Logotipo

Alunos do projeto ‘Perseverando na Educação’ registram excelente desempenho escolar no Isulpar

18 de dezembro de 2018

Direção da escola afirma que quatro alunos do projeto servem de exemplo para estudantes de toda a instituição

Compartilhe

Estudantes foram selecionados entre 2016 e 2017 e ganharam bolsa de estudos pelo projeto da Loja Maçônica Perseverança

Desenvolvido desde 2016 pela Comissão de Ação Social da Loja Maçônica Perseverança, o projeto “Perseverando na Educação” concedeu bolsas de estudo integrais para o Ensino Médio do Instituto Superior do Litoral (Isulpar) para quatro alunos da comunidade de Alexandra, em Paranaguá, da Escola Municipal Tiradentes, bem como, por meio de parceiros, ofereceu a eles alimentação, transporte, uniforme escolar e material didático. O investimento na educação destes jovens já surtiu efeito positivo, visto que as duas meninas e os dois meninos selecionados registraram durante 2018 um excelente desempenho escolar, bem como idealizaram um projeto para alfabetização de crianças de Alexandra, que registra o menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do município.

O presidente da Comissão de Ação Social da Loja Perseverança, Fabiano Elias, destacou que a escolha de Alexandra foi pelo baixo IDH e pela sua proximidade com a comunidade. “Além disso, a Escola Tiradentes é uma instituição em que o Estado não tinha assumido a sua função junto ao Ensino Fundamental. O município cuidava dos alunos desde a creche até o 9.º ano, sendo que é função do Estado cuidar dos estudantes a partir do 6.º ano. O município tinha dificuldades e os alunos também”, explica, ressaltando que a unidade registrava alto índice de evasão escolar e repetência, baixo desempenho de estudantes e necessidade de mais investimentos. “Fomos convidados pela direção da escola para fazer este projeto de fomento ao ensino, com possibilidade de oferecer aos alunos mais dedicados e frequentes, e com condição social importante de ser atendida, que fossem oferecidas vagas neste projeto”, explica.

De acordo com Fabiano Elias, a mantenedora do Isulpar, Dra. Rosi Terezinha Bonn, ofereceu as bolsas aos alunos e toda a estrutura educacional necessária, bem como parceiros da cidade, que disponibilizaram uniforme, vale-transporte, alimentação e material escolar. “As famílias jamais teriam condições de arcar com as despesas”, explica. “Visitamos a escola durante o ano abordando sobre o projeto com os alunos, o que os incentivou a melhorar e também aumentou a frequência escolar do 9.º ano da Escola Tiradentes e outros anos”, destaca. 

Em 2016, com 13 inscritos na iniciativa foram selecionadas por mérito duas alunas no projeto, Duane Cristina de Oliveira e Nataely Ferreira Ribas, e em 2017, de mais de 20 inscritos, foram selecionados os alunos Diorge Rosina Santos e Jardel Bueno de Paula. “Deu tão certo o projeto, que em 2018 o Estado assumiu suas funções no colégio, foi para dentro da comunidade, assumindo suas funções do 6.º ao 9.º ano e no Ensino Fundamental. Neste ano, o projeto parou para aguardar a situação nova de como o Colégio Tiradentes irá se comportar com relação ao ensino e nível de escolaridade. Se ele aumentar nosso objetivo foi alcançado, atendendo quatro alunos e ajudando a promover o ingresso do Governo do Estado na escola, o que é sua obrigação por força de Lei”, explica. 

MAÇONARIA E FUNÇÃO SOCIAL

A função social da Maçonaria e da Loja Maçônica Perseverança em Paranaguá foi frisada pelo presidente da Comissão de Ação Social. “É muito importante que todo o cidadão ajude sua comunidade. Temos várias instituições que desenvolvem isso. A Loja Maçônica Perseverança tem sido um exemplo ao longo do século. Desde 1850 a Loja atua na comunidade, são mais de 150 anos trabalhando pela cidade e pela região. Quando a Loja começou a atuar comprando e alforriando escravos, o Paraná nem existia, Paranaguá ainda era de São Paulo. Foi assim com a fundação do Rio Branco Sport Club, da Santa Casa de Misericórdia, com o Abrigo dos Idosos que atende até hoje, com a Creche Perseverança, atendendo crianças de Paranaguá e agora também com o Projeto Perseverando na Educação”, explica Fabiano Elias.

Presidente da Comissão da Ação Social da Loja Perseverança, Fabiano Elias, e diretora do Ensino Médio do Isulpar, Lúcia Helena da Rocha, destacaram sucesso da iniciativa em prol da educação

“Não é um auxílio sem apoio. Além de entregar o benefício para estes alunos, exige uma contrapartida, eles sabem que têm obrigação social de devolver para Alexandra um projeto social durante os quatro anos do Ensino Médio e eles já estão trabalhando para implantar em 2019 um projeto-piloto de leitura entre os alunos do Colégio Tiradentes”, ressalta.

“Assim envolvemos cada vez mais pessoas do bem, pensando em solidariedade, humanismo, educação e crescimento individual de todo mundo. Quando isto acontece, atingimos o objetivo e toda a história da Loja Maçônica Perseverança continua viva e forte”, finaliza. “Agradecemos a todos que participaram do projeto, não temos autorização de falar o nome das empresas, pois a mão que dá não precisa se mostrar. Agradeço a todos que estão agindo em nome do projeto e das crianças e à solidariedade das pessoas que ela movimenta a roda do bem e da fraternidade”, finaliza Fabiano Elias.

DIRETORA DO ISULPAR PARABENIZA ALUNOS

A diretora do Ensino Médio do Isulpar, Lúcia Helena Freitas da Rocha, parabenizou a iniciativa e destacou o rendimento excelente dos quatro alunos selecionados. "Eles se empenham. São os primeiros a chegar ao colégio. Para nós isto é muito significativo, pois os outros alunos se espelham neles, pelo grande esforço que eles fazem e por estarem em uma instituição privada de ensino. A Loja Perseverança deu uma grande demonstração de solidariedade e apoio aos que, infelizmente na condição atual do mundo, não conseguiram a projeção social. É um incentivo para que todos acreditem nos seus sonhos, tenham esperança e lutem pelo seu ideal", explica.

Segundo Lúcia Helena, dentro do projeto político-pedagógico do Isulpar há um foco de contribuição com a sociedade, proporcionando formação acadêmica, mas também devolvendo à comunidade benefícios como as bolsas de estudo do projeto. "Se eles forem bem no colégio, eles prosseguirão no curso superior do Isulpar. Participamos de atividades com o colégio, eles participaram da Olimpíada Brasileira de Matemática, mesmo sendo do 1.º ano, eles tiveram nota superior ao 3.º ano. Eles são muito empenhados e uma referência para todos", completa. "Temos certeza de que eles serão cidadãos éticos, responsáveis, com formação crítica e que estarão devolvendo com sua formação o que aprenderam à sociedade parnanguara e ao Isulpar", finaliza.


Colunistas