conecte-se conosco

Coronavírus

Paraná anuncia redução do intervalo para dose de reforço

Em Paranaguá, vacinação que segue nova norma inicia nesta quarta-feira

Publicado

em

Foto: Prefeitura de Paranaguá/Secom

Na terça-feira, 21, a Prefeitura de Paranaguá, através da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), anunciou que a partir da quarta-feira, 22, pessoas poderão tomar a terceira dose ou dose de reforço da vacina contra a Covid-19 com intervalo de quatro meses após a aplicação da segunda dose do imunizante. A medida ocorre após a Nota Técnica n.º 65/2021 do Ministério da Saúde (MS) realizada no sábado, 18, anunciando a antecipação da imunização de reforço de cinco para quatro meses, com o foco na proteção à variante Ômicron, algo que foi acatado pelo Governo do Estado no Paraná na segunda-feira, 20.

“A Secretaria Municipal de Saúde informa que a partir de quarta-feira, 22, estará aplicando a terceira dose da vacina contra a Covid-19 Com intervalo de 4 meses após a segunda dose. A Estação Ferroviária está com atendimento até dia 23 de dezembro, das 12h às 17h. O serviço retorna de 27 a 30 de dezembro no mesmo horário”, informa a Prefeitura de Paranaguá.

Segundo o município, além da dose de reforço, todas as etapas da vacina (primeira e segunda dose), seguem sendo oferecidas em Paranaguá. De acordo com a Secretaria Municipal de Comunicação (Secom), a primeira dose segue sendo aplicada para pessoas a partir de 12 anos, assim como a segunda dose da Pfizer com intervalo de 21 dias do início do esquema vacinal. 

De acordo com a Semsa, a segunda dose da AstraZeneca segue disponibilizada para todos que receberam essa vacina, bem como CoronaVac “conforme a data indicada no documento vacinal e a Janssen após dois meses da aplicação da primeira dose”, acrescenta. 

Seguindo a nova orientação, a terceira dose estará sendo aplicada para pessoas com mais de 18 anos e, a partir de quarta-feira, 22, com intervalo de quatro  meses após a segunda dose.

Estado anunciou mudanças

Na segunda-feira, 20, o Paraná, por meio do secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, anunciou que irá seguir a recomendação do MS com relação à antecipação da aplicação da dose de reforço para quatro meses. Para a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), a “redução permitirá maior proteção contra a nova variante Ômicron e contribuirá ainda mais para a imunidade efetiva da população”, completa

“A dose reforço está passando de 150 para 120 dias de intervalo para a população acima de 18 anos, uma decisão que assumimos a partir de hoje e que será pactuada nos próximos dias com os municípios por meio de uma reunião com os Intergestores Bipartite, por meio de uma nova deliberação”, afirma o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

Segundo Nota Técnica do Ministério da Saúde, vacina Pfizer será usada para quem tomou a segunda dose da AstraZeneca, CoronaVac e Pfizer (Foto: Danilo Avanci/Sesa)

De acordo com o governo estadual, a vacina da Pfizer/BioNTech poderá ser utilizada como dose de reforço em pessoas vacinadas com os imunizantes CoronaVac, AstraZeneca e Pfizer. “A vacina da Janssen, administrada inicialmente como dose única, deverá ser reforçada em um período mínimo de dois meses e máximo de seis, após a aplicação, sendo utilizado o mesmo imunizante. Para as gestantes, o intervalo é de cinco meses e a orientação é que seja aplicada apenas a da Pfizer”, explica.

Com relação às pessoas imunossuprimidas, a pasta estadual afirma que serão disponibilizadas a quarta dose de vacina contra o Coronavírus. “Vale para quem tem mais de 18 anos e tenha recebido a dose de reforço há, pelo menos, quatro meses. Os imunossuprimidos são aqueles que têm a imunidade comprometida por alguma doença ou tratamento médico”, detalha.

“Além dessa alteração da dose de reforço, teremos a redução do tempo para a segunda dose da vacina. Seguiremos conforme a bula da vacina e, a partir de agora, todos os municípios estão autorizados a reduzir o tempo entre D1 e D2″, explica Beto Preto. 

MS

O anúncio da recomendação para redução do intervalo para aplicação da dose reforço foi feita no sábado, 18, pelo Governo Federal, através do MS. “A dose de reforço é fundamental para frear o avanço de novas variantes e reduzir hospitalizações e óbitos, em especial em grupos de risco. A portaria com a modificação será publicada na segunda-feira. Informem-se sobre o calendário vacinal de seu município e veja se já chegou a sua vez”, afirmou o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, em suas redes sociais. 

“O reforço poderá ser aplicado em qualquer pessoa maior de 18 anos que tenha recebido as duas doses de vacina, respeitando o prazo mínimo dos quatro meses após a segunda aplicação. Além disso, o Ministério reitera a importância de se completar o ciclo vacinal e pede àqueles que tomaram apenas a primeira dose para retornarem aos postos de vacinação”, informa o MS.

Segundo a assessoria da pasta federal, seguindo as orientações da Secretaria Extraordinária de Enfrentamento à Covid-19 (Secovid), “a vacina da Pfizer será utilizada como dose de reforço em pessoas vacinadas com os imunizantes CoronaVac, AstraZeneca e Pfizer”. “A opção por essa vacina levou em consideração o aumento da resposta imunológica no esquema heterólogo. De maneira alternativa, os imunobiológicos da Janssen e AstraZeneca também poderão ser utilizados na dose de reforço”, explica.

“Inicialmente destinada a ser de aplicação única, a vacina da Janssen também deverá ser reforçada. Quem a recebeu entre dois e seis atrás pode comparecer ao posto de saúde para a segunda dose. Nesse caso, o imunizante utilizado deverá ser do mesmo fabricante”, finaliza a assessoria do Ministério da Saúde.

Com informações da Prefeitura de Paranaguá, Sesa e Ministério da Saúde