conecte-se conosco

Coronavírus

Marcelo Roque anuncia suspensão das festividades oficiais do 1.º semestre em Paranaguá

Prefeito enfatizou que serão realizados apenas um a dois eventos, no aniversário de Paranaguá, mas em ambiente controlado, com apresentação de carteira de vacinação e se preciso uso de máscaras

Publicado

em

Foto: Secom/PMP

A Prefeitura de Paranaguá fez uma transmissão on-line na tarde de ontem, 6, através de seu Facebook, em que o prefeito Marcelo Roque explicou a suspensão das festas oficiais deste primeiro semestre no município de Paranaguá, em virtude das recomendações das autoridades de saúde, em decorrência ao aumento de casos da Covid-19.

“Nós tentamos já desde a semana passada, mas no mês de maio nós tivemos de cento e cinquenta a duzentos casos de Covid-19 a cada três dias. Claro que com a vacinação as coisas melhoraram, mas ainda temos essa atenção redobrada com esse número de casos que estão aumentando. O Estado do Paraná já está com oitenta e seis por cento dos leitos ocupados, e então a gente tem essa cautela. Nós não tivemos este ano o Banho de Mar a Fantasia, não tivemos o Carnaval, não tivemos a Paixão de Cristo, eventos que estavam no calendário, e que não tivemos esses eventos”, comenta o prefeito, destacando também que não haverá a Festa da Tainha, a antiga Feira das Nações, que estamos mudando para FEJUPA, que é uma novidade e nem deu tempo de estrear para esse ano.

Foto: reprodução Facebook da Prefeitura de Paranaguá

“Nós estamos tomando essa cautela em não ter eventos em lugar público, e que você não tem o controle. Não adianta eu abrir a Praça de Eventos Mario Roque ou abrir o Aeroparque e não poder ter o controle das pessoas. Não exigir o mínimo de segurança, de pedir a carteira de vacinação, de exigir que se use máscara nesses locais. A máscara a gente pode fazer um decreto de novo e pedir que todo mundo use, mas a gente foi um dos poucos municípios que não tirou as máscaras do transporte coletivo, não tirou de lugares fechados, não tirou de locais da saúde. Curitiba agora que está voltando a usar máscara porque deixou tudo aberto, transporte coletivo, táxi, enfim, tudo”, declara.

“Os decretos continuam dessa mesma forma, mas nós temos um receio de fazer um evento assim grandioso e aberto para todo o mundo, até por esses números que já estão acontecendo e são muito grandes, e no mês de maio foi crescente no nosso município. E claro que a maioria dos casos não está se agravando, não está indo para um leito de UTI, mas tivemos casos aqui na semana passada que ficaram ruim e foram para os leitos de UTI, e dois óbitos em Paranaguá na semana passada”, completa.

Marcelo Roque enfatiza que é um momento para se redobrarem os cuidados como o município está fazendo. “A gente precisa redobrar como nós estamos fazendo, dando a terceira dose, agora estamos iniciando a quarta dose, e o trabalho da prefeitura está sendo muito bem feito, mas nós temos que ter o cuidado de a agilidade como sempre fizemos como referência no estado do Paraná com a vacinação, mas também ter o cuidado de ter uma restrição ainda nesses pontos para que a gente não tenha dificuldade lá na frente num futuro bem próximo. E o futuro próximo pode ser daqui a trinta ou quarenta dias explorar de novo uma nova onda, como já vi vários especialistas falando que podia ter uma uma terceira, uma quarta onda de Covid. Fica receoso por isso nós tomamos essa decisão em conjunto, com a nossa vigilância sanitária, que está aqui, a secretária de Cultura está aqui, a secretária de Saúde está aqui conosco também e todos reunidos para tomar a melhor decisão, e a melhor decisão foi essa”, externa Marcelo Roque.

Único evento

Ele informa que o município realizará um único evento, que acontecerá no dia 28 para 29 de julho, que celebrará o Aniversário de Paranaguá. “Nós vamos voltar aos poucos com os nossos calendários, e dentro do Gigante do Itiberê nós vamos ter uma virada de aniversário dos 374 anos de Paranaguá, onde você vai poder cobrar a carteirinha, você vai poder cobrar até o uso de máscara se for preciso dentro do estádio. Então, esse é o nosso medo e o nosso receio, vamos ter uma festa. Cancelamos também o desfile das escolas CEMEIs lá do nosso município e que estava praticamente programado para acontecer e que também seria uma festa bonita. Nós possivelmente teremos aqui também um evento com a esquadrilha da fumaça, que há essa possibilidade também de ter no dia 29, mas tudo com bastante tranquilidade, com bastante precaução. Essa é a palavra certa, precaução. Não podemos colocar a perder tudo aquilo que nós fizemos no ano passado até agora. As pessoas que entendam a nossa decisão  e que entendam o que nós vamos fazer. Teremos um evento só, ou no máximo, dois eventos dentro do estádio Gigante do Itiberê com todas as medidas sanitárias e todos os protocolos da vigilância. Então é isso que nós estamos passando para a população de Paranaguá”, enfatizou Marcelo Roque.

A Organização das Nações Unidas (ONU) e a Organização Mundial da Saúde (OMS), descartam a hipótese de que a pandemia de Covid-19 tenha acabado e reforçam que esse fim ainda não tem data certa. As sublinhagens da variante ômicron BA.1, BA.2 e a aparição da delta-ômicron preocupam e são mais um indicativo de que a pandemia não acabou. Além disso, muitas pessoas em todo o mundo, inclusive no Brasil, ainda não receberam as doses da vacina contra a doença.

“A vacinação auxilia significativamente na diminuição de casos agravados e óbitos pela doença, contudo os cuidados para evitá-la precisam ser mantidos. A variante ômicron avançou rapidamente em vários países e se apresentou ainda mais transmissível do que a anterior o que reforça a necessidade de manter os cuidados para não termos novas ondas de infecções”, salienta a secretária municipal de Saúde, Lígia Regina de Campos Cordeiro.