conecte-se conosco

Religiosidade

Com santuário da padroeira do Estado, Paranaguá tem vocação para o turismo religioso

Município tem atraído visitantes durante a Festa do Rocio e também em romarias

Publicado

em

Foto: Arquivo/Santuário do Rocio

Paranaguá é a casa da padroeira do Paraná. O Santuário de Nossa Senhora do Rocio, aliado à fé e devoção à mãe do Estado, são atrativos importantes para o desenvolvimento do turismo religioso. Essa é uma vertente que tem sido incentivada ao longo de todo o ano no município e não apenas durante o mês de novembro, mês em que se celebra o dia de Nossa Senhora do Rocio.

A secretária municipal de Cultura e Turismo de Paranaguá, Maria Plahtyn, explicou que a Festa do Rocio é uma das principais celebrações da cidade. “Temos visto uma movimentação no turismo religioso acontecendo ao longo do ano, isso tem impactado na mão de obra, na qualificação, na oferta. A Festa do Rocio vem em culminância dessas ações tanto do Santuário como da Prefeitura de Paranaguá, gerando emprego e renda para a cidade, trazendo atrativos, turistas, causa promoção do destino. Todo o impacto da festa é muito positivo, assim como foi o Congresso de Missões, que atraiu gente de fora da cidade”, elucidou Maria.

Esta edição da festa já é vista como a maior dos 210 anos de tradição. “Na Festa do Rocio investimos de forma diferenciada na questão de atrações. Trazer o padre Fábio de Melo foi algo que mudou esse comportamento, pois muitas pessoas vão para ver o show e conhecem o Santuário do Rocio, viram uma nova opção de passeio com a família. A maneira como se investe nas festas, dando qualidade, estrutura, conforto e segurança para as pessoas estarem é uma maneira de promover o destino”, afirmou.

Para Maria, este tipo de visitação é uma tendência que surgiu após a pandemia, com turistas procurando mais viagens curtas que lhe ofereçam experiências. “Os turistas hoje querem viajar mais por menos, querem viajar todo fim de semana, esse é o novo perfil. Na Região Metropolitana de Curitiba temos cerca de cinco milhões de potenciais clientes para o turismo em Paranaguá, isso que temos que buscar. O Brasil inteiro busca novos destinos e Paranaguá entra no roteiro”, destacou Maria.

Paraná tem 299 atrativos religiosos mapeados pelo Governo do Estado
Foto: Arquivo/Santuário do Rocio

Paranaguá também tem potencial de criação de roteiros de turismo religioso, tendo em vista as outras igrejas históricas que possui. “Não há só um interesse religioso, mas também ao patrimônio histórico. O novo plano diretor de Paranaguá firma a zona de interesse turístico indo até o Santuário do Rocio como um eixo para ter as igrejas interligadas”, acrescentou Maria.

Segundo ela, as romarias que o Santuário recebe no decorrer de todo o ano, com devotos vindo de várias regiões do Estado, tem tido papel importante no crescimento e fortalecimento desse tipo de turismo. “Vemos essa crescente no Santuário do Rocio de romeiros vindo ao longo do ano, isso não se limita mais ao mês de novembro, é um movimento que o padre Dirson realizou para trazer esse turista, houve um trabalho em torno disso”, afirmou.

A secretária afirma que o atendimento aos romeiros melhorou muito, o que é atribuído às ações do próprio santuário que tem olhado com atenção para a qualificação dos serviços. “Há um bom receptivo e a gente ainda tem muito a aproveitar desse mercado. Temos potencial no turismo de lazer, vimos isso crescer ao longo deste ano, pela presença dos ônibus de turismo na cidade com mais intensidade e nas demandas que temos recebido na Secretaria para disponibilização de materiais para os turistas. Recebemos um retorno da rede hoteleira de que os fins de semana têm tido uma movimentação diferenciada”, observou a secretária.

Fórum de Turismo Religioso

Em março deste ano, Paranaguá sediou o 5.º Fórum de Turismo Religioso, no Mega Rocio, com palestrantes nacionais e internacionais e também com a apresentação de dezenas de iniciativas de turismo religioso do Paraná. 

“Um evento desse tipo traz uma chancela e currículo para os destinos e agente promover um encontro como esse é de extrema relevância não só para que a gente possa mostrar o que temos de bom, dá ao destino mais credibilidade quando falamos em operação turística. O mercado turístico é tão competitivo quanto qualquer outro. Temos muitos potenciais turísticos na cidade, o de negócios é o nosso principal, mas temos o turismo de lazer, o ecoturismo, de aventura, de base comunitária”, revelou Maria.

Governo do Estado

No Paraná, há o Grupo de Trabalho de Turismo Religioso do Paraná, instituído em 2020 para promover estudos e fomentar os roteiros religiosos, criando uma política de incentivo ao segmento, que é o terceiro que mais recebe visitantes no Estado. São 299 atrativos religiosos mapeados pelo grupo de trabalho, que envolvem roteiros das quatro matrizes de tradições religiosas: Oriental, Indígena, Africana e Ocidental.

O Grupo de Trabalho é formado pela Secretaria de Estado do Turismo, Pastoral do Turismo da CNBB, Associação Inter-Religiosa de Educação (Assintec), Fecomércio-PR, Sebrae-PR e Associação Brasileira de Agências de Viagem (ABAV-PR).

“Trabalhamos em conjunto com todas as expressões religiosas e notamos uma procura crescente em todo o Estado no segmento religioso, gerando a unidade através da fé e também na geração de emprego, trabalho e renda. Por meio de visitas técnicas e fóruns, estamos fomentando a troca de experiências e aproveitando os cases aproveitando que já deram certo em alguns atrativos para implantar aqueles que estão se iniciando”, diz o coordenador-geral do GT de Turismo Religioso, Eliseu Rocha.

Continuar lendo
Publicidade










Em alta

plugins premium WordPress