conecte-se conosco

Polícia

Receita Federal apreende quase meia tonelada de cocaína no terminal de contêineres do Porto de Paranaguá

Publicado

em

Em duas ações de fiscalização realizadas na tarde desta sexta-feira, 11, agentes da Receita Federal que atuam na Alfândega do Porto de Paranaguá, apreenderam quase meia tonelada de cocaína. A droga estava escondida dentro de contêineres que seriam enviados para a Europa. Ninguém foi preso.

1.ª APREENSÃO

A primeira apreensão registrada pelo órgão federal totalizou 66 quilos do entorpecente.

Os tabletes estavam em duas bolsas grandes de viagem e foram colocados em um contêiner carregado com papel. A estrutura seria embarcada em um navio que seguiria para Portugal.

Parte da cocaína apreendida estava escondida dentro de um contêiner carregado com papel que seria enviado para um terminal portuário em Portugal

2.ª APREENSÃO

A segunda ação de fiscalização apreendeu 408 quilos da droga.

As bolsas com o entorpecente estavam dentro de um contêiner carregado com erva mate que seria enviado para um terminal portuário, na França.

Ao todo, foram apreendidos 474 quilos de cocaína.

Foram apreendidos 474 quilos da droga. Esta foi a 12.ª apreensão de cocaína realizada pela Receita Federal, no terminal de contêineres do Porto de Paranaguá

RIP-ON/RIP-OFF

O método utilizado, pelos traficantes internacionais de droga, para enviar a cocaína para o exterior, é conhecido como rip-on/rip-off.

O contêiner tem o lacre das portas violado e as bolsas com o entorpecente são colocadas entre a mercadoria transportada.

Todo o procedimento acontece sem o conhecimento do exportador, que é o responsável pela carga.

TONELADAS

Já são quase duas toneladas de cocaína apreendidas em 2021 pela Receita Federal no terminal de contêineres do Porto de Paranaguá. Foram 12 apreensões realizadas este ano.

A cocaína apreendida foi encaminhada para a Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, que segue com as investigações.

PANDEMIA

Mesmo durante o período de pandemia da Covid-19, o trabalho de fiscalização e monitoramento de cargas movimentadas no terminal portuário segue sendo realizado pelos agentes da Receita Federal e Polícia Federal. Todos os cuidados e medidas de proteção, indicados pela Organização Mundial de Saúde, são colocados em prática, uma vez que a atividade desenvolvida pelos órgãos federais é essencial para o País.

Com informações e fotos da RFB

Continuar lendo
Publicidade