Connect with us

Eleições 2018

Justiça Eleitoral realiza auditoria nas urnas eletrônicas de Paranaguá

Além de demonstrar como funciona o processo do voto eletrônico e registro nas urnas, objetivo foi combater as “fake news” divulgadas em redes sociais sobre o funcionamento da urna eletrônica.

Publicado

em

Na tarde de quinta-feira, 18, a 5.ª Zona Eleitoral (5.ª ZE) do Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR), por meio da juíza eleitoral Pamela Dalle Grave Flores Paganini e do chefe do cartório da 5.ª ZE, Sérgio Paulo Kawka, se reuniu com representantes partidários de Paranaguá dos candidatos a presidente da República, da Ordem dos Advogados do Brasil – Paraná (OAB-PR) e do Ministério Público do Paraná (MPPR) para realizar uma auditoria nas urnas eletrônicas que serão usadas no segundo turno das eleições no município no dia 28 de outubro.

O objetivo foi demonstrar a tecnologia, transparência e confiabilidade do voto eletrônico, com testes de votos nos presidenciáveis, nulo e em branco, bem como combater as notícias falsas veiculadas no primeiro turno sobre a urna eletrônica.

“A auditoria é um procedimento obrigatório. Em todas as eleições, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) determina auditoria por amostragem para todas as urnas eleitorais em uma quantidade mínima. Na auditoria de hoje selecionamos três urnas eletrônicas com a presença de partidos políticos, MP e OAB-PR e da autoridade da juíza eleitoral. Fizemos testes para os dois candidatos a presidente, votando nos dois nas três urnas, bem como fizemos simulação de votos brancos e nulos, e também de justificativa eleitoral”, afirma o chefe de cartório da 5.ª ZE, Sérgio Kawka.

“Todos os testes ocorreram normalmente como previsto, garantindo mais uma vez a segurança do voto e do funcionamento da urna eletrônica. Tudo isso com máxima transparência no processo eleitoral para a imprensa de Paranaguá, partidos políticos e eleitores”, complementa.

Kawka afirma que outro objetivo é combater as “fake news”, ou seja, as notícias falsas, que foram divulgadas em redes sociais no primeiro turno das eleições de 2018 e veicularam informações totalmente equivocadas aos eleitores. “A orientação da Justiça Eleitoral a todos os eleitores e colaboradores é que se certifiquem, confirmem a informação, antes de compartilhar. A grande maioria destas notícias em redes sociais é fake news. Em relação a informações falsas questionando o funcionamento da urna eletrônica, comprovamos hoje na auditoria que se tratam de fake news”, ressalta.

 

Continuar lendo
Publicidade

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.