conecte-se conosco

Meio Ambiente

LEC realiza maior soltura de pinguins-de-Magalhães no litoral do Paraná

Ao todo, 13 animais foram devolvidos à natureza em Pontal

Publicado

em

Foto: Acervo LEC/Daiane Marcondes

Na quarta-feira, 6, o Laboratório de Ecologia e Conservação (LEC) da Universidade Federal do Paraná (UFPR), via Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS), devolveu à natureza em Pontal do Paraná, no balneário Pontal do Sul, 13 pinguins-de-Magalhães (Spheniscus magellanicus). Esta foi a maior soltura deste tipo de espécie já realizada pelo LEC na região. Os animais haviam sido encontrados extremamente magros e debilitados, com parasitas e sinais de emalhe por redes de pesca.

“Todos foram resgatados nas praias do litoral paranaense, por meio das atividades diárias de monitoramento e do acionamento da comunidade. Foram encontrados muito magros e debilitados, com parasitas no sistema respiratório e marcas de emalhe em redes de pesca. Após cerca de dois meses em reabilitação, o maior grupo de pinguins já solto por nós estava ativo e saudável, pronto para voltar para o oceano”, informa a assessoria.

“Agradecemos às instituições parceiras do LEC/UFPR, PMP-BS, PRAE e aos comunitários que participaram desta ação coletiva pela qualidade do oceano e sua fauna”, ressalta o LEC.

Sobre os pinguins-de-Magalhães

De acordo com o Laboratório, os pinguins-de-Magalhães podem atingir o tamanho de 75 centímetros e pesar até cinco quilos contando com uma dieta composta por peixes, lulas e krill. “A reprodução ocorre na Argentina, Ilhas Malvinas e Chile, realizando anualmente movimentos migratórios sazonais para o Brasil e o Uruguai. Nas migrações, os pinguins debilitados podem encalhar nas praias. Quando isso ocorre, são resgatados e encaminhados para reabilitação para se recuperarem e voltarem ao mar”, informa.

O que fazer ao encontrar pinguins na região

“Ao encontrar um pinguim nas praias acione a equipe do PMP-BS/LEC-UFPR. Siga as recomendações de não se aproximar, não fornecer alimentos, não o colocar no gelo e afastar animais domésticos”, informa o LEC. “Ao encontrar animais marinhos debilitados ou mortos nas praias paranaenses é possível acionar a equipe do PMP-BS/Laboratório de Ecologia e Conservação (LEC) da Universidade Federal do Paraná (UFPR) pelo 0800 642 33 41 ou pelo WhatsApp (41) 992138746”, finaliza o LEC.

Com informações do LEC/UFPR

plugins premium WordPress