Connect with us

Editorial

A volta às aulas e a segurança dos alunos

A aprendizagem está sendo construída por meio de muito esforço, dedicação e empenho

Publicado

em

Em virtude da pandemia de Covid-19, as aulas presenciais foram suspensas nas escolas paranaenses no mês de março, desde então, várias medidas foram adotadas tendo em vista a continuidade do ano letivo, de forma a não comprometer o processo de ensino-aprendizagem e continuar motivando e incentivando os estudantes a irem em busca de conhecimento e desenvolvimento cognitivo.

No entanto, o caminho não tem sido fácil. A aprendizagem está sendo construída por meio de muito esforço, dedicação e empenho, sobretudo, por parte de professores, equipes pedagógicas e alunos, pois todos precisaram se adequar a uma nova realidade, pela qual ninguém havia passado.

Apesar de todas as ações ainda há muito a se construir e nada substitui o contato direto de sala de aula entre professores e alunos, por isso o Governo do Estado está refletindo e buscando soluções para fazer com que esse retorno seja o mais breve possível, sempre levando em consideração a segurança de alunos e professores.

Com saúde, bem-estar e vidas não se pode brincar. Isso justifica o posicionamento governamental, o qual está passo a passo tentando estruturar uma volta segura aos muros da educação. Os primeiros passos estão sendo uma pesquisa entre a comunidade escolar, o que envolve pais e responsáveis pelos estudantes. Esses estão sendo questionados sobre o possível retorno às salas de aula, o que evidencia a característica democrática do governo.

Após as consultas, um outro passo extremamente importante é que os estudantes só voltarão às salas de aula se houver o aval da Secretaria de Saúde, isto é, apenas quando os profissionais da área de Saúde entenderem que é segura a retomada das aulas é que isso efetivamente acontecerá.

A secretaria de Saúde vem tomando medidas acertadas e pautadas no bom senso, daí percebe-se que desta vez não fugirá à regra e aulas só quando for verdadeiramente seguro. Portanto, as escolas seguem com portões fechados por tempo indefinido.