conecte-se conosco

Dia da Mulher

Vereadoras destacam empoderamento feminino como item essencial para evolução social

Legisladoras abordaram políticas públicas em prol da mulher, combate ao preconceito e superação contínua

Publicado

em

Vereadoras destacam empoderamento feminino como item essencial para evolução social

Isabelle Dias e Vandecy Dutra garantem a representatividade da mulher na Câmara Municipal

Na segunda-feira, 8, é celebrado o Dia Internacional da Mulher, uma data não somente de comemoração, mas também de reflexão e luta por uma sociedade mais justa e igualitária. Pensando na importância do tema no contexto social e político, a Folha do Litoral News entrevistou, na última semana, as vereadoras Isabelle Dias (PSB) e Vandecy Dutra (PP), as quais destacaram a importância da representatividade feminina na Câmara Municipal, o empoderamento na sociedade atual e formas de preconceito velados ou explícitos contra a mulher, as quais perseveram em existir em todos os contextos possíveis.

“Sou vereadora mulher surda e, quando falamos em empoderamento feminino, estamos dando a importância à igualdade, liberdade, sororidade e à representatividade. Estas falas indicam com precisão o empoderamento feminino ao qual aspiramos alcançar em nossa sociedade. O empoderamento acontece quando há a conscientização das mulheres de reivindicarem por seus direitos, garantindo que possam estar cientes da luta pela total igualdade entre os gêneros em diversos cenários sociais e políticos. Visto que os homens também precisam colaborar para construir a igualdade de participação de ambos os gêneros, apoiando decisões de mulheres e as enxergando como parceiras tanto no ambiente profissional quanto no ambiente pessoal”, explica a legisladora Isabelle.

A vereadora Vandecy afirma que o tema empoderamento é atual na sociedade, destacando uma premissa utilizada pela Organização das Nações Unidas (ONU) de que “empoderar-se é o ato de tomar poder sobre si”. “O empoderamento feminino busca o direito das mulheres em poder participar de debates públicos, principalmente em temas relacionados à mulher, ‘nada sobre nós sem nós’, esta ação consiste no posicionamento das mulheres em todos os campos sociais, políticos e econômicos que visam a uma sociedade mais justa, equitativa e mais humana para todos. Com isso buscamos equidade de gênero nas discussões para as políticas públicas, queremos ser a nossa voz sobre as nossas demandas”, frisa. “Uma cidade boa para as mulheres é uma cidade ainda melhor para todos”, completa.

Direito das mulheres e inclusão

Vandecy Dutra salientou a recente visita à Casa da Mulher Brasileira, em Curitiba, um conceito de espaço criado em 2015 com apoio psicossocial, Delegacia da Mulher, órgãos judiciais, Patrulha Maria da Penha e desenvolvimento de programas em prol do público feminino e sua autonomia, com gestão tripartite. “A nossa intenção é trazer este espaço de Centro de Referência para as Mulheres em Situação de Violência para o nosso município, e mais ainda, para que possa atender as mulheres vítimas de violência de todo o litoral. Estamos empenhados junto à Secretaria de Assistência Social, fazendo o estudo e planejamento para que mais esta política pública em defesa das mulheres seja efetivada e aliada à rede de proteção. Temos muito a caminhar ainda, a agenda de estudos e encaminhamentos é grande. Mas já estamos dando os primeiros passos”, explica, destacando que o espaço será um avanço em prol dos direitos das mulheres parnanguaras.

A vereadora Isabelle garantiu apoio às demandas das mulheres na sua atuação no Legislativo, que está se iniciando agora, com uma mescla em prol das demandas da comunidade surda e da inclusão. “Temos muito o que debater, trazer a pauta sobre a temática e muito a ser melhorado e respeitado. Lutamos por um lugar de fala e empatia”, salienta.

Vandecy salientou a necessidade do aumento de políticas públicas garantidas em Lei no município em prol das mulheres, setor em que há muito a ser feito e está sendo realizado um levantamento dessas legislações já existentes em diálogo com movimento social e Conselho Municipal das Mulheres. “Já estamos articulando junto à Procuradoria da Mulher na Câmara para dar suporte à abertura de uma Cooperativa para Mulheres Mães de Família, que poderá levar, formação acadêmica, formação profissional e futuros encaminhamentos destas mulheres ao mercado de trabalho. Também disponibilizar assessoria jurídica que poderá trabalhar junto à Rede de Proteção para atendimento às mulheres vítimas de violência. Também ir a busca de recursos, federais e estaduais, para implantação da Casa da Mulher Parnanguara. Estamos acompanhando de perto todas as demandas existentes para a melhoria da qualidade de vida para todas as mulheres”, completa.

