentes ocorrem por imprudência e imperícia do condutor e isso demonstra que, na realidade, ele não é aquele motorista cidadão, essa é a dificuldade que nós temos. Por isso a campanha da Semana Nacional do Trânsito foca na tentativa de conscientizar o motorista dos direitos e deveres que ele tem, principalmente com a parte mais fraca do trânsito, que seriam os pedestres, ciclistas e também motociclistas. Todos os dias vemos acidentes envolvendo motociclistas, por isso é uma situação bastante complicada.

 

Folha do Litoral News: Várias ações acontecerão ao longo da próxima semana. Outras já ocorrem normalmente ao longo do ano?

Amaral: Durante todo o ano temos uma programação. Uma das principais é a conscientização de alunos nas escolas de Ensino Fundamental e também de Ensino Médio. Geralmente somos convidados por algumas escolas para fazer palestras, além de dentro das empresas. Algumas empresas de Paranaguá sempre solicitam que a gente participe das Sipats (Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho). Em especial aquelas que possuem trabalhadores que andam de bicicleta ou motos e apresentamos quais os maiores riscos de acidentes de trajeto envolvendo esses condutores. Falamos sobre a legislação, os procedimentos de segurança, na busca de um trânsito mais seguro e preservar a sua vida.

 


Equipe do Demutran já está preparada para dar início às ações da campanha nacional de trânsito

 

Folha do Litoral News: Quais as principais imprudências observadas hoje no trânsito?

Amaral: O que temos mais, segundo as estatísticas, é a questão do estacionamento irregular, uso de celular e, como estamos sem radares no momento, vemos a imprudência com relação ao excesso de velocidade. As pessoas não respeitam a velocidade nas proximidades de escolas, hospitais e faixas para pedestres. Temos uma grande relutância para que o pessoal tenha esse respeito com a parte mais fraca do trânsito. Por isso focamos na educação básica para conscientizar. Nesse período, os alunos podem absorver melhor as ideias e podem se tornar multiplicadores.

 

Folha do Litoral News: Já foi possível ver algum resultado neste trabalho com estudantes?

Amaral: Conseguimos ver, principalmente, quando alguns pais comentam que, após as palestras, o filho passa a cobrar mais atitude dos pais sobre o uso do cinto, o uso de celulares ou na hora de avançar um sinal vermelho. Eles já procuram corrigir os pais e chamar a atenção.

 

Folha do Litoral News: Existem vários semáforos para instalação até o fim do ano. Você acredita que realmente esses equipamentos estavam faltando na cidade?

Amaral: Paranaguá não tinha um projeto anterior visando ao aumento de fluxo de veículos que hoje existe. Os semáforos vieram de maneira a tentar agilizar esse conflito que existe. Estamos também tentando criar novos padrões de circulação, para que o trânsito consiga fluir com mais liberdade e segurança. Temos dois binários na cidade e outros dois estão em fase de análise.

 

Folha do Litoral: A Semana de Trânsito comtempla a década de 2011 a 2020. Quais avanços você pode perceber desde 2011?

Amaral: Houve uma conscientização maior do motorista, apesar de muitos não acatarem. Mas acredito que hoje tenham uma nova visão, devido à veiculação da mídia, o comportamento está mudando. Por incrível que pareça, vemos a mudança nos motoristas mais antigos. Os novos ainda possuem uma relutância, os maiores infratores possuem de 18 a 30 anos, assim como os que se envolvem mais em acidentes.

 

Folha do Litoral: Temos bastantes ciclistas na cidade, como você vê o comportamento deste público?

Amaral: Essa é uma questão cultural, por muito tempo foi deixada de lado a questão de educação quanto às bicicletas com os veículos. Está havendo uma melhora, mas muitos acham ainda que os motoristas têm a obrigação de dar preferência e acabam desrespeitando. Mas os ciclistas também têm obrigações, uma delas a de andar nas ciclovias e ciclofaixas, transitar na mão da direção, não transitar um ao lado do outro, mas isso a maioria desconhece. A equipe de Educação para o Trânsito foca nessas ações para a segurança do ciclista e dos demais usuários da via.

Publicidade






Em alta

plugins premium WordPress