conecte-se conosco

Entrevista

Presidente do Rotary Club Paranaguá Taguaré fala de seus objetivos frente ao cargo

O maior deles é realizar ações voluntárias em benefício da Escola Eva Cavani

Publicado

em

No domingo, 28, é comemorado o Dia do Voluntário e os 15 integrantes do Rotary Club Paranaguá Taguaré, entre homens e mulheres, atuam de forma voluntária em ações sociais em prol da comunidade de Paranaguá. Entre os objetivos deste grupo e da nova gestão presidida por Raquel Yukie Ibba está a de criar formas de ajudar a Escola Municipal Professora Eva Tereza Amarante Cavani. Em uma visita realizada pelo grupo na escola, vários problemas foram identificados e, algumas ações já entrarão em prática neste ano.

Raquel assumiu o cargo de presidente do Rotary Club Paranaguá Taguaré há cerca de dois meses. A indicação foi recebida com surpresa pela empresária do ramo de gastronomia, que já atuava no Rotary há mais de dois anos. Raquel é casada, tem dois filhos, Carla e Cléber, e está em Paranaguá há oito anos. Nesta entrevista, a presidente falou sobre os projetos que estão em andamento, as próximas ações e qual seu principal desafio nesta gestão.

 

Folha do Litoral News: Como chegou ao Rotary?

Raquel: Quem me apresentou o Rotary foi a Zenair Marques, que já é membro há muito tempo. Ela falou das ações e eu fiquei entusiasmada pelos trabalhos maravilhosos.

 

Folha do Litoral News: Como foi assumir a presidência?

Raquel: Foi uma grande satisfação, eu realmente não esperava. Me sinto lisonjeada em fazer parte do Rotary Taguaré e de um grupo com mulheres exemplares. Cada uma tem o seu trabalho e cada uma dedica um pouco do seu tempo ao Rotary. Este é um trabalho voluntário, não temos ganhos com isso, fazemos por amor e por dedicação à comunidade. Se não fossem os voluntários, o trabalho não existiria.

 

Folha do Litoral News: Como recebeu a indicação do grupo para a presidência?

Raquel: Para mim foi uma surpresa muito grande, porque eu ainda era novata no Rotary. Mas, me senti muito acolhida pelo Club, que me apoiou muito e eu achei maravilhoso.

 

Folha do Litoral News: Quais projetos estão desenvolvendo agora?

Raquel: Estamos com um projeto bem grande agora na escola Eva Cavani. Estamos fazendo a parte da academia ao ar livre voltada para deficientes atendidos pela escola. Além deste espaço que é muito importante para eles, iremos fazer também uma horta suspensa, da qual os cadeirantes poderão ajudar a cuidar. Todos os anos fazemos projetos direcionados à comunidade, nesta gestão, resolvemos contemplar a escola Eva Cavani. Verificamos algumas necessidades, parte delas a prefeitura já se comprometeu a sanar, e outras que podemos fazer com os nossos projetos. A academia vai ajudar também na fisioterapia dos alunos que possuem deficiências físicas e mentais, pois eles são acompanhados por um fisioterapeuta. A horta suspensa vai fazer com que eles tenham uma ocupação, será uma atividade feita por eles e, além do consumo interno dentro da escola, os alimentos também serão revertidos para as suas famílias, pois algumas são bem carentes.

 

Folha do Litoral News: As famílias dos alunos já foram beneficiadas?

Raquel: Recentemente fizemos uma arrecadação de alimentos, em parceria com o Sicredi, e nós revertemos para as famílias dos alunos da Eva Cavani. Os alunos têm a alimentação na escola que a própria prefeitura fornece, mas as famílias são carentes. A escola também tem essa parte de acolher toda a família e não apenas o aluno.

 

Folha do Litoral News: Com são feitas as doações de cadeiras de rodas?

