Connect with us

Coronavírus

Mais 11 denúncias de “fura-filas” da vacinação contra Covid-19 são registradas no litoral

20 casos suspeitos foram contabilizados pela CGE no litoral até a quinta-feira, 18 (Foto: Jonathan Campos – AEN)

Publicado

em

Mais 11 denúncias de “fura-filas” da vacinação contra Covid-19 são registradas no litoral

Casos suspeitos foram contabilizados nos últimos sete dias

A Controladoria-Geral do Estado (CGE) divulgou que o litoral do Paraná contabilizou mais 11 denúncias de possíveis “fura-filas” da vacinação nos últimos sete dias. Os dados foram divulgados na quinta-feira, 18, e os novos casos suspeitos estão sendo apurados em Matinhos (4), Guaratuba (4), Guaraqueçaba (1), Paranaguá (1), assim como o primeiro registrado em Pontal do Paraná desde o início da divulgação dos possíveis atos ilícitos na imunização no Paraná. As possíveis irregularidades estão sendo apuradas pelo CGE.

No litoral do Estado, até a quinta-feira, 18, vinte suspeitas de pessoas que furaram a fila foram registradas: em Matinhos (6), Paranaguá (5), Guaratuba (5), Guaraqueçaba (2), Antonina (1) e Pontal do Paraná (1). Em todo o Paraná, 453 denúncias foram contabilizadas, 246 a mais do que na última semana. De acordo com o CGE, as informações contam, inclusive, com imagens anexas que comprovam a situação. “As informações numéricas, protegendo a identidade dos suspeitos, relativas às denúncias recebidas nas 22 Regionais de Saúde do Paraná, passarão a ser divulgadas na página Paraná sem Fura-Fila, no portal www.coronavirus.pr.gov.br, na área destinada à Vacinação, em que também será possível registrar denúncias”, detalha.

Atuação do CGE

Segundo a Controladoria, uma equipe que faz parte da CGE Itinerante está percorrendo municípios em todo o Paraná e, nesta semana, 23 cidades de nove Regionais de Saúde, com o objetivo de dar mais segurança ao processo de vacinação contra a Covid-19. “A atividade se soma ao registro de denúncias de “fura-filas” e ao cruzamento de dados de registros. O objetivo do Governo do Estado e de órgãos de controle externo é garantir o cumprimento do Plano Estadual de Imunização. Por meio de entrevistas com responsáveis da área, a equipe da CGE Itinerante confere o recebimento das doses e se o município segue plano de imunização. Foram cerca de 3 mil quilômetros rodados e visitadas a administração de nove regionais de saúde”, informa a assessoria.

“Nosso trabalho é de parceria com as prefeituras. O Governo Estadual tem responsabilidade até a entrega da vacina ao município, porém, queremos, com a CGE Itinerante, garantir que o processo seja idôneo e ético”, afirmou Raul Siqueira, controlador-geral do Estado.

Segundo o controlador-geral, apesar das visitas não terem caráter de fiscalização, elas são importantes para mostrar que o Estado se preocupa com a destinação das vacinas encaminhadas pela Secretaria de Estado da Saúde. “A vacina é um bem social e cabe ao Governo cuidar para que seja adequadamente empregada. Por isso, trabalhamos em parceria com a Secretaria da Saúde”, completa.

Prefeituras colaboram com a apuração do CGE

Segundo o CGE, a equipe que visita os municípios é formada por servidores das coordenadorias de Ouvidoria e de Transparência e Controle Social que visitam os municípios paranaenses que concentram maior número de denúncias de “fura-filas”. “Perguntamos se houve ocorrência de imprevistos ou problemas na recepção das doses. Conferimos documentos e nos colocamos à disposição para ajudar o município a monitorar a vacinação”, explica Cristiano Pereira, membro do Controle Social.

A CGE destacou que as prefeituras estão colaborando com o levantamento. “Mostramos que estamos lá para colaborar. Caso seja informada alguma denúncia, também encaminhamos para que seja investigada. O importante é garantir o processo íntegro”, explica Ricardo Humberto, servidor da Ouvidoria, que também destacou que os servidores dos municípios e gestores estão sendo receptivos ao trabalho e disse que as pessoas estão sendo bem receptivas ao trabalho da Controladoria-Geral.

Como denunciar

“A CGE colocou a estrutura da Ouvidoria-Geral para recepcionar informações de pessoas que não tenham respeitado os grupos prioritários de vacinação. A coordenadoria de Transparência e Controle Social, em parceria com a Secretaria da Comunicação Social e da Cultura, publica diariamente o número de registros por cidade no site www.coronavirus.pr.gov.br, na aba Vacinação. Ali também é possível fazer a denúncia e anexar documentos e fotos”, informa.

“O cidadão pode fazer a denúncia pelos telefones 0800 041 1113 e (41) 3883-4014, que atende pelo aplicativo WhatsApp. Pela Internet, há um botão específico no portal www.coronavirus.pr.gov.br , mas também é possível registrar a manifestação no site da CGE (www.cge.pr.gov.br), na aba Ouvidoria. Se preferir usar e-mail o denunciante deve enviar o material para [email protected]”, explica a CGE.

Segundo a assessoria, as denúncias são encaminhadas ao Ministério Público do Paraná (MPPR), que tem competência para acionar prefeituras, se for o caso. “A CGE e o MP estadual fazem parte da Rede de Controle, junto ao Tribunal de Contas do Estado, com apoio do MP Federal e do Tribunal de Contas da União. A força-tarefa foi formada para identificar e punir quem não respeita a ordem de vacinação e fiscalizar o cumprimento do plano de imunização estadual, que está atrelado ao plano nacional”, finaliza a CGE.

Com informações da CGE

Leia também: Projeto pretende isentar de pagamento quem se vacinar contra Covid-19