Connect with us

Coronavírus

Prefeito ressalta continuidade das medidas restritivas em Guaratuba

“Meu agradecimento a todos pela compreensão. Não está sendo fácil. Fiquem em casa”, afirma o prefeito Roberto Justus (Foto: Prefeitura de Guaratuba)

Publicado

em

Roberto Justus destacou continuidade do isolamento social, com fechamento das praias, orla e baía

Na terça-feira, 5, o prefeito de Guaratuba, Roberto Justus, divulgou vídeo no qual destacou que, após reunião em videoconferência com o governador Ratinho Júnior, o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, e outros gestores municipais, Guaratuba seguirá com as medidas restritivas de circulação de pessoas enquanto a curva de contaminação do novo Coronavírus for ascendente, ou seja, estiver em crescimento no Paraná. O gestor ressaltou que em Guaratuba segue fechado o acesso às praias, orla e baía, bem como paralisadas as atividades de academias, canchas esportivas, quadras de futebol e cultos/missas presenciais em igrejas, visto o risco de contaminação da Covid-19.

“A principal questão tratada, a meu ver, diz respeito à proibição das igrejas realizarem cultos presenciais. É bom que se diga que as igrejas estão abertas, no entanto, apenas podem realizar atendimentos individuais, cultos presenciais estão proibidos e há uma recomendação por parte do Estado de fazer celebrações apenas on-line”, afirma o prefeito. “A postura do Governo do Estado e especialmente do secretário de Saúde foi muito firme no sentido de continuar proibindo cultos presenciais, visto que a curva de contaminação do vírus no Paraná continua em ascensão, portanto, enquanto o número de casos da Covid-19 continuar subindo, medidas de relaxamento não serão bem-vindas”, acrescenta.

Academias e quadras

Segundo Justus, a Prefeitura segue atenta às diretrizes dos governos Federal e Estadual. “Com relação às academias e praticantes de esportes, o secretário Beto Preto mostrou-se contrário à liberação dessas atividades, porque entende que são atividades que disseminam muito rapidamente e facilmente o vírus entre os praticantes. A diferença entre as igrejas e academias é que no caso das igrejas há um decreto muito claro proibindo a realização de cultos presenciais, enquanto nas academias há um decreto do Estado dizendo que nós prefeitos devemos considerar a suspensão dessas atividades, o que em tese não estaria proibido. No entanto, há outro decreto estadual que delega ao secretário de Estado da Saúde para que ele regulamente a abertura gradual dessas atividades. Como não há regulamentação por parte da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), o nosso entendimento é que essas atividades seguem suspensas no Paraná inteiro e ficarão suspensas em Guaratuba”, complementa.

Marinas e presença nas praias e baía de Guaratuba

Praias e orla de Guaratuba seguem interditadas (Foto: Prefeitura de Guaratuba)

Na questão do funcionamento das marinas, bem como presença de pessoas em praias e baía de Guaratuba, o prefeito afirma que a principal preocupação em função da aglomeração e circulação da Covid-19. “São locais atrativos para que turistas venham para cá, saindo de cidades com circulação alta do vírus e vindo para Guaratuba, colocando em risco a saúde da população. Seguindo a lógica da curva em ascensão, não é o momento ainda para permitirmos atividades de esporte e lazer nas nossas praias, orla, campinhos, praças e espaços públicos”, acrescenta.

“Com relação às marinas, farei um decreto restringindo a questão da manutenção das embarcações. Fui procurado por administradores de iates e marinas, no sentido de que alguns barcos precisam navegar para que a manutenção seja completa. Nesses casos, nós vamos autorizar a navegação dessas embarcações para fins de manutenção, ainda não para fins recreativos, nas terças, quartas e quintas-feiras, evitando danos e prejuízos às embarcações”, afirma o gestor.

“Meu agradecimento a todos pela compreensão. Não está sendo fácil. Estamos todos passando por muitas dificuldades – aqui na prefeitura não é diferente – mas é só assim, com a colaboração de todos, que nós vamos vencer essa guerra”, finaliza Roberto Justus.