“Em carreiras e desafios, desde quando me posicionei com a identidade surda, percebi que a luta não é de hoje, que as dificuldades, superações e as conquistas das mulheres no mercado de trabalho vêm de longa data, imaginem então para uma mulher surda. Em muitas situações é preciso lidar com o preconceito interno de muitas pessoas, o de não acreditar sermos capazes de conseguir um cargo maior, um salário compatível ou ser reconhecida pelo o que fazemos”, observa a legisladora Isabelle, a qual destaca que o momento é de desconstrução. “Sabemos que, apesar de muito desafio pela frente, a luta feminina já conquistou muitos direitos para as mulheres, não só no mercado de trabalho, mas na política e no social. Pensando nesta trajetória e histórico, visto se aproximar a data oficial de 8 de março, preparamos uma fala especial para todas as mulheres, para que nunca desistam de seus sonhos, podemos todas as coisas em Deus que nos fortalece”, afirma.

Preconceito e superação

“Já sofri preconceito sendo mulher e pelo fato da minha surdez, na questão de não acreditarem que conseguiria ter uma formação, construir uma família, conquistar coisas, ter visibilidade, dentre outras situações que passei de bullying e preconceito por ser surda. Houve um fato durante minha campanha política em que uma pessoa me questionou se eu pensava, por ser uma pessoa surda, mostrando a falta de conhecimento e do preconceito que algumas pessoas ainda têm”, observa a vereadora Isabelle, destacando a soma de preconceitos enfrentada pelo fato da surdez e ser mulher.

Vandecy Dutra alerta para o preconceito velado contra a mulher. “Muitas vezes este preconceito é velado, não querem que você participe de algo e te isolam, te ignoram, simples assim. A vida me ensinou muito, tive bons exemplos na família, minha avó foi professora, trabalhou em uma época que não era aceito mulher trabalhar fora, minha mãe foi à luta em busca de emprego muito cedo, aos 17 anos, sempre trabalhou fora e ajudou no sustento da família, enfrentou tudo no peito com muita coragem. Tive ótimas professoras que me inspiraram a lutar por direitos em época de ditadura. Minha tia estava lá em Brasília nas discussões para construção da nossa Constituição em 1988”, relata, destacando a história familiar. “Foram mulheres que enfrentaram o preconceito e abriram caminho para que hoje eu estivesse aqui buscando ampliar a participação da mulher na busca por maior representatividade nas discussões que envolvam a causa das mulheres, principalmente as mães de família”, afirma.

Mensagem às mulheres parnanguaras 

“O termo empoderamento remete a tomar poder sobre si. Temos que nos reconhecer como protagonistas em nossa própria história. Todas nós podemos, é desafiador, dá medo, porém é necessário. Temos exemplos de grandes mulheres em nossa história, aos exemplos de Joana d’Arc, Maria Quitéria de Jesus, Nísia Floresta, vale a pena conhecer a história destas mulheres. E me atrevendo a aconselhar: mulheres, empoderem-se! Nós podemos ser o que desejarmos ser”, destaca a vereadora Vandecy.

Isabelle Dias relatou a importância de superação e confiança na sua autonomia a todas as mulheres, sejam surdas ou ouvintes. “Vocês podem conquistar aquilo que vocês desejam, podem lutar e conquistar seu espaço como qualquer outra pessoa e não somente achar que as outras tiveram sorte, a nossa sorte se dá com muita luta, dedicação, confiança e trabalho. Você, mulher, pode sofrer um preconceito hoje, mas amanhã erga sua cabeça e mostre do que é capaz e não fique se lamentando, os obstáculos vão surgir sim, mas peça forças a Deus para que seja superado e siga em buscas de seus sonhos e objetivos, não desista, você pode estar perto de conquistar aquilo que mais deseja. Feliz Dia da Mulher! Deus abençoe a todas nós nesta data tão especial”, finaliza.

Leia também: Enfermeira relata dia a dia na linha de frente do combate à Covid-19