conecte-se conosco

Editorial

Equipamentos públicos e diálogo urbanístico com a comunidade, o esporte e o lazer

Na terça-feira, 28, a Prefeitura de Paranaguá entregou mais uma unidade do “Meu Campinho” na Serraria do Rocha, com um investimento de cerca de R$ 620 mil feito em parceria com o Governo do Estado. Um local que anteriormente que precisava de atenção e manutenção, passa a ser agora um centro de incentivo ao esporte, qualidade de vida e integração

Publicado

em

editorial

Entre os mais variados investimentos do Poder Público, um dos que mais integram a sociedade, trazendo foco no lazer, esporte e qualidade de vida, é a construção de praças e quadras esportivas. São equipamentos públicos que prezam pela revitalização de áreas urbanísticas, trazendo consigo uma integração com a comunidade, devendo também manifestar um pertencimento diário dos moradores do bairros para garantia da manutenção e do cuidado com esses locais em parceria com o município.

Na terça-feira, 28, a Prefeitura de Paranaguá entregou mais uma unidade do “Meu Campinho”, na Serraria do Rocha, com um investimento de cerca de R$ 620 mil feito em parceria com o Governo do Estado. Um local que anteriormente precisava de atenção e manutenção, passa a ser agora um centro de incentivo ao esporte, qualidade de vida e integração, com jovens e crianças utilizando por meio de escolinhas esportivas, bem como com adultos fazendo atividade física e lazer nessa unidade com projetos que serão desenvolvidos pela Secretaria Municipal de Esportes. 

Ao todo, 15 unidades do “Meu Campinho” já foram inauguradas em Paranaguá nos últimos anos. São locais que de fato são entregues à população, que faz bom uso diariamente com esporte e atividade física, bem como um sentimento de pertencimento com a coisa pública, integrando a comunidade, levando sempre em consideração o papel das praças como local de articulação e diálogo entre os cidadãos, respeitando diferenças e prezando pela interação legítima em tempos de redes sociais e necessidade de saúde mental.

Melhorar uma cidade no sentido urbanístico deve ser algo a ser baseado não apenas em prédios, ruas e concreto, mas também nas pessoas que estão nessas vias, casas, locais e praças diariamente, que utilizam esses espaços e caminhos não apenas para se locomover ao trabalho, mas para o esporte, para a atividade física, para o lazer, para botar a conversa em dia e sentir que pertence de fato à cidade onde reside. 

plugins premium WordPress