conecte-se conosco

Tempo

Mau tempo e possível formação de ciclone geram alerta na navegação em Paranaguá

Praticagem explica medidas de prevenção já adotadas

Publicado

em

Foto: André Alexandre

Na noite da terça-feira, 8, a Marinha do Brasil, por meio da Capitania dos Portos do Paraná (CPPR), emitiu alerta de mau tempo em Paranaguá e no litoral do Paraná, com fortes ventos até a sexta-feira, 12. A virada no clima foi percebida na região com chuvas e mudança de temperatura. Segundo o capitão Herman Júnior dos grupos Mayday e Inavigate, a mudança ao mar em toda a costa paranaense trará nos próximos dias ondas de até quatro metros, rajadas de vento e possibilidade de ressacas. Com isso, a Paranaguá Pilots Brasil – Praticagem, monitorou e alertou navios fundeados e atracados no Porto de Paranaguá sobre a mudança climática, trazendo orientações de prevenção com foco na segurança e na operação portuária. 

Segundo o prático capitão Victor Hector Demaison, diretor administrativo da Paranaguá Pilots, a situação climática foi monitorada na última semana. “Desde o sábado, 6, já vínhamos monitorando uma possível formação de um ciclone na área charlie. A Praticagem acompanha a previsão do tempo constantemente como forma de segurança. O alerta enviado pela Marinha corroborou para o que já estávamos observando. Não podemos garantir que a frente de fato chegue à região com ventos fortes e mar grande, mas podemos nos preparar, caso isso aconteça”, detalha.

“Desde o domingo, 7, todas as agências foram avisadas da possível chegada de um ciclone. Desta forma, elas conseguem se planejar para entrar com os navios antecipadamente, caso a barra tenha que ser fechada por motivos de segurança a navegação”, detalha Demaison.

Navios fundeados e atracados

“Desde o sábado, 6, já vínhamos monitorando uma possível formação de um ciclone na área charlie. A Praticagem acompanha a previsão do tempo constantemente como forma de segurança”, ressalta o prático capitão Victor Hector Demaison, diretor administrativo da Paranaguá Pilots (Foto: Divulgação)

O prático afirma que “todos os navios já fundeados dentro da área da Zp 17 foram avisados a aumentarem a quantidade de manilhas mergulhadas na água. Todos também ficaram avisados que qualquer emergência a Praticagem está stand by 24 hrs no canal 10 e 16. Os navios maiores que se encontram já atracados estão com recomendação de reforçarem a amarração”, ressalta. 

“A Sala Rádio da Praticagem está sempre 24 horas de stand by no canal 10 e 16. Todos os comandantes são informados quando chegam a Paranaguá”, finaliza Victor Hector Demaison.

Ondas, turbulência e rajadas de vento

“Há um alerta sobre um sistema de baixa pressão com característica extra-tropical, ou seja, um ciclone que deve se formar a partir de quarta-feira em uma área que vai desde Florianópolis até o Rio de Janeiro”, afirma o capitão Herman Júnior dos grupos Mayday e Inavigate. Segundo ele, segundo o modelo meteorológico europeu, os ventos podem atingir 30, 35 a 40 nós. “As rajadas, que são aqueles ventos mais fortes, serão categoria força 12, que é uma categoria de furacão, não significa que teremos furacão, mas a gente pode verificar a velocidade das rajadas acima de 63 nós”, explica.

Herman Júnior afirma que os fortes ventos causarão turbulência e ondas fortes no mar. “A gente chama isso de maré meteorológica, que é uma maré causada pela força do vento sobre a água”, ressalta. “Além disso teremos também a maré astronômica, então há a maré meteorológica e a maré astronômica, a astronômica é a da força da Lua, que estará em Lua cheia na quinta-feira, 11”, detalha, ressaltando a possibilidade de ondas que podem chegar a quatro metros na costa. “Se soma a maré meteorológica e a astronômica, onde teremos um grande perfil de ondas”, ressalta, alertando navegantes e população quanto à possibilidade de ressacas.

Vídeo: Divulgação

Em alta

plugins premium WordPress