Connect with us

Coronavírus

Nove denúncias de “fura-filas” da vacinação são registradas no litoral

CGE registrou suspeitas em Paranaguá (4), Matinhos (2), Guaratuba (1), Guaraqueçaba (1) e Antonina (1)

Publicado

em

Nove denúncias de "fura-filas" da vacinação são registradas no litoral

Dados são da Controladoria-Geral do Estado

Na quinta-feira, 11, a Controladoria-Geral do Estado (CGE) divulgou o número de denúncias recebidas de “fura-filas” na vacinação contra a Covid-19 em todo o Paraná. Segundo o Governo do Estado, ferramentas de controle estão em vigência para identificar pessoas que foram imunizadas contra o Coronavírus e que não faziam parte dos grupos prioritários. O recebimento de denúncias é feito pela CGE de forma on-line, onde as informações são cruzadas, com visitas às prefeituras que receberam as doses e publicação da lista de Regionais de Saúde da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa). 

No litoral paranaense, nove suspeitas de pessoas que furaram a fila foram registradas: em Paranaguá (4), Matinhos (2), Guaratuba (1), Guaraqueçaba (1) e Antonina (1), municípios que fazem parte da 1.ª Regional de Saúde (1.ª RS). Em todo o Paraná, 207 denúncias foram contabilizadas até a quinta-feira, 11. De acordo com o CGE, as informações constam inclusive com imagens anexas que comprovam a situação. “As informações numéricas, protegendo a identidade dos suspeitos, relativas às denúncias recebidas nas 22 Regionais de Saúde do Paraná, passarão a ser divulgadas na página Paraná sem Fura-Fila, no portal www.coronavirus.pr.gov.br, na área destinada à Vacinação, em que também será possível registrar denúncias”, detalha.

Segundo o controlador-geral do Estado, Raul Siqueira, o objetivo é garantir transparência e apuração de atos classificados por ele como desumanos. “A CGE tem estrutura para recepcionar manifestações de qualquer lugar do Paraná, seja pela Internet, seja por telefone. Também nos dispomos a ir até os municípios e regionais conferir a recepção das doses e a conformidade com os planos de imunização”, afirma.

CGE investiga realização da imunização

Segundo o órgão, além das denúncias uma equipe do CGE verifica continuamente se houve alguma intercorrência no recebimento das doses da vacina e o cumprimento dos planos de imunização no Paraná. “Eles visitam prefeituras e regionais para responder questionário sobre o assunto e registrar os documentos usados pelos municípios para o controle da vacinação. Durante as visitas, a equipe também divulga os canais de denúncia disponíveis pela CGE e verifica possíveis vulnerabilidades nos procedimentos de distribuição da vacina”, explica.

Parceria com a Sesa 

De acordo com a assessoria, em parceria com a Sesa, foi solicitado aos municípios lista de todas as pessoas vacinadas devidamente identificadas. “Essa informação se destina ao cruzamento com bancos de dados a que temos acesso, como, por exemplo, de pessoas falecidas. Dessa forma, fechamos ainda mais o cerco contra aqueles que ferem a ética e o senso de sociedade ao furarem a fila da vacinação”, afirma o controlador-geral.

Todas as informações são tratadas respeitando a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). “O material recepcionado com relação a fura-filas é enviado ao Ministério Público, responsável pela apuração em municípios e eventual processo judicial”, complementa. Segundo Siqueira, uma Rede de Controle foi criada em todo o Paraná, congregando instituições de controle interno e externo da administração pública estadual. “Desse grupo, participam a CGE, o MP Estadual e o Tribunal de Contas do Estado, com apoio do MP Federal e do Tribunal de Contas da União. A força-tarefa foi formada para identificar e punir quem não respeita a ordem de vacinação e fiscalizar o cumprimento do plano de imunização estadual, que está atrelado ao plano nacional”, destaca o CGE.

Curitiba e Região Metropolitana 

De acordo com o CGE, a 2.ª Regional de Saúde (2.ª RS) da Sesa, que responde pela capital Curitiba e Região Metropolitana, registrou o maior número de casos suspeitos de “fura-fila” (59) até a quarta-feira, 10. “Na página Paraná sem Fura-Fila, é possível verificar a quantidade de denúncias recebidas pela CGE, que concentra os números das ouvidorias do Poder Executivo Estadual. O Ministério Público também recebe denúncias que não são computadas pelo sistema da Ouvidoria-Geral”, explica a assessoria.

De acordo com a Ouvidoria-Geral, os denunciantes devem encaminhar a maior quantidade possível de informações, algo que pode ser feito pelos canais virtuais, formulário on-line, e-mail ou WhatsApp, onde podem ser enviadas fotos e documentos. “Caso a denúncia se refira a um servidor do Poder Executivo Estadual, a informação também será levada à Coordenadoria de Corregedoria, para que o denunciado responda processo administrativo e seja punido, de acordo com o que prevê o Estatuto do Servidor”, complementa.

Como denunciar

“O cidadão pode fazer a denúncia pelos telefones 0800 041 1113 e (41) 3883-4014, que atende pelo aplicativo WhatsApp. Pela Internet, há um botão específico no portal www.coronavirus.pr.gov.br , mas também é possível registrar a manifestação no site da CGE (www.cge.pr.gov.br), na aba Ouvidoria. Se preferir usar e-mail o denunciante deve enviar o material para [email protected]”, finaliza a Controladoria-Geral do Estado. 

Com informações da CGE

Leia também: Apesar de cancelado, litoral se prepara para movimento no período de Carnaval

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.