Raquel: Nós arrecadamos os lacres das latinhas por meio da campanha chamada Lacre Solidário, através deles nós trocamos por cadeiras de rodas e doamos. Como já fizemos a doação de duas ao Abrigo dos Idosos. Uma coisa que é desperdiçada, nós damos utilidade. Além dessa ação, o Rotary realiza também uma iniciativa para a erradicação da poliomielite, através da arrecadação dos lacres. O Rotary Internacional tem metas que passam aos distritos e estes passam aos clubes. A cada ano rotário temos estipulado algumas metas. Essas metas contemplam as áreas de saúde, tem também a alfabetização de adultos, assim como a questão do meio ambiente. Quando falamos dos lacres, estamos falando também de meio ambiente. Tivemos um trabalho que já foi premiado pelo distrito com relação à mata ciliar. Esta é uma ação que queremos retomar, mas ainda não temos como colocar em prática novamente.

 

Folha do Litoral News: Entre todos os projetos, qual elenca como principal?

Raquel: Nós nos dedicamos a cada projeto com muito carinho, abraçamos mesmo a causa. Cada um deles tem a sua particularidade. A gente sempre pede a participação de toda a sociedade, não precisa ser integrante do Club, mas há a possibilidade de participar apenas de algum projeto.

 

Folha do Litoral News: Quais as próximas ações?

Raquel: Nós temos programado para o final de outubro ou início de novembro, ainda não temos uma data definida, para o que chamamos de Um dia de Rotary. É uma ação rotária que sempre fazemos em uma escola pública com vários profissionais como dentistas, cardiologistas, oftalmologistas etc. Também haverá a parte de lazer para as crianças, cama elástica, pintura no rosto, servimos alimentos etc. Haverá algumas palestras educativas para detecção de um nódulo na mama, por exemplo. Já tivemos casos, por exemplo, de uma pessoa que estava com uma pressão muito alta e só com a aferição da pressão arterial ela já foi encaminhada diretamente ao hospital porque o médico avaliou que ela estava em um estado realmente crítico. Oferecemos também a medição de glicose, corte de cabelo, orientação para a escovação, apresentações de dança, então é um dia festivo, mas também educativo.

 

Folha do Litoral News: Quais seus principais objetivos frente à presidência?

Raquel: O objetivo maior é realizar o projeto na escola Eva Cavani para terminarmos o quanto antes, pois eles estão necessitando muito. A Eva Cavani pede socorro, essa é uma realidade. Contamos muito com a prefeitura, mas esse é um dos principais objetivos. Para começar a gestão com grande satisfação é atender a essa escola. Nós fomos até lá e vimos a realidade dos fatos e é muito triste. Mas, ao mesmo tempo, vimos que a escola está fazendo o que pode para integrar aqueles alunos. Tem profissionais lá que se dedicam de corpo e alma.

 

Folha do Litoral News: Qual o seu desafio nessa gestão?

Raquel: É muita responsabilidade e é uma coisa nova para mim. Cada experiência e projeto são novos. Meu desafio maior, por incrível que pareça, é abraçar a causa da escola Eva Cavani e poder abranger o máximo de pessoas possível. Eu falo da Eva porque eu vi a situação de perto e isso me sensibilizou muito. Mas temos outros diversos projetos para ajudar na nossa cidade, que necessita bastante.

 

Folha do Litoral News: Quem pode ser rotariano?

Raquel: Pessoas comuns, normais. As pessoas, às vezes, pensam que para ser rotariano precisa ser de classe alta, mas não tem nada a ver, basta ter dedicação. Temos nossas reuniões todas as segundas-feiras, no Hotel San Rafael, às 19h30, qualquer um pode participar e está convidado para a reunião. Da mesma forma que fui recebida com tanto amor e carinho, tenho a certeza de que qualquer outra pessoa será também. E quanto mais pessoas tivermos, mais ações e mais projetos poderão ser realizados e poderemos abraçar ainda mais causas.

Publicidade






Em alta

plugins premium WordPress