conecte-se conosco

Entrevista

Padre Emerson Zella explica o que a Páscoa representa aos fiéis

Vida religiosa está pautada na Páscoa de Cristo, sua paixão, morte e especialmente sua ressurreição

Publicado

em

A Páscoa é tida como o centro da fé cristã. A paixão, morte e ressurreição de Cristo é a base da igreja para todas as atividades religiosas durante o ano. O padre Emerson Zella, da Catedral Diocesana Nossa Senhora do Rosário, é quem relembra os momentos que marcaram a trajetória de Cristo. Nesta entrevista, ele ressalta os ensinamentos que a Semana Santa oferece e a importância de vivenciar a Páscoa em outros períodos do ano, por meio do sacrifício, amor e doação, aspectos que devem estar presentes em todos os momentos da vida.

 

Folha do Litoral News: A Páscoa representa a paixão, morte e ressurreição de Cristo. Quais os principais acontecimentos que marcaram esses três momentos?

Padre Emerson: Jesus Cristo veio ao mundo para revelar a todos os homens a verdade: quem é Deus, quem somos nós, como Deus nos ama imensamente e para nos comunicar a graça de nos tornarmos filhos de Deus! (Jo: 1). Jesus revelou Deus nos seus ensinamentos, milagres, seus atos, sua presença, seu olhar, sua vida, pois Ele é o filho de Deus, Ele é Deus, a segunda pessoa da Santíssima Trindade. Muitos acreditaram Nele e se converteram. Outros não aceitaram seu testemunho, não acreditaram que Ele era o Messias anunciado pelos profetas e tramaram matá-lo. Jesus, então, sabendo que se aproximava o momento da sua morte, reuniu os apóstolos para uma última refeição. Era quinta-feira da semana da Páscoa dos judeus. Esta festa recordava a libertação dos judeus da escravidão do Egito. E o Senhor Jesus aproveitou esta festa para deixar para os apóstolos um novo significado a ser celebrado: a libertação da escravidão do pecado. Durante a ceia, Jesus tomou o pão e o cálice com vinho, dizendo:  “Tomai e comei, isto é o meu corpo que é dado por vós". E depois:  “Tomai e bebei, isto é meu sangue, o sangue da nova e eterna aliança, que é derramado por vós e por muitos para a remissão dos pecados. Fazei isto em memória de mim”. Os apóstolos ficaram muito admirados, não entendiam o que Jesus fazia. Só Jesus, o Filho de Deus, sabia o que estava fazendo: Ele estava se oferecendo a Deus Pai para morrer por nós. Ofereceu-se em um sacrifício perfeito, para alcançar o perdão dos nossos pecados e nós podermos voltar para Deus, não só como criaturas, mas como filhos.

Após a ceia, Jesus foi rezar no Monte das Oliveiras. Lá foi entregue por Judas Iscariotes aos soldados, que O procuravam para matar. Foi humilhado, maltratado, ferido, abandonado por seus amigos e condenado a morrer na cruz. Era sexta-feira da semana da Páscoa dos Judeus. A Sexta-Feira Santa. E estando na cruz, Jesus pede ao Pai: “Pai, perdoa-lhes porque não sabem o que fazem". Pede perdão para eles e para nós. É amor demais.

Depois da morte de Jesus, seus apóstolos e discípulos ficaram tristes e confusos, mas, no terceiro dia, aconteceu o que Jesus já havia dito a eles: “O Filho do homem será entregue nas mãos dos homens e matá-lo-ão; e ressuscitará três dias depois de sua morte" (Marcos 9, 31). E foi isso que aconteceu. No domingo, antes do amanhecer, três mulheres foram ao túmulo de Jesus embalsamar o seu corpo, que fora sepultado às pressas. Encontraram o sepulcro vazio e um jovem com vestes deslumbrantes que lhes disse: “Por que buscais entre os mortos o que vive? Ele não está aqui, ressuscitou. Ide dizei aos seus discípulos e a Pedro que o verão na Galileia” (Lucas 24, 1-8). As mulheres, felizes, correram ao encontro dos apóstolos para lhes dar a notícia: JESUS RESSUSCITOU! E o coração de todos se encheu de uma grande alegria. A alegria da Páscoa é a certeza de que Jesus ressuscitou, vencendo a morte e o pecado.

 

Folha do Litoral News: Famoso entre os católicos de todo o mundo, o que o Domingo de Páscoa representa entre as celebrações pascais?

Padre Emerson: A primeira carta de São Paulo aos Coríntios nos diz: “E, se Cristo não foi ressuscitado, logo é vã a nossa pregação, e também é vã a vossa fé” (1 Corintios 15, 13-14). A Páscoa é o centro da fé cristã. Todas as nossas atividades de fé, toda nossa vida religiosa está voltada para a Páscoa de Cristo, sua paixão, morte e especialmente sua ressurreição.

 

Folha do Litoral News: Que ensinamentos podemos ter durante a Semana Santa?

Padre Emerson: Aprendemos olhando para a vida de Cristo o amor incondicional que Deus tem por todo ser humano. Tomamos consciência que somos todos filhos de Deus, irmãos uns dos outros. Todos somos pecadores (Romanos 3,23) e em Cristo encontramos a resposta de Deus para o problema do pecado que nos leva à morte. Ele sendo santo assumiu nosso pecado e nos trouxe a libertação. Olhando Jesus que sofre encontramos sentido para os nossos sofrimentos e olhando para sua ressurreição temos a certeza de que o amor sempre vai prevalecer e que o que nos espera após a morte é nossa plena realização, ser ressuscitados com Cristo (Romanos 6,8).

 

Folha do Litoral News: Em tempos de violência, de muitos desastres e atos de terrorismo, a Páscoa nos ensina que é sempre tempo de recomeçar?

Padre Emerson: Jesus nos mostrou que o amor é sempre a melhor escolha, ele passou pelo mundo fazendo o bem (Atos 10,38). Sendo assim, ao olharmos para a vida de Cristo tomamos consciência de que o amor é o que dá sentido à vida humana. E mesmo quando tudo parecer perdido (a morte de Jesus), o amor de Deus responde que nada poderá vencê-lo (Ressurreição de Cristo). Para nós, crentes, o amor jamais acabará, pois Deus é Amor.

 

Folha do Litoral News: É possível vivenciar a Páscoa em outros períodos do ano? De que forma?

Padre Emerson: Os símbolos da Páscoa nos ajudam a compreender bem isso. O Cordeiro Pascal é símbolo do sacrifício de Cristo e é um convite a nos sacrificarmos todos os dias por amor, sobretudo, no serviço amoroso em nossa casa, nosso trabalho, nossos estudos, em nossa vizinhança, em uma obra social e até mesmo como diz Jesus, com os nossos inimigos. O Círio Pascal é o símbolo da presença de Cristo Ressuscitado entre nós, nos lembra que nunca estamos sozinhos, que nossa força vem de Deus e nunca devemos perder a esperança. A troca de chocolates mostra que a partilha é necessária e nos motiva a repartir a doçura da vida com toda a humanidade. Esses gestos de sacrifício, amor e doação devem estar presentes em todos os momentos e situações de nossas vidas.

Continuar lendo
Publicidade

Em alta

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.