conecte-se conosco

Cultura

Projeto “Desabandonar” usa arte para valorizar patrimônio histórico de Paranaguá

“A ênfase da exposição Desabandonar é apresentar a arte como mecanismo para protestar politicamente, trazendo à luz o diálogo sobre a necessidade da proteção patrimonial”, afirma Negromonte (Foto: Guilherme Bittencourt)

Publicado

em

Desabandonar

Giovanni Negromonte explica que sete obras já foram criadas em casarios 

Nas últimas semanas, casarios históricos de Paranaguá que estão em situação de abandono, estão sendo uma espécie de tela para intervenções artísticas que trazem mais cores e vida para o Centro Histórico e outros locais da cidade. Trata-se do projeto “Desabandonar”, criado pelo advogado e artista Giovanni Negromonte através da marca multicultural Crabe. “A ênfase da exposição Desabandonar é apresentar a arte como mecanismo para protestar, trazendo à luz o diálogo sobre a necessidade da proteção patrimonial.

Paranaguá, ateliê a céu aberto

De acordo com Negromonte, até o momento sete obras de arte foram feitas no casario do Centro Histórico, transformando a cidade em um “ateliê a céu aberto”. “A exposição tem como objetivo a realização de 10 obras no espaço público”, destaca. “Todas as artes são aplicadas nos tijolos que fecham os casarões abandonados (intervenção comum dos proprietários para evitar o acesso de moradores de rua ao imóvel abandonado). É de extrema importância destacar que as intervenções urbanas são realizadas com todo cuidado para preservar as fachadas históricas dos casarões tombados”, complementa.

“E, por tocar apenas na intervenção dos proprietários, não há o que se falar em deterioração dos casarões, até porque, se há alguma ilegalidade, ela reside no ato dos próprios proprietários em fechar os imóveis com tijolos e cimento e deixar que um bem histórico chegue ao ponto de ficar em ruínas”, informa o artista. 

Giovanni afirma que a forma que o patrimônio histórico parnanguara é tratado parece refletir o passado da cidade, em que os grandes senhores do passado são lembrados pelos seus nomes e títulos, mas não nos é ensinado o que eles fizeram aqui e qual herança deixaram para a cidade, tanto do ponto de vista social, quanto da perspectiva da ocupação do território. “Por exemplo, é fácil perceber que esses casarões imponentes não guardam relação com o povo caiçara, porém o que explica o surgimento desses casarões e, principalmente, a falência dos imóveis? Qual o motivo de tantos imóveis vazios no centro da cidade?”, questiona.

Apoio ao projeto

Segundo Giovanni Negromonte, o projeto Desabandonar é assinado por ele através da marca multicultural Crabe. “Para fins de contribuição, informamos que nos próximos meses estará aberta a loja on-line do projeto, momento em que será possível adquirir camisetas, bolsas, fotos, adesivos, entre outros itens temáticos. Além disso, teremos o lançamento do mapa-roteiro da exposição e de um filme-documentário “Desabandonar – a estética do desabandono”. Para mais informações, acessar no Facebook Crabe. e Instagram @crabe041”, informa.

“Por fim, vale lembrar que o projeto integra e completa ações orquestradas pelo Paranaguá Mais Cores, então, caso o leitor queira apoiar o projeto, também pode entrar em contato pelas mídias sociais @pguamaiscores. Lembrando que todo apoio é bem-vindo, tanto do ponto de vista financeiro, quanto na disponibilização de muros/paredes bem localizadas para realização de artes”, finaliza o artista.